30 de ago de 2013

Biblioteca digital oferece a história da Bahia


Autoria: Mariana Mendes.

Fonte: A Tarde (Salvador, BA). Data: 1/08/2013.

Fonte: http://atarde.uol.com.br/digital/materias/1522635-biblioteca-virtual-oferece-a-historia-da-bahia-na-web

O acesso ao conhecimento nunca será demais, principalmente, quando ele está ligado a história. E foi com esta ideia que surgiu a Biblioteca Virtual 2 de Julho (www.bv2dejulho.ba.gov.br), no ar desde dezembro de 2011, projeto da Fundação Pedro Calmon. Por meio dela, os amantes e curiosos da memória da Bahia podem saber mais sobre a trajetória histórica da primeira capital do País, a guerra da independência, seus heróis e personagens, governantes e muitos outros assuntos. Mais que um endereço na Web, é uma porta de acesso às fontes históricas que marcaram época e aos fatos que continuam sendo escritos.

"Ela (a biblioteca) nasceu com o objetivo de ser um espaço de referência sobre a história da Bahia", conta Maria Cristina Santos, diretora da Biblioteca Virtual 2 de Julho.

Já são cerca de 6 mil acessos por mês, com visitações também de outros estados e países. Portugal, Canadá e Estados Unidos estão entre os que mais procuram a biblioteca virtual. Isto porque o acervo da BV 2 de Julho utiliza os formatos multimídia, hipertextual e interativo para disponibilizar e referenciar livros, capítulos, e-books, teses, dissertações, artigos, periódicos, obras raras e valiosas, registros audiovisuais e iconográficos.

Há também o acesso a documentos históricos do Arquivo Público, Centro de Memória da Bahia e bibliotecas públicas do Estado. Tudo isso com um acesso prático e rápido, levando em conta a comodidade de acessar a internet a qualquer hora ou lugar.

Saber um pouco mais sobre quem foi os personagens que fizeram parte dos acontecimentos também está entre as opções. A religiosa Joana Angélica, o Visconde de Pirajá, Maria Quitéria estão entre os nomes com trajetória de vida e luta pela Bahia exibidos na biblioteca.

No espaço ainda pode-se saber quais símbolos representam o Estado, como o Hino da Bahia, renomeado para Hino ao 2 de Julho desde 2010, que pode ser ouvido e baixado por download pelos visitantes.

Com informações divididas em blocos e catalogadas por assuntos, a Biblioteca Virtual disponibiliza ainda exposições virtuais e edições especiais. Nelas há, por exemplo, a história do Elevador Lacerda, com texto e fotos, a Guerra de Canudos e a Rota da Independência.

O canal "Colabore Conosco" é um diferencial. Abre espaço para que historiadores e pesquisadores sobre a Bahia façam suas contribuições, sejam elas sobre a cultura, religião, economia, ou qualquer outro assunto que ajude a contar em detalhes a história do Estado e de seu povo. O material é analisado, avaliado e, caso seja aprovado, pode ser integrado ao acervo.

Navegabilidade - A navegação na BV 2 de Julho, um fator fundamental em qualquer portal, é cômoda para o usuário. Expõe com facilidade suas informações ao visitante. Ao longo das pesquisas nas páginas é possível ainda baixar arquivos, que podem ser salvos e guardados para uma leitura posterior. Os canais estão em evidência e os novos conteúdos sempre em destaque na home. Na dúvida, vale ir ao Mapa da Biblioteca e checar a distribuição do acervo.

Expansão - A Biblioteca Virtual 2 de Julho já tem planos de ampliação. A lista de projetos a serem desenvolvidos incluem, segundo Maria Cristina, ampliar o acesso para tablets e Smartphones na plataforma adequada; possibilitar a navegação para portadores de necessidades especiais; além das constantes atualizações no portal para que a visitação fique cada vez mais moderna e ágil. "Entendemos que temos que estar sempre aperfeiçoando e sendo um atrativo para o público", diz a diretora. A maior inclusão da BV 2 de Julho no ensino das escolas públicas do Estado também está entre os objetivos.

 

Nota:

Detalhes no URL: www.bv2dejulho.ba.gov.br

Adolescente é intimado pela polícia a devolver um livro emprestado


Fonte: Portal G1, Paraná. Data: 29/07/2013.

Um adolescente de 17 anos de Arapoti, na região central do Paraná, foi intimado pela Polícia Civil a devolver um livro infantil que pegou emprestado na Biblioteca Pública em janeiro deste ano. Segundo a polícia, o menor tem até esta terça-feira (30) para efetuar a devolução, caso contrário, receberá outra intimação e poderá responder pelo crime de desobediência.

