26 de fev de 2013

Biblioteca Câmara Cascudo continua fechada

Triste cenário: a Biblioteca Pública Câmara Cascudo continua fechada, e suja

Fonte: Tribuna do Norte (Natal, RN). Data: 21/02/2012.

Autora: Eliana Lima.

URL: http://blog.tribunadonorte.com.br/abelhinha/triste-cenario-a-biblioteca-publica-camara-cascudo-continua-fechada-e-suja/91747

Confesso que toda vez que passo em frente à Biblioteca Pública Câmara Cascudo, na Rua Potengi, em Petrópolis, a garganta se enche de nó e uma dor aperta o peito.

Há dois anos e dois meses que acompanho a maior biblioteca pública estadual fechada e seu acervo em caixas pelo chão. Logo na entrada, encostadas na porta de vidro. Se é que ainda existe acervo. Certamente muita coisa foi deteriorada, por mais que se tente provar o contrário.

O lixo e o mato por fora consomem.

Como é um imóvel numa das áreas mais nobres de Natal, metro quadrado valiosíssimo, sonho de consumo de todo especulador imobiliário, passa rapidamente a impressão de que – quem sabe – não seria uma estratégia para se desfazer. Sei lá.

O certo é que alunos da rede pública, e privada também, estão sem esse templo do saber há dois anos. E dois meses. Desde que fechou o blog Abelhinha e esta coluna alertam para o problema, sem sucesso.

Nesta quarta (21), passei em frente novamente – ultimamente mudo o caminho para evitar o choque. Sensação de tristeza, raiva, impotência. Tudo com dantes.

Para lembrar, em abril de 2012, a Secretaria de Infraestrutura abriu licitação para a reforma. Valor: R$ 1.605.183,72. Mas nada aconteceu.

A deputada federal Fátima Bezerra conseguiu R$ 1,5 milhão junto ao Ministério da Cultura para a reforma, o dinheiro foi liberado, nova licitação foi aberta pela SIN, em novembro do ano passado…maaasss…até agora continua o descaso.

Fala-se que a obra começou com a digitalização do acervo. E todo aquele material que continua no chão?

Intriga que o Ministério Público não se manifestou sobre tal absurdo com a Biblioteca Câmara Cascudo. Sem contar que o acervo da biblioteca de Berilo Wanderley foi cedido à BPCC, mas, depois, familiares encontraram algumas obras à venda em sebo da cidade, como confirmou à coluna o filho do saudoso poeta Henrique Wanderley.

Então?

Curso:DSpace


Curso semipresencial de 30h [8 presenciais +22 on-line]

Encontro presencial em São Paulo, 6/abril (sábado) para atividades práticas e tira-dúvidas em ambientes de testes com DSpace e Omeka.

Maiores detalhes no URL:

Lançamento: Ordenações Manuelinas


Lançamento: 28 de fevereiro de 2013.

Local: Biblioteca Nacional de Portugal, Auditório.

Apresentação da obra de João José Alves Dias por Martim de Albuquerque.

São conhecidos com o nome de Ordenações Manuelinas os três sistemas de preceitos jurídicos impressos, em cinco livros: o primeiro, de 1512-13 (teve uma reedição com correções pontuais, em 1514); o segundo sistema, posterior a 1516 e anterior a 1520 (de que apenas se conhecem fragmentos recentemente descobertos); e o terceiro sistema, de 1521 (com quatro edições e diferentes reimpressões de cada uma delas, entre 1521 e 1603). Constituem o primeiro grande conjunto legislativo e normativo do Portugal Quinhentista. Ao mesmo tempo em que compilavam, reduziram a um único corpo o direito medieval português.

Durante o período que estiveram em vigor, 1512-1513 a 1603, as três sistematizações tiveram diferentes edições que até hoje não se encontram cabalmente conhecidas nem estudadas.


 

Biblioteca volante em Manaus


Fonte: Portal G1, Amazonas. Data: 25/02/2013.

URL: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2013/02/projeto-biblioteca-volante-promete-levar-informacao-ruas-de-manaus.html

Até o final do ano, as primeiras bibliotecas móveis do Amazonas devem circular pelas ruas e bairros de Manaus, levando livros, informação, diversão e conhecimento. De acordo com a Secretaria de Estadual de Cultura (Sec), o projeto "Biblioteca Volante" prevê a aquisição de veículos estilo "van", adaptado com prateleiras e estrutura para livros, CDs, DVDs e outras mídias de informação.

As unidades ficarão circulando e à disposição dos moradores dos bairros para consulta e empréstimo de material gratuitamente mediante apresentação da carteira de identidade. O projeto vai começar por Manaus e se expandir para o interior do Amazonas. Segundo a secretaria, em 2013, mais de 93 mil livros serão distribuídos para as bibliotecas do interior do Estado.

23 de fev de 2013

FEBAB envia carta à Ministra da Cultura


“São Paulo, 15 de dezembro de 2012.

Senhora Ministra da Cultura,

A FEBAB – Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições é uma entidade que trabalha há mais de 50 anos na defesa das bibliotecas públicas e na valorização dos profissionais. Assim, participou ativamente na construção do Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL) por acreditar que esse instrumento é extremamente necessário para que tenhamos de fato uma política de Estado e não de Governo, que fique suscetível a mudanças e desejos particulares e/ou corporativos.

Infelizmente o que temos percebido nesta trajetória, passados quase 10 anos de construção do Plano, é que as bibliotecas públicas continuam sendo o elo mais fraco dos 4 eixos que compõem ou compunham o PNLL. Isso pode ser observado pelo montante destinado aos projetos de modernização em contraposição aos editais que beneficiam os outros eixos do PNLL, em especial à cadeia produtiva do livro.

É preciso definitivamente dotar as bibliotecas da infraestrutura necessária para que tenhamos espaços vivos, pulsantes e totalmente integrados com a comunidade, espaço de reunião das diversas mídias e das expressões artísticas, espaços de cultura. E isso garantido a todos os cidadãos.

