26 de abr de 2013

Catalogação de objetos digitais


Editado em 2006, pela American Library Association, este manual centra-se na apresentação de orientações para a descrição, documentação e catalogação de bens culturais em geral. Direcionado para as áreas da Arte e Arquitetura, não deixa de ser essencial para quem pretende descrever outros objetos de cultura material.
Encontra-se organizado em três partes. A primeira parte contém princípios orientadores para uma catalogação do objeto com requisitos mínimos de descrição. A segunda parte, organizada em nove capítulos aborda, de uma forma mais complexa, os elementos descritivos que cada registro deve conter. Cada capítulo apresenta e discute um ou mais metadados assim como as relações que possam existir entre eles. Finalmente, a terceira parte descreve os elementos que devem ser incluídos nos registros de autoridade assim como alguns procedimentos que devem ser tidos em conta na construção destes registros.
Referência bibliográfica:
BACA, Murtha, ed. Cataloging cultural objects: a guide to describing cultural works and their images . Chicago: American Library Association, 2006. 396 p. ISBN 978-0-8389-3564-4.
Esta obra encontra-se atualmente disponível para consulta e download em http://cco.vrafoundation.org/index.php/

Evento: Seminário em Ciência da Informação


Evento: V Seminário em Ciência da Informação - SECIN
Data: 22 a 24 de maio de 2013.
Tema: “De Ambientes Estáticos para a Comunicação Móvel”
Local: Universidade Estadual de Londrina - UEL
Objetivo: Troca de informações entre discentes e docentes, pesquisadores e profissionais das áreas de Ciência da Informação.

Reforma da Biblioteca Câmara Cascudo (Natal, RN)


Fonte: Tribuna do Norte (Natal, RN). Data: 10/04/2013.
Autoria: Alexis Peixoto.
A saga da Biblioteca Câmara Cascudo ganha um novo capítulo. Depois de uma espera que já dura quatro anos, as obras de reforma e restauração do prédio onde funciona a maior biblioteca pública do Rio Grande do Norte devem começar na próxima semana, com prazo de conclusão estimado em doze meses. Na manhã de ontem, a reportagem do VIVER acompanhou, em visita à BPCC, uma comissão técnica formada pelo diretor da instituição, Márcio Rodrigues; pelo inspetor fiscal da Secretaria Estadual de Infraestrutura, Genardo Lucas; pelo chefe do setor de patrimônio da Fundação José Augusto, Sérgio Wycliffe; e pelo engenheiro Flávio Guedes, representante da empresa Flague Construções Ltda, que irá assumir a obra. A comissão examinou in loco as condições atuais do imóvel e definiu quais serão as medidas prioritárias para começar o serviço. Contudo, a questão do armazenamento do acervo da biblioteca continua pendente.
Durante a visita, a comissão técnica percorreu os três pavimentos da biblioteca. Em todos os ambientes o cenário encontrado é praticamente o mesmo: livros e revistas empilhados em cima de mesas, distribuídos em estantes enferrujadas ou guardados em caixas de papelão.
Segundo o diretor da Biblioteca, Márcio Rodrigues, dos 100 mil livros que compõem o acervo apenas 10% estão empacotados e prontos para o transporte. O restante ainda precisa passar pelo processo de higienização, para remoção do excesso de poeira, antes de ser guardado nas caixas. “Devemos terminar de limpar ainda esta semana. A correria agora vai ser terminar de empacotar tudo até o início das obras”, disse.
Além do trabalho braçal de limpar e empacotar os livros, há outro problema que precisa ser resolvido: o local para acomodar o acervo. Para o engenheiro fiscal da Secretaria de Infraestrutura, Genardo Lucas, a melhor solução é guardar os livros na própria Biblioteca. “O transporte do acervo é trabalhoso. Pode danificar os livros e atrasar o cronograma da obra. Uma solução possível é armazenar os livros em um ambiente da própria biblioteca, que ficará fechado e longe das áreas onde estão sendo feitas as intervenções”, opina Genardo.
Polêmica
Oficialmente, o plano da Fundação José Augusto, instituição responsável pela BPCC, é levar os livros para o antigo Centro Experimental de Teatro no bairro Tirol. Porém, em novembro do ano passado, veio a polêmica: a direção do Aeroclube Natal reivindicou a posse definitiva do terreno onde funcionou o Centro Experimental. A área, de 38 mil m², foi cedida pelo Governo do RN ao Aeroclube na década de 1920, para realização de cursos de aviação. A disputa ainda corre na justiça, acompanhada pela Procuradoria Geral do Estado.
Segundo a diretora administrativa da FJA, Ivanira Machado, a possibilidade de transportar os livros da BPCC para o Centro Experimental de Teatro não foi descartada. “Estamos conversando com a direção do Aeroclube e já acertamos que os livros vão ficar lá. Mas não temos data para começar a remover o acervo”, diz.
Questionada pela reportagem se o atraso no transporte dos livros poderia colocar em risco as obras na Biblioteca, Ivanira foi taxativa: “Não existe essa possibilidade. Vamos resolver tudo seguindo o cronograma”.
Reforma amplia capacidade do acervo
Para o engenheiro Flávio Guedes, da Frague Construções Ltda, a melhor maneira de começar a colocar ordem na Biblioteca Câmara Cascudo é pelo reparo da cobertura, para evitar novas infiltrações. “A prioridade é consertar o telhado. Queremos aproveitar o período atual, de poucas chuvas, e começar imediatamente já na próxima semana”, afirmou Guedes.
Após a etapa inicial, o passo seguinte é reformar os pavimentos superiores, onde deve ser construído um auditório. No térreo, será criado um espaço infantil e, no saguão de entrada, uma recepção. Além disso, com a ampliação dos ambientes internos, a capacidade de armazenamento da biblioteca deve dobrar, atingindo a capacidade de 200 mil volumes. A informatização do acervo, com direito a instalação de terminais de consulta, também está prevista.
A obra de restauração da Biblioteca Câmara Cascudo está orçada em R$ 1,5 milhão, sendo R$ 1,1 milhão proveniente de verbas federais do Ministério da Cultura e R$ 400 mil de contrapartida do Governo Estadual. O prazo para conclusão é de doze meses, a contar do início da obra.

