17 de set de 2015

Digitalização de obras raras e coleções especiais



Em setembro de 2014 o Comité Profissional da IFLA aprovou o Guidelines for Planning the Digitalization of Rare Book and Manuscript Collections, documento elaborado pelo Rare Book and Special Collection Section. 
É sabido que as diretrizes para digitalização têm proliferado de várias formas ao longo dos últimos quinze anos, e todas elas refletem um conjunto de melhorias práticas que continuam a evoluir. Em consequência, estas Diretrizes agora publicadas pela IFLA procuram complementar esse corpo de conhecimentos, abordando necessidades específicas relacionadas com o planejamento de projetos de digitalização de coleções raras e especiais. Foram escritas a partir da experiência de gestores de coleções especiais, bibliotecários especializados na formação e desenvolvimento de coleções de livros raros, curadores e pesquisadores que estudam o livro como um artefato que acarreta uma evidência histórica intrínseca, e que ao mesmo tempo interessa pelo conteúdo intelectual que contém.
Conhecendo as necessidades dos utilizadores que realizam pesquisas em ambientes digitais e que precisam analisar o texto completo ou grandes agregações de “big data”, essas Diretrizes ajudarão também os profissionais e não profissionais a criar coleções digitais sustentáveis e adaptáveis que serão reutilizáveis e continuarão a ter valor de investigação para o futuro.
À semelhança do que já foi feito para outras línguas (espanhol, italiano, turco, chinês), um grupo de trabalho do Brasil formado por Bibliotecários, Arquivistas e Restauradores-Conservadores realizou a tradução para a língua portuguesa publicada no mês de agosto passado.
URL do documento: http://www.ifla.org/publications/node/8968