Do montante de recursos anunciado no valor de R$ 373 milhões de reais, apenas R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) foram destinados para atender 10 projetos estaduais para beneficiar, no mínimo, 10 bibliotecas. Isso significa apenas R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para cada biblioteca. Nos anos anteriores os “kits” de modernização estavam orçados em cerca de R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil) incluindo logística. Não entendemos o motivo da redução de valores se é sabido que as bibliotecas precisam ser modernizadas para se tornarem espaços atraentes e aconchegantes que permitam estimular a leitura. Além disso, há recursos disponíveis para outros programas da FBN.

Enfatizamos que as bibliotecas não são depósitos de livros, portanto somos contrários a projetos como o Programa Livro Popular, que não atende as necessidades das bibliotecas, pois os títulos disponíveis são aqueles oriundos dos estoques dos editores. É importante destacar que possuímos no Brasil profissionais capazes de selecionar os materiais necessários para o desenvolvimento das coleções, sobretudo para escolher os acervos que contenham literatura regional. Entendemos ser muito mais efetivo e eficaz o repasse dos recursos aos Estados para a aquisição dos materiais necessários, que não são apenas livros. Uma biblioteca viva também se faz pela diversidade de suas coleções, tanto no que diz respeito aos assuntos quanto aos formatos e suportes de informação.

Ainda relembrando, o mercado livreiro teve redução na sua carga tributária com o compromisso de criação de um fundo “Fundo Pró-Leitura”. Gostaríamos de ter informações sobre quais foram os passos tomados até o momento pelo MINC para a instituição desse fundo. É importante ressaltar que esse fundo seria destinado a modernização das bibliotecas e para projetos de mediação de leitura.

Destaque-se ainda que, para que o Brasil tenha um sistema forte de acesso à informação e à leitura como os existentes no Chile e Colômbia, por exemplo, precisamos dispor de recursos continuamente, caso contrário, as bibliotecas que tiveram alguma melhoria, não conseguirão manter seus serviços com o mesmo nível de excelência.

Cara Ministra, não entendemos porque um Governo de continuidade não põe em prática o que foi pactuado, discutido, publicado, referendado, um documento construído a partir de muito diálogo e trabalho. Esse documento é ignorado pelo Presidente da Fundação Biblioteca Nacional. De nada adianta constituir cargos se a essência do PNLL foi perdida, descartada. Portanto, não poderíamos nos calar perante essa situação de desrespeito ao trabalho de um grupo muito grande de pessoas.

Enfatizamos nosso pedido de audiência com a senhora para explicitarmos nossas ideias, lembrando que queremos e estamos trabalhando pela construção de um sistema de informação forte para todos os brasileiros.

Esperamos que a senhora possa analisar essa situação e aproveitamos para apresentar nossos protestos de consideração e estima.

Sigrid Karin Weiss Dutra

Presidente da FEBAB”

Biblioteca Pública Digital será lançada em abril


Iniciativa disponibilizará gratuitamente o acervo digitalizado de dezenas de bibliotecas acadêmicas do país.

A Biblioteca Pública Digital dos EUA (ou Digital Public Library of America, DPLA) será lançada em 18 de abril. O anúncio é do historiador, escritor, jornalista e diretor do complexo de bibliotecas da Universidade de Harvard, Robert Darnton, responsável pela idealização do projeto.

A iniciativa – que não conta com o apoio de quaisquer instituições governamentais – pretende reunir e compartilhar gratuitamente todo o acervo e obras de milhares de bibliotecas e universidades dos Estados Unidos. De acordo com Darnton, o projeto foi elaborado para agir como uma “antítese” ao Google Books, que lucra com os livros repassados pela rede e viola certos direitos autorais.

“Vamos fazer algo diferente, algo para ser aprimorado durante séculos”, afirma o historiador, em entrevista ao correspondente nova-iorquino da Folha. “Não queremos gerar expectativas; não teremos tanto material digitalizado logo de início. Levará bastante tempo, mas espero que cresça mais. Temos uma enorme quantidade de coleções a serem digitalizadas, e elas estão espalhadas em mais de 73 bibliotecas da Harvard. São mais de 18 milhões de volumes”.

Conforme Robert, a diferença entre a DPLA e o Google Books é que o primeiro foca exclusivamente em servir ao público e facilitar o acesso à informação e conhecimento para todas as classes sociais, enquanto o segundo trabalha para lucros próprios.

“Teremos milhares de obras vindas de milhares de bibliotecas de todo o país. Também estamos negociando com grandes editoras e tentando convencê-los a ceder obras ligeiramente recentes, com ao menos cinco anos de idade, para a base da DPLA. Tudo completamente gratuito” revela. A cerimônia de lançamento será gravada e transmitida tem tempo real no site do projeto.


Nota: o texto original foi publicado no jornal Folha de S. Paulo, no URL:

Congresso Brasileiro de Biblioteconomia


A Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (FEBAB) e a Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB), convidam para o XXV CONGRESSO BRASILEIRO DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, cuja cidade anfitriã será Florianópolis, entre os dias 7 e 10 de julho de 2013.

O tema central do evento é: “Bibliotecas, Informação, Usuários – Abordagens de transformação para a Biblioteconomia e Ciência da Informação” e oportunizará a reflexão e análise em torno dos avanços científicos e tecnológicos e seus impactos sobre o fazer do profissional e sobre a sustentabilidade das bibliotecas e unidades de informação, com um programa científico bastante intenso e atual.

O evento contemplará a realização de conferências, palestras, mesas redondas, apresentação de trabalhos orais e pôsteres, workshops; eventos simultâneos, como o I Forum da Biblioteconomia Escolar: pesquisa e prática, III Forum Brasileiro da Biblioteca Pública, 4º Seminário de Documentação e Informação Jurídicas e II Seminário de Competência em Informação e outros que ainda estarão sendo confirmados. Atividades que darão a oportunidade aos participantes de conhecer fundamentos teóricos e experiências implementadas pelas unidades de informação sob os ângulos das Bibliotecas, da Informação e dos Usuários e as abordagens de transformação para a Biblioteconomia e Ciência da Informação.