Lançado o Scielo Livros


Fonte: Scielo.
SciELO, um importante indexador e publicador de periódicos online em acesso aberto, anuncia SciELO Livros (http://livros.scielo.org), uma coleção de ebooks avaliada pela qualidade disponível em Acesso Aberto e comercial nas áreas de Humanas, Ciências Sociais e Saúde Pública de editoras universitárias selecionadas e outros publicadores acadêmicos do Brasil. O escopo da coleção aumentará progressivamente à medida que editoras universitárias e publicadores acadêmicos  de outros países da América Latina e Caribe se juntarem ao projeto.
Atualmente há cerca de 300 ebooks disponíveis para download e espera-se que esse número cresça para mais de 500 títulos por ano. SciELO acredita em padrões abertos e que usuários sejam livres para realizar a leitura em qualquer dispositivo, de forma que os ebooks estão sendo disponibilizados nos formatos ePub e PDF com a opção de download do livro inteiro ou apenas capítulos individuais em PDF.
Essa nova operação em ebook foi lançada em Março de 2012 com três membros fundadores – as editoras da Universidade do Estado de São Paulo (UNESP), Universidade Federal da Bahia (EDUFBA) e Fiocruz no Brasil. A inclusão das editoras da Universidade Estadual da Paraíba (EDUEPB), Universidade Estadual de Londrina (EDUEL) e Universidade Federal de São Carlos (EDUFSCar) elevou o total para seis editoras. Novas editoras estão sendo incluídas de forma contínua na coleção SciELO Livros.
Maiores detalhes no URL: http://livros.scielo.org

Biblioteca de partituras musicais


Autor: Paulo Virgilio.
Fonte: Portal Terra. Data: 10/04/2013.
O Serviço Social do Comércio (Sesc) comemora no próximo sábado (13) o primeiro aniversário do projeto Sesc Partituras, que tem como objetivo o resgate da música erudita brasileira, com 26 concertos em 24 estados do país. Em cada um deles foram convidados para as apresentações músicos, corais e orquestras locais, como forma de incentivar os artistas regionais.
Única biblioteca online de partituras, com acervo exclusivamente de compositores brasileiros, o projeto disponibiliza gratuitamente obras na íntegra, desde o período colonial até os dias atuais. Algumas das partituras, algumas composições são acompanhadas de arquivos de áudio no formado MP3, com a execução mecânica da partitura, gerada por um software de editoração.
'Nosso principal objetivo é preservar e difundir o patrimônio musical brasileiro, democratizando o seu acesso', explica a coordenadora do projeto, Sylvia Guida. Muitos dos compositores incluídos no acervo ainda são jovens, conhecidos apenas nas suas regiões. O site do projeto tem uma média de 4.500 acessos por mês e, além de todo o conteúdo da biblioteca, oferece aos músicos a possibilidade de inclusão de suas novas obras. Para isso, há um canal de comunicação direta com os administradores do projeto.
Entre outros, estão confirmados na programação que celebra o aniversário do Sesc Partituras as orquestras Sinfônica de Teresina (PI), Sergipana de Contrabaixos (SE) e Sinfônica dos Girassóis (TO), os quintetos de Sopros da Amazonas Filarmônica (AM) e de Cordas Unisinos (RS), os quartetos Musical (DF), de Trombones da Paraíba (PB) e o trio Caldo de Cana (MS). Em alguns estados, vão se apresentar solistas, como o violonista Nonato Leal (AP), o violinista Anderson Rocha (GO) e o pianista Marcos Aragoni (SP).
No Rio de Janeiro, o concerto será do Quinteto Lorenzo Fernandez, às 19h, no Teatro da Escola Sesc de Ensino Médio (Esem), na Avenida Ayrton Senna, 5677, em Jacarepaguá, zona oeste da cidade. No repertório, obras dos compositores Ernesto Nazareth, Guerra Peixe, Francisco Mignone, Orlando Alves e Rafael Bezerra.