Em entrevista ao G1, o pai do adolescente, Elias Pascoal Nunes, disse que a Biblioteca Pública não entrou em contato anteriormente com a família para alertar sobre o atraso e pedir a devolução. “O meu filho empresta livro na biblioteca a cada 15 dias, eles poderiam ter ligado que a gente levava o livro até lá, não precisava dessa atitude abusiva”, critica. Ainda de acordo com ele, a intimação com o nome do filho foi entregue para um pedreiro que fazia obras na casa da família e não nas mãos dele ou do próprio filho. “Isso revoltou ainda mais, deu a impressão que somos bandidos, que o meu filho fez algo de grave”, alega.

Nunes conta ainda que um representante da Secretaria Municipal de Educação ligou para ele nesta segunda-feira (29) e fez um convite para que ele comparecesse ao departamento para que pudesse explicar a situação. No entanto, ele recusou e afirmou que terça-feira irá até a Delegacia com o filho e o livro e depois fará uma reclamação na Procuradoria de Justiça. “Essa atitude abusiva desestimula a leitura e faz com que os adolescentes não queiram mais ir até a biblioteca emprestar livros”, finaliza.

A secretária municipal de Educação de Arapoti, Rosi Rogenski, explica que a funcionária da biblioteca tomou a atitude de ir até a delegacia e fazer um Boletim de Ocorrência sem consultar a Secretaria. “Hoje pela manhã ela me disse que ligou para a mãe do rapaz algumas vezes, mas como o livro não foi devolvido decidiu fazer o Boletim de Ocorrência”, explica.

Ainda segundo a Secretaria Municipal de Educação, a bibliotecária adotou o procedimento que é estipulado pelo Manual da Biblioteca Cidadã. Em um dos tópicos, o manual indica que se a devolução de livros demorarem a acontecer, a biblioteca pode tomar atitudes mais sérias e duras, como a realização de um Boletim de Ocorrência, para não correr o risco de perder definitivamente a obra.

“Esse não é um procedimento aconselhado pelo município, se ela tivesse conversado com a gente teríamos indicado que ela fosse até a casa do adolescente para recuperar o livro e de jeito nenhum fosse até a delegacia”, afirma a secretária de educação Rosi Rogenski. Ela disse ainda que disse que vai ser reunir com a administração do município para decidir qual procedimento tomar em relação a esse caso e inclusive a funcionária.

Evento: Redes de serviços bibliotecários



Data: 30 de setembro de3 2013. Local: Florianópolis (SC).

O Sistema de Bibliotecas Universitárias (SiBi) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em parceria com a International Association of Technological University Libraries (IATUL), realizará o evento “Challenges of networking library services” (Desafios das redes de serviços bibliotecários).

O evento tem por objetivo promover um fórum para que diretores de bibliotecas universitárias na América Latina e Caribe possam se reunir e trocar experiências e pontos de vista sobre a gestão dos serviços consorciados em redes para bibliotecas universitárias, proporcionando uma oportunidade para o desenvolvimento de abordagens colaborativas para a resolução de problemas.



21 de ago de 2013

IFLA: tendências do ambiente da informação

Relatório da IFLA sobre as tendências do ambiente da informação identificou aquelas que mudarão ou estão mudando esse ambiente. O link para o relatório completo, em inglês, encontra-se no final desta mensagem.

CINCO PRINCIPAIS TENDÊNCIAS QUE MUDARÃO NOSSO AMBIENTE INFORMACIONAL

TENDÊNCIA 1
AS NOVAS TECNOLOGIAS TANTO AMPLIARÃO QUANTO LIMITARÃO AQUELES QUE TÊM ACESSO À INFORMAÇÃO

Um universo digital em permanente expansão dará mais valor às capacidades ligadas à competência informacional, tais como leitura básica e proficiência com as ferramentas digitais. As pessoas que não possuírem essas capacidades enfrentarão barreiras à inclusão numa variedade crescente de áreas. A natureza de novos modelos de negócios eletrônicos em linha terá uma forte influência sobre quem poderá possuir, auferir benefício, compartilhar ou acessar informações no futuro.

TENDÊNCIA 2
A EDUCAÇÃO PELA INTERNET DEMOCRATIZARÁ E ROMPERÁ COM O ENSINO EM ESCALA GLOBAL

A rápida expansão, em escala planetária, dos recursos de educação pela internet fará com que as oportunidades de aprendizagem se tornem mais abundantes, mais baratas e mais acessíveis. Ganhará importância o aprendizado por toda a vida e se dará mais reconhecimento ao ensino não formal e informal.