Santa Catarina é o 11º estado mais populoso do país, segundo o IBGE. Um de seus grandes encantos é o caráter multicultural de sua população, com influências de diversas etnias: indígenas, açorianos, alemães, poloneses, russos, ucranianos, japoneses, austríacos e outras dezenas de ingredientes que tornaram o estado um verdadeiro caldeirão cultural.

A capital catarinense é um dos quatro destinos do Brasil mais procurados para a realização de eventos internacionais pelo ranking da Associação Internacional de Congressos e Convenções – e transformou-se enormemente nas últimas décadas. Sua reconhecida qualidade de vida e suas universidades atraíram moradores de todas as partes do Brasil e do mundo. No século XXI, Florianópolis se consolidou como um importante polo tecnológico e de inovação. E nas altas temporadas de verão, suas praias são muito procuradas por turistas de vários países.

Durante quatro dias nosso objetivo será criar uma atmosfera de diálogo e um ambiente fértil para a aprendizagem e a construção do conhecimento, no qual floresçam novas e iluminadas ideias.

A cidade de Florianópolis, a Ilha da Magia, e o Estado de Santa Catarina aguardam vocês.

Marquem esta data em suas agendas, será muito gratificante tê-los conosco!

Estamos de braços abertos para recebê-los!

Sigrid Karin Weiss Dutra José Paulo Speck Pereira

Presidente FEBAB Presidente da ACB

 


Nova biblioteca na Unilasalle


Autor: Affonso Ritter.

Fonte: Jornal do Comércio (Porto Alegre, RS). Data: 18/02/2013.

URL: http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=116404

Após quase um ano de negociações e planejamento, a Lamb Construções e Engenharia selou parceria com o Unilasalle para construção do prédio que abrigará sua nova biblioteca em Canoas, investimento de R$ 20 milhões. É mais uma das ações do centro universitário para transformar-se em universidade, qualificando os processos acadêmicos em busca de excelência e melhor infraestrutura. O prédio de 6,5 mil metros quadrados reservará quatro andares para a nova biblioteca. Toda a estrutura será construída onde hoje funcionam o ginásio de Educação Infantil do Colégio La Salle, o Laboratórios de Turismo e Eventos e a Brinquedoteca. (prédio 12). A obra inicia após a construção de novo ginásio e a realocação dos laboratórios.

Projeto sustentável

O projeto do prédio do Unilassale inteiramente desenvolvido pela Lamb e conclusão prevista para 2014, foi concebido dentro de parâmetros mundiais de sustentabilidade com destaque aos sistemas de iluminação e climatização. Sua iluminação é natural, com amplas janelas para a área de Mata Atlântica preservada situada na área central do campus da instituição.

21 de fev de 2013

Novo número: Biblionline


A revista Biblionline acaba de publicar seu último número, o v. 8, n. 2, 2012. O acesso ao texto completo dos artigos pode ser feito no URL: www.biblionline.ufpb.br

Sumário

Editorial

BIBLIONLINE, indo um passo além. Patrícia Silva, Wagner Junqueira de Araújo.

Artigos

  • Bibliotecas escolares no ensino fundamental: caminhos para a implantação. Claudinei Coppola Junior, Cláudio Marcondes Castro Filho.
  • Reflexões sobre as mudanças sociais motivadas pelo desenvolvimento tecnológico: a necessidade de instituir uma reflexão ética na utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). André Anderson Cavalcante Felipe.

Artigos de revisão

  • Proximidades conceituais entre arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação. Gabrielle Francinne de Souza Carvalho Tanus, Carlos Alberto Ávila Araújo.
  • Vestígios arqueológicos como fontes de informação: segredos do passado transcritos em suportes primitivos. Ingrid Maria Luz Vergolino Zahlouth, Rodrigo Oliveira de Paiva.

Relatos de pesquisa

  • A disciplina metodologia do trabalho científico do curso de biblioteconomia da universidade federal do maranhão e sua contribuição na produção científica. Dirlene Santos Barros, Reyjane dos Santos Mendes.
  • O bibliotecário consultor: perfil profissional Erik Andre de Nazaré Pires, Enila Nobre Nascimento Calandrini Fernandes.

Relatos de experiência

  • Organização e gestão da inovação em processos e produtos informacionais para a comunicação na UFSCar: conhecendo uma atividade de extensão. Vera Regina Casari Boccato.
  • O serviço de referência da biblioteca do instituto de pesquisa e planejamento urbano e regional – IPPUR/UFRJ e seu programa de capacitação de usuários. Cláudia Regina dos Anjos, Gilberto Lima Martins, Kátia Marina da Cunha e Silva, Paulo Sérgio Pereira dos Santos.
  • Análise da gestão da informação desenvolvida no Centro Integrado de Operações de Segurança Pública – CIOSP-RN. Francisco Tércio de Freitas, André Anderson Cavalcante Felipe.

Resumos de monografias

  • A responsabilidade social no projeto "Estação do livro": leitura na praça. Claudialyne da Silva Araujo, Joana Coeli Ribeiro Garcia.
  • Uso de indicadores para a gestão de IES: Análise da Produção Científica do Mestrado em Gestão do Desenvolvimento Local Sustentável da FCAP-UPE. Guilherme Alves Santana, José Luiz Alves.

Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas


O Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) informa que seu novo site está no ar. Segue o endereço: www.snbp.bn.br.

O site é composto por um menu superior, onde é possível visualizar dados institucionais do SNBP e um segundo menu onde encontram-se os serviços oferecidos pelo órgão, tais como, Diretrizes, Editais, Informações de interesse a área, Notícias, Agenda, entre outros.