16 de set de 2015

Ceará: agentes de leitura

Fonte: Governo do Estado do Ceará.
URL: www.ceara.gov.br
Ao todo, 104 bicicletas foram entregues pela Secult aos representantes das secretarias municipais de Cultura, para utilização pelos novos agentes que sairão de casa em casa, em 30 municípios cearenses, oferecendo livros, realizando ações de formação e estímulo para a leitura. O secretário da Cultura do Estado do Ceará, Guilherme Sampaio, participou do encerramento do encontro e realizou a entrega de três das bicicletas aos secretários municipais de Cultura de Farias Brito, Porteiras e Quixelô.
A tarde foi também de formação técnica e humanística, com a palestra de Eliana Yunes, diretora da Cátedra Unesco de Leitura na PUC-Rio e nome decisivo na estruturação do Programa Nacional de Incentivo à Leitura – Proler, que em 2015 completa 20 anos. Falando aos 104 agentes de leitura, em uma palestra realizada no foyer do Theatro José de Alencar, a pesquisadora, fonte de referência sobre o atual panorama da leitura no Brasil e sobre o esforço histórico para maior democratização do acesso e para reforço à prática da leitura, destacou o poder transformador da leitura, além das várias leituras possíveis à vida de cada pessoa.
“O Ceará está de parabéns por continuar este projeto, como uma política de Estado, não como uma política de gestão”, destacou Eliana Yunes, ao final de sua palestra, ressaltando a importância do trabalho de cada agente de leitura. “O programa Agentes de Leitura está sendo retomado com força total, com perspectiva de ampliação do programa para todos os municípios cearenses”, ressaltou o secretário Guilherme Sampaio. “O retorno que os participantes nos deram ao longo desses três dias de Encontro só nos anima com relação ao potencial que esse programa tem e à capacidade desses jovens de serem motivadores de novos leitores no Ceará”, enfatizou.
Ampliação para todo o Estado
O secretário Guilherme Sampaio destacou que o Plano Estadual de Cultura, atualmente em debate na Assembleia Legislativa, traz entre suas metas a universalização do programa Agentes de Leitura, para todos os municípios do Estado. “Este Encontro dos Agentes de Leitura, com a qualidade que teve, com o mix entre palestras, vivência cultural com os agentes assistindo a 'O Carteiro e O Poeta' no São Luiz, entrando pela primeira vez no TJA, visitando os diversos equipamentos culturais, aliou a sensibilização necessária pra expansão de conhecimentos, que foi possível a partir de palestrantes renomados, algumas das maiores autoridades no campo da leitura, no Brasil, na academia. Isso expressa a importância desse programa para a política cultural do Estado”, apontou.
Os agentes de leitura e o Ceará Pacífico
O secretário Guilherme Sampaio destacou que a Secult apresentou proposta para levar o Agentes de Leitura também para as áreas do programa Ceará Pacífico, do Governo do Estado, em Fortaleza. “O programa Agentes de Leitura originalmente só era desenvolvido nos municípios do Interior. Agora nas áreas do Ceará Pacífico, Vicente Pinzon, Bom Jardim e São Miguel, teremos também agentes de leitura atuando junto à juventude e às famílias desses bairros”.
A solenidade de encerramento do VI Encontro Agentes de Leitura contou ainda com a participação da coordenadora de políticas de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas da Secult, Mileide Flores, e com os professores Cleudene Aragão e Kelsen Bravos, que participaram do desenvolvimento inicial do projeto. O escritor Fabiano dos Santos Piúba, idealizador do programa no Ceará e hoje secretário adjunto da Secult, também foi aplaudido pelos agentes de leitura.
Para Mileide Flores, coordenadora de políticas de livro, leitura, literatura e bibliotecas, da Secult, o VI Encontro dos Agentes de Leitura marca "um novo passo em um projeto que transforma as pessoas". "O Agente de Leitura vai até as famílias, o núcleo transformador. É um momento de busca da identidade local, em que eles se reconhecem. Uma forma de as famílias se reconhecerem dentro dessa identidade e como pessoas com grande capacidade de transformação", aponta Mileide.
Agentes de Leitura
No projeto Agentes de Leitura, da Secult, cada agente acompanha o processo leitor de 25 famílias, cadastradas dentre as escolhidas pelas secretarias municipais de Educação, em 30 municípios, em localidades de grande vulnerabilidade social no interior do Estado. A primeira mesa de trabalho do VI Encontro Agentes de Leitura, na manhã desta segunda-feira, teve roda de conversa reunindo Wilma Maia, agente de Parambu de 2012 e 2013, Maciel Araujo (agente de Pedra Branca de 2007/2008), Joelmir Nobre (de Croatá de 2012 a 2015), Rosana Maria de Sousa (de Mauriti, de 2012 a 2015) e Lucas Madeira Rodrigues (agente de Miraíma, de 2012 a 2013), debatendo as experiências vivenciadas no Interior com as famílias atendidas pelo projeto.
Os agentes selecionados têm idade entre 18 e 29 anos e passaram, nestes três dias de encontro em Fortaleza, por uma série de atividades de formação e intercâmbio de experiências, no intuito de fortalecer o importante trabalho que realizam nas cidades do Interior do Ceará. Entre as participantes, as agentes de leitura Rosineide Viana de Souza e Flávia Geane Pereira Oliveira, ambas de Antonina do Norte, relataram suas experiências trabalhando com as famílias no Cariri. "Algumas crianças com as quais trabalhamos só conseguiram aprender a ler após o reforço do programa Agentes de Leitura", destacou Flávia.

A agente de leitura Sâmia Rafaela, do município de Porteiras, na região do Cariri, também destacou a importância da iniciativa da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará para o exercício da função dos agentes no Interior." O Encontro é um momento muito importante, para que a gente possa avaliar as experiências realizadas em cada município e que a gente possa levar esse gosto pela leitura de uma forma mais efetiva, para cada família".

Romênia: quem lê não paga ônibus

Fonte: Catraca Livre. Data: 18/08/2015.
Victor Miron, um jovem da Romênia, queria promover a leitura em seu país. Ele acredita que é importante recompensar aqueles que leem, sem criticar os que não leem.
Com isso em mente, o jovem teve a brilhante ideia de não cobrar passagem de ônibus para pessoas que entram no veículo com um livro em mãos. Victor apresentou a ideia para o prefeito de sua cidade, Emil Boc, que, depois de um ano, aceitou a proposta.
Entre os dias 4 e 7 de junho de 2015, todos que estavam com um livro usaram o transporte público de graça.

O rapaz não parou por aí: ele também está trabalhando em outras campanhas. Uma delas é a Bookface, que oferece descontos em livrarias, salões de beleza e até em consultório de dentista para pessoas que tem uma foto de um livro em seu perfil no Facebook.