Exposição: Livros viajantes


No período de 20 de Abril a 19 de Maio de 2013, o SESC Bom Retiro recebe a exposição Lá & Cá, Os Livros Viajantes. A mostra contém ilustrações dos artistas portugueses, com a criação de um mar cenográfico onde navegarão as ilustrações de Portugal para o Brasil.
 Nas passarelas que levam à Biblioteca, o público será conduzindo em meio a bandos de andorinhas e cardumes de sardinhas portuguesas. Na biblioteca, será estruturada uma área lúdica de leitura, onde os leitores encontrarão com os autores por meio de seus livros, organizados no formato de livros-almofadas. O escritor português Manuel Pina, será homenageado com a apresentação do poema “Gigões e Anantes” e uma exposição exclusiva de 12 ilustrações feitas especialmente para o projeto.
No piso, serão adesivadas palavras portuguesas e suas traduções na forma de desenhos, palavras e cores, propondo jogos de descoberta, estimulando a criatividade e percepção e nas paredes os mapas dos dois países Brasil e Portugal, dividirão espaço.
Com a curadoria de José Santos e Selma Maria, a mostra Lá & Cá volta nosso olhar para o que de melhor tem sido produzido na literatura para crianças e jovens, fazendo referência a Portugal, com obras de vinte e cinco de seus ilustradores contemporâneos. Além disso, a exposição faz um recorte sobre autores e obras dedicadas às crianças portuguesas
SESC BOM RETIRO
Endereço: Alameda Nothmann, 185. Bom Retiro - São Paulo - SP
CEP: 01216-000 telefone: (11) 3332-3600
horário de Funcionamento
terça a sexta, das 9h às 20h30
sábado, das 10h às 18h30
domingo e feriados, das 10h às 17h30.

18 de abr de 2013

RPG na biblioteca pública


Fonte: Paraná Online. Data: 16/04/2013.
URL: http://www.parana-online.com.br/colunistas/207/96525/
A Biblioteca Pública do Paraná, em parceria com o Estúdio UCMComics, promove um evento dedicado aos fãs de RPG. O encontro será sábado (20), das 13h às 17h. Para participar dos jogos, a UCMComics disponibiliza em seu site um passe que serve de inscrição. Será necessária a apresentação do passe para a entrada no prédio no sábado. Mais informações pelo telefone: 3221-4980.

Evento: Bibliotecas públicas


O Fórum Brasileiro de Bibliotecas Públicas é um evento organizado pelo SNBP. Configura-se como um evento paralelo ao Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação (CBBD) e esta na sua terceira edição.
Tem por objetivo fomentar a pesquisa na área de Biblioteconomia e Ciência da Informação e divulgar as práticas em Bibliotecas Públicas.
Acontecerá entre os dias 7 a 10 de julho, em Florianópolis, Santa Catarina.
O dia 7 de julho, domingo, será reservado para abertura seguida de palestras e o encerramento acontecerá no dia 10 de julho. Diferentemente dos anos anteriores, a apresentação de trabalhos acontecerá dentro do XXV CBBD, na temática: Bibliotecas Públicas.
Para participar é necessário fazer sua inscrição no XXV CBBD.

Projetos para bibliotecas públicas


Projetos em e para bibliotecas públicas dentro do programa IBERBIBLIOTECAS. O Brasil aderiu ao programa em 2012, por meio da Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) é o articulador dessa ação junto ao CERLALC e a SEGIB, organizadoras do Programa.
Este é o primeiro ano do Programa nessa nova configuração e, portanto, os recursos ainda não são muito grandes, mas mesmo assim considero uma ótima oportunidade para implementarmos projetos de qualidade nessa área.
Detalhes no URL:

Evento: Gestão do conhecimento


Evento: Gestão do Conhecimento
VII Congresso Brasileiro para Gestão do Conhecimento na Esfera Pública (CONGEP) que a Sociedade Brasileira para a Gestão do Conhecimento (SBGC) promoverá, em Brasília, no próximo mês de junho.
O terceiro dia do evento será, exclusivamente, voltado para a temática da Gestão do Conhecimento no Judiciário.