19 de fev de 2013

A fantástica biblioteca sueca


No Kulturhuset no centro de Estocolmo, Suécia, existe uma biblioteca notável e inspiradora para os jovens leitores, Tio Tretton. Aberta para visitantes entre as idades de 10 e 13, e onde nenhum adulto tem permissão para entrar. Pais, professores ou responsáveis também têm o acesso proibido. Este é um ambiente em que os jovens podem ir para ler livros, fazer filmes, ouvir música, cozinhar na cozinha, criar origami, desenhar histórias em quadrinhos, ou simplesmente passar o tempo. O espaço fala por si.

Fonte: Key Note Blog, Kulturhuset


 

 

Base de dados sobre bibliotecas universitárias


A Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias disponibiliza para acesso público a sua base de dados sobre as bibliotecas universitárias brasileiras (Bases BIBES). A busca pode ser feita no URL: www.febab.org.br/cbbu/

14 de fev de 2013

A biblioteca roubada


Autor: Vladimir Safatle.

Fonte: Folha de S. Paulo. Data: 05/02/13.

"A Carta Roubada" é um dos contos mais célebres de Edgar Allan Poe. Nele, o escritor norte-americano conta a história de um ministro que resolve chantagear a rainha roubando a carta que lhe fora endereçada por um amante.

Desesperada, a rainha encarrega sua polícia secreta de encontrar a carta, que provavelmente deveria estar na casa do ministro. Uma astuta análise, com os mais modernos métodos, é feita sem sucesso. Reconhecendo sua incompetência, o chefe de polícia apela a Auguste Dupin, um detetive que tem a única ideia sensata do conto: procurar a carta no lugar mais óbvio possível, a saber, em um porta-cartas em cima da lareira.

A leitura do conto de Edgar Allan Poe deveria ser obrigatória para os responsáveis pela educação pública. Muitas vezes, eles parecem se deleitar em procurar as mais finas explicações, contratar os mais astutos consultores internacionais com seus métodos pretensamente inovadores, sendo que os problemas a combater são primários e óbvios para qualquer um que queira, de fato, enxergá-los.

Por exemplo, há semanas descobrimos, graças ao Censo Escolar de 2011, que 72,5% das escolas públicas brasileiras simplesmente não têm bibliotecas. Isto equivale a 113.269 escolas. Um descaso que não mudou com o tempo, já que, das 7.284 escolas construídas a partir de 2008, apenas 19,4% têm algo parecido com uma biblioteca.

Mesmo São Paulo, o Estado mais rico da Federação, conseguiu ter 85% de suas escolas públicas nessa situação. Ou seja, um número pior do que a média nacional.

Diante de resultados dessa magnitude, não é difícil entender a matriz dos graves problemas educacionais que atravessamos. Difícil é entender por que demoramos tanto para ter uma imagem dessa realidade.

Ninguém precisa de mais um discurso óbvio sobre a importância da leitura e do contato efetivo com livros para a boa formação educacional. Ou melhor, ninguém a não ser os administradores da educação pública, em todas as suas esferas. Pois não faz sentido algum discutir o fracasso educacional brasileiro se questões elementares são negligenciadas a tal ponto.

Em política educacional, talvez vamos acabar por descobrir que "menos é mais". Quanto menos "revoluções na educação" e quanto mais capacidade de realmente priorizar a resolução de problemas elementares (bibliotecas, valorização da carreira dos professores etc.), melhor para todos.

A não ser para os consultores contratados a peso de ouro para vender o mais novo método educacional portador de grandes promessas.

Novo número: Datagramazero


Acaba de ser publicado o v. 14, n. 1, fevereiro de 2013, da revista “Datagramazero”.

Sumário:

1 - Indicadores e modos cognitivos de produção da realidade: evidências da aplicação da sociometria na Ciência da Informação. Dalton Lopes Martins e Gustavo Giolo Valentim.

2 - Modelos Conceituais para Bibliotecas Digitais. Flávio Vieira Pontes e Gercina Ângela Borém de Oliveira Lima.

3 - Periódicos de Ciência da Informação nas bases de dados internacionais. Elaine de Oliveira Lucas e Adilson Luiz Pinto e Marilda Lopes Ginez de Lara.

4 - Acessibilidade em Ambientes Informacionais Digitais. Cesar Augusto Cusin e Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti.

5 - Redes de conhecimento sob a ótica das redes complexas. Frank Coelho de Alcantara e Helena de Fátima Nunes Silva e Denise Fukumi Tsunoda.

6 - Estudos brasileiros sobre ontologia na Ciência da Informação. Monick Trajano dos Santos e Renato Fernandes Correa e Murilo Artur Araújo da Silveira.

7 - Uso de digital rights management como proteção à conteúdos digitais: Uma discussão. Adriane Ianzen Machado e Egon Walter Wildauer e José Simão de Paula Pinto.


Maiores detalhes nos URL:


Biblioteca abandonada em Jacy-Paraná (RO)


Fonte: Rondônia Dinâmica. Data: 4/02/2013.

URL: www.rondoniadinamica.com/arquivo/biblioteca-esta-abandonada-ha-dois-anos-em-jacy-parana-denunciam-vereadores,46372.shtml

 “É inacreditável que uma biblioteca desse porte encontra-se nesta situação.

Uma biblioteca doada pela Rede Record Nacional e pelo Instituto Ressoar encontra-se abandonada no distrito de Jacy-Paraná há pelo menos dois anos. O local está tomado por um matagal e foi doado em 2006 ao município de Porto Velho.

A constatação foi feita na tarde de segunda-feira (28/01) pelos vereadores Everaldo Fogaça (PTB), Leo Moraes (PTB), e Chico Lata (PP), autor da denúncia e do convite aos colegas parlamentares. De posse de fotos e depoimento de moradores, os vereadores vão cobrar solução ao município.