TENDÊNCIA 3
OS LIMITES DA PRIVACIDADE E DA PROTEÇÃO DE DADOS SERÃO REDEFINIDOS

Os arquivos de dados em expansão, mantidos por governos e empresas, poderão comportar perfis minuciosos das pessoas, ao mesmo tempo em que métodos sofisticados de monitoramento e filtragem de dados de comunicações tornarão mais barato e mais fácil o rastreamento dessas pessoas. Isso poderá trazer sérias consequências para a privacidade individual e para a confiança no mundo da internet.

TENDÊNCIA 4
AS SOCIEDADES HIPERCONECTADAS OUVIRÃO E EMPODERARÃO NOVAS VOZES E NOVOS GRUPOS

Nas sociedades hiperconectadas ocorrem mais oportunidades de ação coletiva, permitindo o aparecimento de vozes novas e promovendo o desenvolvimento de movimentos centrados num único problema, em detrimento dos partidos políticos tradicionais. Iniciativas de governo aberto e acesso a dados do setor público levarão a mais transparência e a serviços públicos focados no cidadão.

TENDÊNCIA 5
A ECONOMIA GLOBAL DA INFORMAÇÃO SERÁ TRANSFORMADA PELAS NOVAS TECNOLOGIAS

A proliferação de dispositivos móveis hiperconectados, de sensores em rede em aparelhos e na infraestrutura, de impressão 3D e tecnologias de tradução de línguas transformarão a economia global da informação. Os atuais modelos de negócios em inúmeras indústrias sofrerão uma destruição criativa desencadeada por dispositivos inovadores que permitirão às pessoas continuarem economicamente ativas durante mais tempo em sua vida e a partir de qualquer local.
Detalhes no URL:
 
Extraído da ABRAINFO, 21/08/2013.

5 de ago de 2013

Aposentado mantém biblioteca com mais de quatro mil livros

Fonte: Portal G1, Rio Grande do Norte. Data: 17/06/2013.
O aposentado José Pequeno de Sousa aprendeu a ler aos 39 anos de idade e nunca mais parou. Hoje, aos 81 anos, ele tem em casa uma biblioteca com cerca de quatro mil livros. Seu Zé é um colecionar de palavras que nunca acumulou bens materiais na vida, só conhecimento. Desde 1962 que esse paraibano de Campina Grande, não pensa em outra coisa, a não ser juntar livros na casa onde mora em Apodi, município a 320 quilômetros de Natal. Já são 50 anos de leituras e de inúmeras descobertas.
“É o conhecimento que a gente leva”, diz. Hoje, com a visão cansada, seu Zé já não lê como antes, mas a biblioteca particular continua crescendo. A pequena casa está entupida de livros, na última contagem eram 4 mil títulos devidamente organizados na sala, no armário da cozinha, em cima da bicicleta, sobre a mesa, onde tiver espaço sobrando tem livro ao alcance.
A esposa de José Pequeno, Maria Crisóstomo, apesar de viver numa biblioteca, nunca leu nada. Ela é analfabeta, mas diz que gosta da presença dos livros. “Eu acho muito bom porque é cultura. A casa fica animada, tem visita de pessoas que querem ver os livros”, diz Maria.
Na biblioteca de Zé Pequeno não existe seleção. De tudo tem. Enciclopédias, literaturas, manuais, no acervo é possível encontrar até guias para alunos de medicina. Ele não se importa de repartir o conhecimento dos livros que tem guardado, ele gosta de receber visita das pessoas interessadas em aprender. Mas tem um detalhe a pessoa tem que fazer a leitura na casa, sob a vigilância dele. Ele não empresta livro a ninguém.
“Eu tenho ciúme dos livros”, diz Seu Zé. Essa regra de não emprestar livros veio depois de algumas experiências desagradáveis. Certa vez, seu Zé emprestou um exemplar da biblioteca a uma pessoa que nunca mais voltou pra devolver. Mesmo sabendo que os livros não podem mais sair de casa, tem gente que ainda insiste em pedir alguns títulos emprestados.

Com tantos livros em casa, uma pergunta precisa ser feita: no futuro, quem vai ficar com esse acervo? A ideia é deixar essa responsabilidade nas mãos do único filho de Zé Pequeno, que hoje mora em Pau dos Ferros. Mas isso não é uma certeza. A biblioteca deve ficar com pessoas que gostem de ler, colecionar, preservar o conhecimento assim como seu Zé Pequeno vem fazendo ao longo de décadas.