Notícias da ABRAINFO


Estamos chegando ao fim da longa jornada. Agradeço a todos que nos ajudaram a superar esse caminho cheio de incertezas e insídias, que nos animaram com suas palavras de estímulo. Dei o melhor de mim, mas os obstáculos foram, são e serão maiores do que uma ave que não faz verão. Ponto final.
E início de uma nova e luminosa fase. Finalmente, estamos na reta final para dar o registro de nascimento e a vida civil legal à ABRAINFO. Até o começo de maio teremos o nosso nosso site e, com ele, o início do processo de filiação. A meta é chegarmos a 1000 associados até o final do ano. Os primeiros que serão chamados são os colegas que estão nesse grupo, os participantes de primeira hora. A colaboração inicial que pedimos a todos é simples: convidem, no mínimo, mais três colegas atuantes na área da informação - sem muros. Convidem formados e em formação - sem muros. Temos aqui 627 participantes. Podemos chegar, rapidinho, a 1800? Usem a ferramenta do próprio grupo para fazer os convites.
Estamos iniciando uma nova e longa jornada. Sucesso para todos nós.
Luís Milanesi

17 de abr de 2013

Novo número: Datagramazero


Acaba de ser publicado o número de abril de 2013 da revista Datagramazero. Abaixo o sumário desse novo número:
1 - A informação em devir(es):uma reflexão filosófica no contexto da(s) disciplinaridade(s)na Ciência da Informação. Jonathas Luiz Carvalho Silva e Henriette Ferreira Gomes.
O presente artigo discute as concepções de devir no seio da história da Filosofia contemplando os pensamentos de Heráclito de Éfeso, Hegel, Nietzsche, Bergon, Deleuze/Guatarri. Apresenta como problemática uma questão que pode ser discutida a partir da seguinte pergunta: Como e por meio de que condições se caracteriza o devir filosófico da informação?
2 - A cidade como nó de informação. Lúcia Maciel Barbosa de Oliveira.
Mostra a ideia da cidade como espaço fundamental da experiência humana, propiciadora de contatos e intercâmbios é tarefa mais do que urgente. Cultura e Informação têm papel de relevo nesse desafio. A tendência à retirada dos espaços públicos para o refúgio doméstico, hoje redimensionado pelas conexões possibilitadas pelas novas tecnologias de informação.
3 - A informação no rádio como estímulo a produção do conhecimento no ouvinte. Thiers Gomes da Silva e Oswaldo Francisco de Almeida Júnior.
O artigo apresenta conceitos e informações evidenciando que os programas radiofônicos, estando em consenso com as mediações no processo de comunicação para a transmissão da informação, podem servir de estímulo para a geração do conhecimento.
4 - Tecnologias da informação, mudança e administração pública. Alex Moreira e Luiz e Cláudio Gomes Maia.
Artigo apresenta uma reflexão sobre as rupturas sócio institucionais geradas pela utilização das tecnologias da informação, assim como seu papel no desenvolvimento de uma cidadania participativa, de controle social das organizações públicas e sua consequente importância no apoio à gestão governamental.
5 - A construção do conhecimento sobre governança corporativa: uma análise bibliométrica.  Elaine Cristina Lopes e Marta Lígia Pomim Valentim e Ely Francina Tannuri de Oliveira e Maria Claudia Cabrini Grácio.
Este artigo trata da temática de governança corporativa que representa um conjunto de mecanismos das empresas e que estabelecem parâmetros para o relacionamento entre os acionistas s e demais partes que possuam interesses nessas empresas.
6 - Modelos teóricos de estudos de usuários na ciência da informação. Elizabeth Almeida Rolim e Beatriz Valadares Cendón.
O corrente artigo apresenta o crescimento dos estudos de usuários, mas aponta carência de bases teóricas destes estudos; mostra os principais modelos teóricos de abordagem alternativa. Conclui-se que os modelos teóricos devem ser mais utilizados para orientar a coleta e análise de dados nos estudos de usuários.
7 - Análises sobre a (não) relação entre a Arquivologia e os estudos bibliométricos e quantitativos, Roberto Lopes dos Santos Junior.
Estudo identificando de que forma a disciplina arquivística utilizou-se de conceitos ligados ao estudo de metrias (Bibliometria, Cientometria, Informetria e Webometria), ou a outros tipos de analises quantitativas, em seu escopo teórico e prático