“É um absurdo que em um distrito grande como Jacy-Paraná com tanto déficit no setor educacional haja uma situação como esta”, comentou Chico Lata, ao ressaltar que a biblioteca foi toda equipada, inclusive com acervos literários de grande valor. “Alguém terá que ser responsabilizado por isso”.

O vereador Everaldo Fogaça disse que a primeira atitude será cobrar da administração do distrito ou do município a limpeza no local, pois a entrada da biblioteca está inviabilizada pelo matagal. Ele destacou a atual situação dos jovens do distrito que estão sendo recrutados pelo tráfico, ao invés de ocupados em atividades educacionais.

“É inacreditável que uma biblioteca desse porte encontra-se nesta situação. Acredito que nem na capital do Estado haja uma com esse perfil. O benefício que essa biblioteca traria aos estudantes do distrito acabou ficando em segundo plano em virtude da irresponsabilidade de seus gestores”, finalizou.

Mais títulos no Book Citation Index


A Thomson Reuters anunciou a expansão do seu “Book Citation Index” por meio de parcerias com editoras como a Elsevier, Johns Hopkins University Press, e da Universkity ofChicago Press. Estes editores, entre outros, irão aumentar o conteúdo disponível no índice adicionando 10.000 livros em 2013, aumentando o total para cerca de 50 mil livros a partir de uma variedade editoras comerciais e universitárias.

Vídeos educacionais de Ciência e Engenharia


Vídeos divertidos, inteligentes e atraentes foram criados pelo cientista Jonathan Hare para ser utilizado em escolas, eventos e mesmo para estudo domiciliar. No site, os visitantes podem fazer o seu caminho através de 25 curtas-metragens que exploram o mundo da fotografia infravermelha, os raios de luz, os coletores de luz parabólicas e as baterias e geradores movidos à de água do mar. Os vídeos duram cerca de cinco minutos e apresentam demonstrações práticas, comentários e apartes científicos. Os visitantes também podem se inscrever para receber atualizações quando novos vídeos são liberados ou vê-los no YouTube.

7 de fev de 2013

Projeto sobre compra e restauração de livros raros


Fonte: Agência Câmara. Data: 31/01/2013

O processo licitatório leva à utilização de técnicas de restauração e preservação consideradas superadas. Proposta em tramitação na Câmara inclui a aquisição ou restauração de livros raros, preciosos ou especiais nos casos de dispensa de licitação previstos em lei. Atualmente, a Lei de Licitações (8.666/93) já prevê a hipótese de dispensa do processo licitatório para compra ou restauração de obras de arte e de objetos e documentos históricos, desde que tenham autenticidade certificada e sejam compatíveis com as finalidades do órgão ou entidade.

A medida está prevista no Projeto de Lei 4672/12, do deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ). Segundo o autor, a equiparação do livro raro, precioso ou especial à obra de arte e objeto histórico baseia-se em tese defendida no 3º Seminário Nacional de Documentação e Informação Jurídica.

“Esse seminário apontou que, quando há necessidade de ações e intervenções de preservação dos acervos raros e especiais, as bibliotecas têm-se deparado com exigências licitatórias que submetem seus acervos a contratados selecionados, quase sem regra, pelo critério do menor preço”, explicou Nercessian, alertando para o fato de que os danos causados por intervenções inadequadas em peças raras são quase sempre irreversíveis.

O autor argumenta ainda que em muitos casos o processo licitatório leva à utilização de técnicas de restauração e preservação consideradas superadas atualmente.

Tramitação

O projeto será analisado de maneira conclusiva pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Mais de 90% dos manuscritos de Timbuktu foram salvos


Fonte: Carta Capital. Data: 31/01/20113.

URL: www.cartacapital.com.br/internacional/mais-de-90-dos-manuscritos-de-timbuktu-foram-salvos-dos-islamitas/

A maior parte dos manuscritos e livros antigos conservados em Timbuktu foram guardados em um local seguro antes da chegada dos invasores islamitas à cidade, garantiu o chefe de coleções da Universidade da Cidade do Cabo (UCT), na Áfri ca do Sul.

“Uma grande parte foi salva. Realmente, creio que mais de 90%”, afirmou Shamil Jeppie, diretor do projeto de conservação dos manuscritos de Timbuktu da UCT.

Segundo ele, os conservadores começaram a transferir os documentos para Bamaco nos primeiros meses da insurreição islamita no norte do Mali. “Foram levados para a capital e alguns foram escondidos na cidade”, afirmou.

Estes manuscritos representam um verdadeiro tesouro cultural que remonta à época em que a mítica cidade era a capital intelectual e espiritual do Islã na África dos séculos XV e XVI. Alguns dos documentos são inclusive mais antigos, datando do século XII ou da era pré-islâmica.

Redigidos principalmente em fulani e em árabe, os manuscritos tratam de astronomia, música, botânica, farmácia, direito, história e inclusive política. Os suportes são vários: pergaminho, papel do Oriente, pele de ovelha e inclusive omoplatas de camelo.

As testemunhas interrogadas esta terça-feira em Timbuktu informaram que os islamitas que fugiam da cidade, incendiaram na semana passada todos os manuscritos que puderam encontrar. A cidade foi logo reconquistada pelas tropas francesas e malinenses.

Na realidade, apenas um dos edifícios do Instituto de Altos Estudos e de Investigação Islâmica Ahmed Baba com manuscritos dentro foi saqueado, segundo especialistas interrogados pela AFP.

“Está o antigo edifício e o novo. O novo foi construído pelos sul-africanos” e inaugurado em 2009 e “todos os manuscritos não foram levados a este novo edifício”, situado a um quilômetro do antigo, afirmou de Dacar o especialista malinense Ben Esayuti El Bukhari, contactado por telefone.

Ainda não se determinou a quantidade exata de manuscritos incendiados, mas o ministério da Cultura malinense confirmou que o antigo edifício está intacto. O prefeito de Timbuktu, Halley Ousmane, refugiado em Bamaco, tinha evocado no momento “um verdadeiro crime cultural”.