Evento: Informação em Arte

O III Seminário de Informação em Arte pretende revelar a influência das tecnologias no fazer bibliotecário, especialmente, os que lidam com Arte e Cultura.
O Seminário tem como Tema Central: A influência das tecnologias no fazer bibliotecário. E como Áreas Temáticas:
Temática I – Tecnologia e sociedade: inclusão social
Acesso à informação por deficientes possibilitadas pelos avanços tecnológicos (estão incluídos aqui subtemas como cinema para cegos, áudio livro, áudio descrição, internet para cegos, documentos em Braille, biblioteca para surdos, direito autoral e audiovisual).
Temática II – Ambientes virtuais de interação
Tecnologias, cultura e práticas interativas. Redes (de criação, de colaboração, de cooperação e de compartilhamento). Aplicações 2.0. Cultura livre. Direito autoral. Apropriação de imagem.
Temática III: Tecnologia como ferramenta para a gestão da informação.
Preservação digital. Curadoria digital. Sistemas para o tratamento técnico de documentos.


Bienal do Rio terá autores estrangeiros

Fonte: Informe SNEL. Data: 29/07/2013.

Com 28 nomes confirmados para compor a programação oficial, a XVI Bienal do Livro do Rio de Janeiro, que ocorrerá entre 29/08 e 08/09, no Riocentro, já tem seu elenco estrangeiro definido. A lista é capitaneada pelo americano Nicholas Sparks, autor dos inúmeros best-sellers românticos. Outro fenômeno editorial é James C. Hunter (EUA), de O monge e o executivo, que já vendeu três milhões de cópias apenas no Brasil. A febre mundial da literatura erótica será representada pela americana Sylvia Day, autora do best-seller Toda sua, e o gênero chic lit pela também americana Emily Giffin, que escreveu romances como Presentes da vida e Ame o que é seu. Mas não só de americanos é composto a programação estrangeira. A Bienal receberá também o moçambicano Mia Couto, o argentino Cesar Aira e o português Nuno Carneiro.

Evento: Catalogação

Pela primeira vez no Brasil, o IX Encontro Internacional de Catalogadores ocorrerá em conjunto com o II Encontro Nacional de Catalogadores entre os dias 27 a 29 de novembro de 2013. A organização do evento é da Fundação Biblioteca Nacional do Brasil.
A partir da tradição iniciada na série de encontros internacionais, o evento contemplará a Apresentação de Trabalhos Orais, Eventos Paralelos e Sessões Plenárias e proporcionará espaço para o debate a a formulação de recomendações, aperfeiçoamentos e ampliações de ações na área de Catalogação.
Histórico:
2005 - Perú - "Nuevas Tendencias en la Normalización y Sistematización de la Información”
2006 - México - "Tendencias en la Teoría y Práctica de la Catalogación Bibliográfica"
2007 - Argentina - "Tendencias actuales en la organización de la información"
2008 - Colômbia - "La Organización de la Información Frente a los Cambios de las Normas Internacionales"
2009 - República Dominicana - "Organización de la Información en el contexto de las nuevas normas internacionales"
2010 - Costa Rica - "Aplicaciones Tecnológicas y la nueva normativa en el procesamiento técnico de la información: una visión para el cambio"
2011 - Argentina - "Estándares y procedimientos para la organización de la información"
2012 - Venezuela - "Perspectivas Sociales de la Catalogación"
2013 - Brasil - "Catalogação: do real ao virtual"
Neste ano, a tônica das discussões volta-se para a transição da catalogação do real ao virtual e considera três eixos temáticos:
- Novos rumos da catalogação
O século XXI apresenta-se como um tempo de grandes mudanças teóricas e práticas na catalogação: novas ferramentas, novos códigos, novas configurações de trabalho.
- Produtos e serviços de catalogação
Resultados da práxis da catalogação e os impactos das mudanças paradigmáticas da área decorrentes das novas tecnologias de informação e comunicação.
- Políticas públicas para catalogação
Discussão e propostas que envolvem as organizações públicas diante dos novos rumos da catalogação e da aplicação das mudanças em seus produtos e serviços.

Informações sobre meteoritos

O que aconteceria se um grande meteorito ou outro objeto atingisse a Terra? É algo que, durante décadas, sempre preocupou as mentes dos astrofísicos. Agora, qualquer pessoa  pode criar seu próprio impacto simulado com  o sítio "Terra de Impacto" da Universidade de Purdue. Para começar, os visitantes podem navegar na área “Crateras Famosas”. Esta parte inclui alguns "clássicos", como a cratera de Ries e Fireball Tunguska. Os visitantes podem simular o seu próprio impacto e os parâmetros de destino para obter o efeito completo. O sítio também inclui um arquivo com a documentação sobre o tema e um glossário detalhado.

Detalhes no URL: www.purdue.edu/impactearth