Os textos completos dos artigos estão nos URLs:
http://www.datagramazero.org.br

Biblioteca com espaço de leitura a céu aberto


Fonte: Jornal Panorama. Data: 28/03/2013.
URL: www.jornalpanorama.com.br/?p=64027
A Biblioteca Pública Professor Gustavo Adolfo Koetz comemorou, nesta quarta-feira, seus 39 anos. Um dia de eventos marcou a data, destacando-se a inauguração de um espaço de leitura a céu aberto. O Paranhanaecke fica às margens do Rio Paranhana, ao lado da Fundação Cultural, dentro do Parque da Oktoberfest.
“Queremos que este seja um espaço de contato entre a cultura, a leitura e a natureza”, disse o coordenador cultural e administrativo da Fundação Cultural, que administra a Biblioteca, Juliano Müller de Oliveira. “A ideia é levar esta experiência para o cotidiano das pessoas. Queremos que, em um dia qualquer, ao passar perto do parque, as pessoas entrem, sentem na sombra e se deem ao prazer de ler um livro”, comentou o coordenador.
Segundo Juliano, o espaço faz parte do projeto de revitalização do Parque da Oktoberfest. “Queremos tornar o Parque um espaço familiar, jamais permitindo que ele fique ocioso. Queremos que ele se torne um espaço de todos os igrejinhenses, um local para se ir, a qualquer momento, com a esposa, o marido, os filhos, a namorada”, comentou o coordenador.
Além da inauguração do espaço de leitura, a quarta-feira foi marcada por atividades como a presença do autor Charles Kiefer e a apresentação de um trabalho sobre a Páscoa, realizado por alunos do CMEAE (Centro Municipal De Atividades Educacionais Aprender). Para finalizar as atividades, foi realizado o Sarau Letras e Sons.

Obras raras do MEC são recuperadas


Fonte: Ministério da Educação. Data: 12/03/2013.
Obras raras do século XIX, de história do Brasil e outras coleções antigas da biblioteca do Ministério da Educação, passam por processo de higienização e restauração. O trabalho teve início em fevereiro e o contrato com a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal (Apae-DF) tem duração de um ano. Dez jovens, com mais de 18 anos, revezam-se no trabalho. Todos passaram por curso técnico, realizado pela Universidade de Brasília (UnB).
 “Depois desse trabalho de higienização e de pequenos reparos, os acervos serão digitalizados e ficarão disponíveis no portal Domínio Público”, explica Alex da Silveira, coordenador do Centro de Informação e da Biblioteca em Educação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Ele se refere ao portal mantido pelo MEC, onde pode ser encontrado grande número de obras literárias que já estão em domínio público. A biblioteca tem cerca de 1.500 obras raras, como a coleção original completa, em francês, de Voltaire.
Atualmente, os jovens trabalham na recuperação das edições mais antigas da Revista Brasileira de Assuntos Pedagógicos, que é publicada pelo Inep desde 1944. A biblioteca abriga 18 mil livros e 14 mil volumes de periódicos. Se for necessário, o contrato com a Apae-DF poderá ser ampliado. A biblioteca sediada no térreo do edifício-sede do MEC incorpora os acervos trazidos do Rio de Janeiro na década de 1980. Passarão também por higienização documentos de arquivo, que guardam mais de 70 anos de história da educação brasileira.
“Muitos desses jovens estão tendo a oportunidade do primeiro emprego, com carteira assinada. São profissionais formados, com capacitação técnica. Chegam prontos e é tranquilo trabalhar com eles”, diz Mônica Kanegae, instrutora de conservação de acervos bibliográficos da Apae-DF, que acompanha o trabalho de higienização e restauração.
“Estou bastante feliz. Com o meu primeiro salário comprei remédio, filtro solar, roupas e ração para o Pancinha, o meu pônei”, conta entusiasmada Dayane Dias, 23 anos, que mora numa chácara do Gama, cidade do Distrito Federal. Vestida de jaleco branco, luvas e máscara de proteção, ela se encanta com os livros. “É muito bom mexer com livros, alguns são do exterior, e sempre descubro algo novo, mas tenho que ler bem rápido quando dá tempo”, diz ela.