Uma fonte malinense contactada por telefone e que pediu para manter a identidade preservada calculou em 15 mil a quantidade de documentos encontrados no edifício devastado.
Além dos manuscritos, os islamitas destruíram célebres mausoléus de santos muçulmanos nesta cidade. Segundo um jornalista local, os grupos armados teriam destruído uma dezena de mausoléus.

Biblioteca Nacional assina contrato com a FGV


Fonte: Jornal do Brasil. Data: 30/01/2013.
Por esse valor, especialistas da FGV deverão avaliar a situação do prédio da Biblioteca Nacional, localizado no Rio de Janeiro, e apresentar, em seis meses, um programa de modernização institucional, organizacional e da infraestrutura do edifício.

Documentos do Vaticano são disponibilizados


Fonte: Portal Terra. Data:
URL: http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/documentos-da-biblioteca-do-vaticano-sao-disponibilizados-para-internautas,5dde6040a398c310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html
O Vaticano colocou nesta quarta-feira à disposição dos internautas os primeiros 256 manuscritos da Biblioteca dos Papas, graças a um projeto que pretende disponibilizar na internet mais de oitenta mil documentos

Novidades na Biblioteca Européia


A Biblioteca Europeia (European Library) provê o acesso às coleções das bibliotecas nacionais de 46 países europeus, além de um número crescente de bibliotecas especializadas e universitárias. O seu acervo inclui livros raros, manuscritos, imagens e vídeo. A Biblioteca Européia permite que os usuários possam pesquisar 107 milhões de registros bibliográficos, incluindo mais de 24 milhões de páginas de informação em texto completo e mais de 11 milhões de objetos digitais.


5 de fev de 2013

Biblioterapia em hospitais públicos


A Câmara dos Deputados analisa proposta que estabelece o uso da biblioterapia, ou seja, a terapia por meio da leitura, nos hospitais públicos e naqueles contratados ou conveniados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A medida está prevista no Projeto de Lei 4186/12, do deputado Giovani Cherini (PDT-RS).

Leia detalhes no URL:

Novo número: Informação e Sociedade


Acaba de ser publicado o v. 22, n. 3, 2012, da revista “Informação & Sociedade: Estudos”. O acesso aos artigos pode ser feito via URL:
Sumário
Editorial

·         O campo da Ciência da Informação no Brasil. Gustavo Henrique de Araújo Freire, Isa Maria Freire.

Artigos de Revisão

·         Usuários da informação sob a perspectiva fenomenológica: revisão de literatura e proposta de postura metodológica de pesquisa. Tatiane Krempser Gandra, Adriana Bogliolo Sirihal Duarte.
·         A condição estruturante das tecnologias nas relações sociais: potencialidades na interlocução entre biblioteca e usuário. Barbara Coelho Neves, Raquel do Rosário Santos, Henriette Ferreira Gomes.
·         A gestão dos espaços informacionais em ambientes de arquitetura da informação organizacional. José Juan Péon Espantoso.

Memórias Científicas Originais

·         Regime de informação: construção de um conceito. Maria Nélida González de Gómez.
·         Formação em biblioteconomia a distância: a implantação do modelo no brasil e as perspectivas para o mercado de trabalho do bibliotecário. Mariza Russo.
·         Informação, representação e produção de saberes sobre o crime – o Gabinete de Identificação e de Estatística do Rio de Janeiro (1903-1907). Icléia Thiesen, André Luís de Almeida Patrasso.

Pontos de Vista/Notas/Comentários

·         Conhecimento, informação e meios de transmissão cultural. Solange Puntel Mostafa.

Relatos de Experiência

·         Trajetória do Programa de Iniciação Científica da UFSC no período de 1990 a 2010. Airton Costa, José Alonso Borba, Adilson Luiz Pinto, Carolina Aguiar da Rosa.

Relatos de Pesquisa

·         Arquitetura da Informação no Ambiente Digital: Avaliando as relações com o Direito da Propriedade Intelectual. Guilherme Ataíde Dias, Silvana Aparecida Borsetti Gregório Vidotti.
·         Redes de mobilização social: as práticas informacionais do Greenpeace.Valdir José Morigi, Luciana Monteiro Krebs.
·         Pesquisa bibliográfica e web 2.0: percepção de estudantes de pós-graduaçao em ciência da informação. Patricia da Silva Neubert, Rosângela Schwarz Rodrigues.
·         Projeto de serviços para Gestão Documental com uso de abordagem tecnológica SOA (Arquitetura Orientada a Serviços). Claudio Jose Silva Ribeiro.
·         Recursos Informacionais no Second Life: a Info Island. Maíra Prado da Silva, Maria Inês Tomaél.

Comunicações de Trabalhos/Pesquisas em Andamento

·         Curadoria digital de dados de pesquisa: preservação, novos documentos e comunicação científica. Luis Fernando Sayão, Luana Farias Sales.

Resumos de Dissertações

·         Resumos de dissertações defendidas no PPGCI da UFPB em 2011 - Parte 2 de 2 Cleyciane Cássia Moreira Pereira, Juliana Buse de Oliveira, Tahis Virginia Gomes da Silva, David Henrique de Moura Viana, Débora Adriano Sampaio, Ana Andréa Vieira Castro de Amorim, André Anderson Cavalcante Felipe, Lucas Almeida Serafim, Briggida Rosely de Azevedo Lourenço, Denysson Axel Ribeiro Mota.

 

Biblioteca Braile do Amazonas


Fonte: Portal G1. Data: 28/01/2013.