Tratado de Marrakech é aprovado

Fonte: Câmara dos Deputados.
Deputada Mara Gabrilli vem batalhando para que o documento ganhe status de emenda constitucional.
O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou hoje (20/08), por 341 votos favoráveis e um contrário o Tratado de Marraqueche. O documento irá possibilitar a publicação de obras literárias em formato acessível principalmente para pessoas cegas ou com deficiência visual. O texto do acordo que é parte do Projeto de Decreto Legislativo 57/15 e ainda precisa de uma nova votação em segundo turno. O trâmite é diferenciado porque tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos são equiparadas a propostas de emenda à Constituição.
A Deputada Mara Gabrilli destaca a importância de o tratado ser aprovado com um grande número de votos dos parlamentares, tanto na Câmara, quanto no Senado. Se for aprovado em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, por três quintos dos votos, o Tratado de Marraqueche passará a ser o segundo tratado de direitos humanos a ter status de emenda constitucional no Brasil, conforme estabelece o art. 5º, §3º da Constituição. O primeiro documento, que já equivale a emenda constitucional, é a Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, promulgada pelo Brasil em 2009.
O acordo prevê a livre produção e distribuição de obras em formato acessível no território dos países signatários e o intercâmbio desses formatos. “É um marco na luta das pessoas com deficiência e no regime de propriedade intelectual, por constituir o primeiro acordo internacional sobre limitações e exceções aos direitos de propriedade intelectual”, afirma a deputada Mara Gabrilli.
O Tratado de Marraqueche foi assinado pelo Brasil em junho de 2013, após realização da Conferência da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (Ompi), realizada em Marraqueche, no Marrocos, entre 17 e 28 de junho. A negociação envolveu os 185 países membros da Ompi e o acordo permite que obras em braile ou audiobook possam ser distribuídas e publicadas sem o pagamento de direitos autorais.
O tratado visa reparar a escassez de publicação de obras adaptadas a pessoas com deficiência visual, problema que lhes impede o acesso à leitura, à educação, ao desenvolvimento pessoal e ao trabalho em igualdade de oportunidades. Estima-se que, atualmente, menos de 1% das obras publicadas no mundo é convertido em formatos acessíveis a esse grupo.
Para conferir o texto do tratado de Marraqueche na íntegra acesse: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao…

http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao…

Novo número: Cadernos BAD

Acaba de ser publicado o n. 1 de 2015 da revista Cadernos BAD. Abaixo o sumário do presente número:
Editorial
Nota de abertura. Alexandra Lourenço.
Editorial. José Antônio Calixto.
Artigos
Observatório de Ciência da Informação da Universidade do Porto: um projeto colaborativo de sucesso. André Miguel Alves Pinto, Inês Sofia Teixeira Baptista, António José Peixoto Cerqueira, Maria Manuela Gomes de Azevedo Pinto.
Ensaios, estudos e projetos
O poder da informação na sociedade da informação e nas organizações empresariais. Juliete Susann Ferreira de Souza Ju, Oswaldo Francisco de Almeida Junior Oswaldo.
Hemeroteca Municipal de Lisboa. João Carlos Salvador da Silva de Oliveira, Álvaro Costa de Matos.
Leituras


O texto completo dos artigos está disponível no URL: http://www.bad.pt/publicacoes/index.php/cadernos/issue/view/64

14 de set de 2015

Curso: Preservação digital

Prezados



Vimos informar que foi prorrogado, para o dia 17 de setembro próximo, o prazo de inscrição no 1o. Workshop de Preservação Digital realizado em parceria entre a Espanha e o Brasil, como parte das atividades na IFLA - Seção da América Latina e do Caribe, no Campus da USP de Ribeirão Preto no período de 19 a 23 de outubro de 2015.

Aproveitamos para divulgar o Conteúdo Programático do referido Workshop, bem como o endereço da página onde os interessados poderão acessar mais informações sobre procedimentos para inscrição: 

Agradecemos se puder repassar a possíveis interessados.

Atenciosamente,



Sueli Mara Ferreira

4 de set de 2015

Novo número: Revista Ibero-americana de Ciência da Informação

Novo número: Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação
--
Acaba de ser publicado o v. 8, n. 2 da Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, periódico científico do Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação da Faculdade de Ciência da Informação (FCI) da UnB

http://periodicos.unb.br/index.php/rici

Agradeceremos sua difusão

Prof. Murilo Bastos da Cunha
Editor Geral