Livros digitais ajudam a revigorar bibliotecas públicas


Autoria: Amanda Polato.
Fonte: Revista Época. Data: 18/03/2013.
URL: http://revistaepoca.globo.com/cultura/noticia/2013/03/livros-digitais-ajudam-revigorar-bibliotecas-publicas.html
Logo ao entrar na Biblioteca Pública de Nova York, em Nova York, os leitores encontram a frase: “A biblioteca é esperança, é conhecimento, e é poder”. Depois da recepção, podem andar pelos corredores ou ir logo ao catálogo procurar o que lhes interessa. Com o número da carteirinha de sócio, podem retirar até 12 títulos de uma vez, a qualquer hora dia, sete dias por semana. E, então, decidir se vão ler a obra no smartphone, e-reader, tablet ou no computador, além de escolher o tamanho da letra e fazer grifos usando apenas o dedo. É assim o caminho feito pelos usuários do acervo digital da instituição, acessado de qualquer dispositivo digital, pela internet. Os leitores não precisam mais ir fisicamente à entidade para pegar livros emprestados. Mas a biblioteca centenária vê sua força revigorada com a popularização dos e-books. Aumentou o número de visitantes físicos aos seus prédios depois que foram abertas as portas às estantes virtuais da instituição.
Com seus 34 mil títulos (quase 95 mil exemplares), o acervo digital ainda é muito pequeno comparado com a coleção em papel da Biblioteca Pública de Nova York, que tem quase 6 milhões de exemplares para empréstimo. Mas a demanda pelos livros digitais cresce rapidamente. “Nos últimos cinco anos, a oferta cresceu oito vezes. Todos os dias, há mais pessoas adotando a leitura eletrônica como um estilo de vida e indo à biblioteca em busca desse novo formato. São os leitores que pedem a ampliação do acervo digital”, diz Christopher Platt, diretor de coleções e operações de circulação da instituição.
Usuários de todas as idades têm interesse por esses livros, e eles são especialmente atraentes para os idosos, por permitirem ajustes no tamanho do texto. A equipe da biblioteca oferece até cursos presenciais para ensinar a usar o e-reader e instalar o software de empréstimos.
Assim como mais de 22 mil bibliotecas em diversas partes do mundo, tanto públicas quanto de escolas e universidades, a de Nova York usa um sistema chamado OverDrive, que armazena e-books em uma nuvem e oferece empréstimos por tempo limitado, variável conforme o título. Muitos deles têm filas de espera. Por isso, nenhum pode ser renovado, mas pode ser “retirado” novamente se não houver reserva.
O modelo atrai o interesse até de quem vive longe dos Estados Unidos ou do Reino Unido, dois países com grande quantidade de acervos digitais, e surge a pergunta: por que liberar o acesso apenas aos moradores de uma determinada cidade ou bairro? Por que não permitir, por exemplo, que um brasileiro possa emprestar um e-book no Texas? As instituições dizem que o impedimento é econômico, já que são os impostos locais que ajudam a sustentar as iniciativas.
Mas há iniciativas que visam a universalizar o acesso ao conhecimento – uma das características da era da internet. Em 1996, o ativista Brewster Kahle criou o chamado Internet Archive, um dos primeiros arquivos digitais gratuitos na web. Em sua descrição, o site deixa clara a posição sobre o tema: “As bibliotecas existem para preservar os artefatos culturais da sociedade e oferecer acesso a eles. Se as bibliotecas vão continuar a promover a educação nesta era da tecnologia digital, é essencial que elas estendam essas funções para o mundo digital”. Outra iniciativa, mais recente, é a da Biblioteca Pública Digital Americana, que deve ser inaugurada em abril, conforme mencionado na reportagem de ÉPOCA A prova do livro digital. O site oferecerá, gratuitamente, o acervo em domínio público de diversas bibliotecas acadêmicas dos Estados Unidos, sob a coordenação de um departamento da Universidade de Harvard.
Além do desafio de ampliar o acesso a e-books, as bibliotecas digitais sofrem para aumentar a quantidade de títulos e exemplares. Algumas editoras elevam os preços e limitam o número de vezes ou o período de tempo que cada um pode ser emprestado, porque ele não se deteriora com o tempo, como ocorre com o papel. Os contratos, então, obrigam bibliotecas a adquirir novas licenças com o passar do tempo.
Nem todas as editoras permitem empréstimos do novo formato. Acabam vendendo os títulos apenas para livrarias. No entanto, o diretor de marketing da OverDrive, David Burleigh, afirma que há sinais de mudança. Há poucas semanas, uma das maiores editoras americanas, a Macmillan, aceitou liberar e-books para bibliotecas. “Com certeza isso ajuda a popularizar o formato e aos poucos as editoras vão percebendo as vantagens da estratégia”, diz Burleigh.
Enquanto outros países discutem ampliação de acervos e do acesso, no Brasil mal há planos de investimentos na área digital e as bibliotecas lutam para manutenção dos espaços físicos. “O cenário realmente não é estimulante. Ainda faltam materiais impressos”, afirma Dulce Baptista, coordenadora do curso de Biblioteconomia da Universidade de Brasília. Mas ela é otimista e avalia que nos próximos anos o país terá políticas públicas na área que invistam em novas tecnologias. “A demanda da população fará com que isso ocorra.”
No país, quem começou a trilhar o inevitável caminho para a digitalização são as universidades. A expectativa é que esses laboratórios sirvam de referência e ajudem a promover a renovação das nossas bibliotecas públicas – antes que elas virem depósitos de livros empoeirados. A experiência da Biblioteca de Nova York mostrou que a tecnologia pode levar os livros para as nuvens e trazer os leitores de volta, no mundo real.