URL: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2013/01/biblioteca-braile-do-amazonas-oferece-mais-de-quatro-mil-titulos.html

Clássicos da literatura brasileira como livros de José de Alencar e Érico Veríssimo, além das populares sagas Harry Potter, Crepúsculo e até '50 Tons de Cinza' da autora inglesa Erika Leonard James podem ser encontrados no acervo de mais de quatro mil títulos da Biblioteca Braile do Amazonas, localizada no Bloco C do Centro de Convenções do Amazonas, Sambódromo, Zona Centro-Oeste de Manaus.

O espaço disponibiliza aos interessados livros em formado MP3 e braile, filmes com audiodescritos, além de aulas de violão, teclado e informática. O local possui estrutura para atender pessoas com deficiência visual ou auditiva. Um dos destaques da biblioteca são dois estúdios nos quais voluntários gravam e produzem livros.

Segundo o gerente do espaço, Gilson Oliveira, as portas estão abertas para os que desejam fazer audiodescrição. "Basta telefonar, marcar o dia e vir fazer o teste. Temos cerca de 120 pessoas que trabalham conosco, entre professores, acadêmicos e usuários", afirmou.

Atualmente, a biblioteca conta com, aproximadamente, quatro mil livros falados, mil livros em braile, 38 filmes com audiodescrição e 12 canetas pentops (dispositivo com um sensor posicionado em sua ponta e um computador interno capaz de decodificar o material impresso e reproduzir sons previamente gravados). Além disso, estão disponíveis duas impressoras em braile, sendo uma delas interpontada (capaz de imprimir dos dois lado do papel).

Gilson Oliveira explicou ainda que, no início, o lugar era apenas um setor. "Estávamos localizados no Centro. Quando passamos para o Centro de Convenções, tivemos mais espaço e ganhamos os estúdios, tanto que antes não produzíamos, só emprestávamos livros", relatou. A Biblioteca Braile do Amazonas funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 17h

Furto de obra rara da Biblioteca de Belas Artes da UFRJ


Fonte: Jornal do Brasil. Data: 2/02/2013.

URL: www.jb.com.br/rio/noticias/2013/02/02/furto-de-obra-rara-da-biblioteca-de-belas-artes-do-rio-tramita-na-justica/

Um dos maiores patrimônios culturais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a biblioteca da Escola de Belas Artes (EBA) conserva um rico acervo de obras raras, constituído, em grande parte, pelos livros que chegaram ao Brasil pelas mãos da Missão Artística Francesa, trazida pelo rei dom João VI. Ao todo, são consideradas raridades cerca de 800 livros, dos mais de 30 mil títulos existentes na biblioteca, a mais antiga da universidade.

Em fevereiro de 2006, a biblioteca da EBA foi alvo de furto que resultou em um processo que ainda hoje tramita na 4ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Duas mulheres, que se identificaram como pesquisadoras, compareceram três vezes à biblioteca para consultar as obras raras e, na última visita, saíram levando o livro Ornithologie Brésilienne, Histoire des Oiseaux du Brésil, de Descourtilz, datado de 1852. “O furto ocorreu na véspera do carnaval. Eu me lembro que uma das duas mulheres estava grávida”, conta a professora Ângela Luz, na época diretora da Escola de Belas Artes. “As duas preencheram as fichas, como faz qualquer visitante, fizeram sucessivas consultas e foram, aos poucos, ganhando a confiança das bibliotecárias”, recorda Ângela.

“No último dia, uma delas se levantou, dizendo que ia ao banheiro e a outra continuou pesquisando os livros, mas, depois, foi embora. A bibliotecária estranhou e foi até à mesa, constatando que elas tinham deixado alguns objetos pessoais, como uma caixa de óculos sobre a mesa. E, ao recolhermos os livros, vimos que da obra rara sobre os pássaros só havia a capa dura. O miolo do livro tinha sido retirado e, em seu lugar, foi colocado um atlas antigo, do mesmo tamanho”, relata a então diretora da faculdade, que imediatamente comunicou o fato à Polícia Federal.

“Envolvemos os objetos pessoais que elas deixaram em um plástico bolha. Esse material foi entregue à polícia”, conta Ângela Luz, para quem as impressões digitais deixadas nos objetos ajudaram na identificação das autoras do furto.

O livro foi encontrado em 2007, em São Paulo, pela Polícia Federal, que estava investigando outros furtos de obras raras cometidos pelo mesmo grupo. No meio de vários livros furtados de outras instituições, estava o miolo de Histoire des Oiseaux du Brésil. No dia 27 de outubro daquele ano, a professora Ângela Luz viajou até a capital paulista para identificar e trazer de volta a obra.

O episódio obrigou a Escola de Belas Artes, assim como outras unidades da UFRJ, a reforçarem o sistema de segurança de suas bibliotecas. Além da vigilância das câmeras, a consulta às obras raras exige o preenchimento de uma ficha informando a razão e uma carta de encaminhamento da direção da escola. As obras são ainda protegidas por uma etiqueta antifurto e por alarme.

O caso resultou em denúncia do Ministério Público Federal (MPF), encaminhada à Justiça Federal. As investigações levaram aos nomes das supostas autoras do furto – Iwaloo Cristina Santana Sakamoto e Verônica da Silva Santos - e também ao de Laéssio Rodrigues de Oliveira que, segundo o MPF, já esteve envolvido em diversos furtos em museus e bibliotecas.

De acordo com a denúncia do MPF, Laéssio integra, juntamente com Iwaloo, Edina Raquel de Souza Cordeiro, Marcos Pereira Machado e Ricardo Pereira Machado, um grupo especializado em furtar e vender obras raras de acervos de museus e fundações públicas. Outra denúncia tramita contra o grupo na 4ª Vara Federal Criminal do Rio, sob a responsabilidade do procurador Carlos Alberto Aguiar.

Estudante de biblioteconomia, Laéssio, apontado como o líder do grupo, foi preso pela Polícia Federal em outubro de 2006, juntamente com Iwaloo, Edina Raquel e Marcos Pereira Machado. Segundo a investigação policial, o grupo planejava furtar peças raras da Fundação Casa de Ruy Barbosa, em Botafogo, na zona sul do Rio.

No dia 2 de janeiro, a Agência Brasil publicou reportagem sobre a denúncia do MPF, encaminhada à 4ª Vara Criminal Federal do Rio, a respeito do furto na Escola de Belas Artes. A denúncia, a cargo do procurador José Guilherme Ferraz, faz menção a uma cópia do documento de controle de entrada de leitores da Biblioteca Nacional, onde as duas supostas autoras do furto estiveram, com seus nomes verdadeiros, na véspera de sua primeira visita à biblioteca da Escola de Belas Artes.

Procurada agora pela Agência Brasil, Iwaloo Cristina Sakamoto alega que foi acusada de um ato que não cometeu. Ao depor na polícia, ela também negou estar envolvida no furto ocorrido na biblioteca da EBA. Em função do episódio da Casa de Ruy Barbosa, Iwaloo ficou detida por quatro meses.

“Eu não estou envolvida. Isso aí está no ano de 2006. Pra te falar a verdade, eu nem me lembro se estive mesmo no Rio em 2006. Agora, eu não estou envolvida. Eu nunca fui a essa faculdade. Eu nem sei onde ela fica”, disse Iwaloo que, no entanto, admitiu ter ido à Biblioteca Nacional. “Se eu estive na Biblioteca Nacional foi em caráter de passeio, de turismo no Rio de Janeiro, nada mais além disso”, acrescentou.

Iwaloo Sakamoto atribuiu o fato de ter sido acusada do furto à relação de amizade que mantém com Laéssio Rodrigues de Oliveira. “Pelo fato de eu ter amizade com o Laéssio, não significa que eu participe das mesmas coisas que ele. Aliás, fui presa por causa disso, por minha amizade com ele.”

Depois de quatro meses na penitenciária Bangu 7, Iwaloo, que estava grávida, ganhou a liberdade cinco dias antes de seu filho nascer. Desde então, responde em liberdade ao processo que corre sobre o furto na Casa de Ruy Barbosa, caso em que ela também alega inocência.

“Na Fundação Rui Barbosa, eu não roubei nada lá, entendeu? Simplesmente foi feito um favor para um amigo do Laéssio. Eu só fui lá para verificar, mas nada além disso. Eu não levei nada, eles não têm como provar, porque eu realmente não fiz nada. Eles estão me indiciando. Dizem que este mercado [furto de obras raras] é o quarto maior de coisas ilícitas, mas eu moro de aluguel, eu estou grávida e meu filho não tem nenhum enxoval. Eu não tenho dinheiro e não tenho como, você me entende? Eu só estou gastando dinheiro com advogado. Se eu tivesse ganho algum tipo de lucro, eu não tive lucro nenhum. Só prejuízo”, relatou a acusada.

Por intermédio da assessoria de comunicação do MPF no Rio, o procurador José Guilherme Ferraz disse que, no momento, não tem mais nada a informar sobre a denúncia enviada à Justiça Federal, além do que já disse no início de janeiro. Se for condenada na Ação Penal 0812174-92/2007, que tramita na 4ª Vara Federal Criminal do Rio, Iwaloo Cristina Sakamoto pode pegar de dois a oito anos de prisão.

4 de fev de 2013

Livros eletrônicos de Biblioteconomia


A Associação dos Bibliotecários de Goiás disponibiliza, em sua página, novos e-books das áreas de Biblioteconomia, Arquivologia e Ciência da Informação.

Usuários de biblioteca pública querem livros e tecnologia


Um novo relatório, publicado nos Estados Unidos, pelo Pew Research Center indica que o livre acesso à tecnologia nas bibliotecas públicas é tão importante para os americanos como livros impressos e serviços de referência. O documento "Library Services in the Digital Age [Serviços bibliotecários na na Era Digital" (arquivo PDF), lançado 22 de janeiro de 2013 pelo Centro Pew Internet e American Life Project, mostrou que 80% dos 2.252 entrevistados disseram empréstimo de livros e consultas aos bibliotecários de referência foram "muito importantes", enquanto 77% apontaram o livre acesso a computadores e à internet como outro serviço bibliotecário essencial.

1 de fev de 2013

A biblioteca digital privada de Beyoncé


Fonte: Yahoo Omg. Data: 01/02/2013


A cantora pop Beyoncé anunciou que irá contratar um bibliotecário para catalogar as filmagens que ela fez nos últimos dez anos, bem como outros tipos de documentos privados. A cantora de 31 anos de idade possui mais de 50.000 horas de vídeos caseiros em formato digital, armazenados numa sala especial com temperatura e umidade controladas.

Se essa notícia for verdadeira ela será um bom exemplo que a cantora demonstra em relação à importância dada à preservação digital e ao processamento técnico correto de um acervo digital.

Murilo Cunha

A busca avançada irá desaparecer?


Greg Notess, um dos gurus da internet, publicou um artigo abordando a busca/pesquisa avançada disponível na maioria dos mecanismos/motores de busca.

A sua conclusão não foi nada animadora: “Os links para pesquisa avançada na página inicial dos mecanismos de busca estão em declínio, e o uso do termo pode também estar desaparecendo. (...) é provável que esse recurso seja apenas um menor foco de qualquer empresa de pesquisa na internet tendo em vista que os usuários usam muito pouco esses recursos avançados".

Referência: Notess, Greg R. Advanced Search in Retreat". Online, v. 36, n. 2, p. 43, March/April 2012.

Recursos didáticos para cuidadores de idosos


Desenvolvido pelo Centro de Excelência em Enfermagem Geriátrica da Universidade de Hartford Minnesota (US), disponibiliza recursos didáticos projetados para ajudar estudantes de enfermagem que desejam se tornar cuidadores da saúde de idosos. No sitio estão disponibilizados mais de 40 assuntos, incluindo a biologia do envelhecimento, depressão e saúde bucal.