Biblioteca empresta sementes


Fonte: National Public Radio.
A biblioteca pública na pequena cidade de Basalt (Colorado, US), está tentando uma experiência: além de empréstimo de livros, os moradores podem agora levar emprestado sementes. Veja como funciona: com um cartão de leitor da biblioteca recebe um pacote com sementes. Então, crescem as frutas e legumes e será possível colher as novas sementes, podendo devolver essas novas sementes para a biblioteca. A diretora da biblioteca, Barbara Milnor, diz que em uma era de livros e revistas digitais, os pacotes de sementes é uma outra forma de chamar as pessoas para a biblioteca.

16 de abr de 2013

Curso: FEBAB


Explosão em Boston atinge a Biblioteca Presidencial JFK


Fonte: Reuters. Data: 15/04/2013.
URL: http://noticias.terra.com.br/mundo/estados-unidos/explosao-atinge-biblioteca-presidencial-jfk-em-boston-diz-policia,07e5880ab590e310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html
A polícia de Boston disse nesta segunda-feira que uma explosão ocorreu no Museu e Biblioteca Presidencial John F. Kennedy em Boston, depois de outras explosões na cidade, perto da linha de chegada da Maratona de Boston.
A porta-voz policial Neva Coakley afirmou que "houve outra explosão na JFK".
Rachel Day, porta-voz da Biblioteca John F. Kennedy, a 4,8 quilômetros da linha de chegada da maratona, disse que havia fogo na biblioteca, mas ninguém ficou ferido.

Biblioteca de Uberaba comemora 104 anos


Fonte: Jornal de Uberaba. Data: 13/04/2013.
URL: http://www.jornaldeuberaba.com.br/cadernos/cidade/1651/biblioteca-municipal-realiza-atividades-em-comemoracao-aos-seus-104-anos
Neste mês de abril, em que comemoração aos seus 104 anos de criação, a Biblioteca Pública Municipal Bernardo Guimarães iniciará a semana repleta de atividades para os estudantes. Na terça-feira (16), na Biblioteca Municipal, o biólogo especialista em Gestão Ambiental e mestre em Educação, Tiago Zanqueta de Souza, que também é líder da comissão da Uniube para o Rio +20, promoverá um debate sobre Sustentabilidade e  Desafios Ambientais. O debate será das 19h30 às 21h, na sala de multimeios da Biblioteca e toda a população está convidada para participar, ouvir e dar a sua opinião. A Biblioteca faz um convite especial a especialistas no assunto e estudantes de Engenharia Ambiental, para que eles possam socializar seus conhecimentos com a comunidade.
Projeto Bibliotur - Revisitando os clássicos da literatura brasileira, vários alunos da Escola Santa Maria, que estão trabalhando os livros Lucíola, de José de Alencar, e A Hora mais Escura, de Clarice Lispector, estiveram na biblioteca no dia de ontem.
Projeto - Esse projeto é realizado em parceria com o Instituto Agronelli, que trabalha nas escolas textos clássicos da literatura brasileira, como Machado de Assis, José de Alencar, Aloísio Azevedo, Érico Veríssimo, dentre outros. Esses alunos são levados à biblioteca e recebem orientações sobre como usar o sistema de busca para localizar um livro entre os mais de 65 mil títulos disponibilizados. É feito um bate-papo sobre as obras que eles estão lendo e sobre o escritor, em um trabalho de sensibilização e estimulação para a leitura de clássicos da literatura brasileira. 

Conheça a Biblioteca do futuro



Autor: Gustavao Kahil.
Fonte: Exame.
URL: http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/livros-empoeirados-conheca-a-biblioteca-do-futuro
Os livros são encontrados e entregues aos visitantes com a ajuda de robôs
Quando visita-se uma biblioteca é comum precisar caminhar por vários corredores em busca do título preferido e, naquelas com manutenção precária, você também pode dar alguns espirros com a poeira. Algumas mais informatizadas até indicam o caminho a seguir para encontrar a obra desejada. Mas nenhuma delas é como a Biblioteca James B. Hunt, da Universidade da Carolina do Norte.
Enquanto muitos decretaram o fim das bibliotecas como consequência inevitável da era digital, a estrutura impressionante da Hunt mostra outro caminho, ressalta uma reportagem do site Fast Company. Recém-inaugurado, o edifício que abriga os livros impressiona o visitante assim que é avistado. O design foi criado pelo escritório norueguês Snøhetta e foge da tradicional “arquitetura caixa de sapato”.
Há na Hunt também o já conhecido terminal de busca de livros, mas o bookBot deixa qualquer sistema conhecido no chinelo. Assim que um usuário realiza o pedido da obra no catálogo digital, um robô é ativado num sistema de delivery que automaticamente busca o livro.
A tecnologia utilizada não é nova e já é implementada em indústrias, mas o uso para uma biblioteca é uma novidade. É até possível acompanhar os robôs enquanto eles buscam os livros pedidos. O vídeo abaixo mostra o equipamento em funcionamento, além de outras estruturas digitais impressionantes da biblioteca.

Veja também o vídeo sobre essa biblioteca no Youtube [URL: http://www.youtube.com/embed/scyQPk6n0xA]



 


Evento: Encontro de Catalogadores



Pela primeira vez no Brasil, o IX Encontro Internacional de Catalogadores ocorrerá em conjunto com o II Encontro Nacional de Catalogadores, entre os dias 27 a 29 de novembro de 2013, e será organizado pela Fundação Biblioteca Nacional do Brasil.
Neste ano, a tônica das discussões volta-se para a temática “Catalogação: do real ao virtual” e considera três eixos temáticos:
- Novos rumos da catalogação: O século XXI apresenta-se como um tempo de grandes mudanças teóricas e práticas na catalogação: novas ferramentas, novos códigos, novas configurações de trabalho.
- Produtos e serviços de catalogação: Resultados da práxis da catalogação e os impactos das mudanças paradigmáticas da área decorrentes das novas tecnologias de informação e comunicação.
- Políticas públicas para catalogação: Discussão e propostas que envolvem as organizações públicas diante dos novos rumos da catalogação e da aplicação das mudanças em seus produtos e serviços.

Os trabalhos científicos para avaliação deverão ser submetidos exclusivamente pelo site do IX EIC e II Enacat (www.enacat.bn.br), até às 24h (horário oficial de Brasília) do dia 25 de agosto de 2013.
Maiores informações no endereço: www.enacat.bn.br

11 de abr de 2013

Biblioteca de Presidente Prudente tem queda nos empréstimos



 Fonte: iFronteira. Data: 5/04/2013.

URL: www.ifronteira.com/noticia-presidenteprudente-47240
De 2002 para 2012, o número de empréstimo de livros na Biblioteca Municipal Dr. Abelardo de Cerqueira César, em Presidente Prudente, caiu cerca de 43%, passando de 10.057 para 5.669. Entretanto, na última década, o índice chegou a crescer, ultrapassando as 11 mil retiradas, total que começou a decair a partir de 2009, quando o acervo foi transferido para o Centro Cultural Matarazzo.
Nos últimos 10 anos, o recorde de empréstimos foi em 2004: 11.886. Essa quantia acima de 11 mil seguiu até 2008. Em 2009, ano da transferência, foram 7.485 livros emprestados. O menor registro foi em 2011, com 5.613.
“Antes a biblioteca ficava na Avenida Washington Luiz, no Centro da cidade. Essa mudança de localidade ocasionou uma queda significativa, pois muitos não ficaram sabendo da alteração e outros passaram a não frequentar por ficar fora de mão”, explica a coordenadora do local, Sônia Aparecida Costa Vilela.
Ela ainda ressalta que apesar deste motivo ser o principal, a internet também contribuiu para a diminuição. “Os jovens se interessam mais pela internet. Na biblioteca temos à disposição a sala de informática com 50 computadores, que tem crescido com o tempo”, fala.
Até março deste ano, havia 13.043 pessoas cadastradas. Todas elas estão autorizadas a fazer empréstimos do acervo composto por 75.983 exemplares - entre livros, revistas e jornais -, que cresceu 35% de 2002 até o mês passado.
Os estudantes são os frequentadores mais assíduos do local. Do total de frequentadores, 40% são do ensino médio e 35% do fundamental. “Nessa etapa escolar tem muitos livros que são de leitura obrigatória, seja para a própria escola ou para o vestibular”, justifica Sônia.
Ainda conforme o perfil dos leitores, os alunos da pré-escola e os idosos estão empatados em 10% e o 0,5% restante foi atribuído a “outros profissionais”. “No Centro Cultural tem muito curso para idosos e eles aproveitam que estão aqui para pegar livros”, comenta a coordenadora.
Apesar da queda de empréstimos, Sônia ressalta que não há motivos para preocupação. “Estávamos preparados para essa situação e continuamos com as campanhas de leitura, com divulgação na internet por meio do nosso site e das redes sociais”, finaliza a coordenadora.
A Biblioteca Municipal está localizada no Centro Cultural Matarazzo, na Rua Quintino Bocaiuva, nº 749, Vila Marcondes. Mais informações no telefone (18) 3226-3399.