30 de nov de 2012

Maranhão recebe 15 novas bibliotecas do Arca das Letras


Fonte: Jornal Dia a Dia. Data: 29/11/2012.

URL: http://www.jornaldiadia.com.br/index.php/eventos-e-acontecimentos/112577-maranhao-recebe-15-novas-bibliotecas-do-arca-das-letras

Comunidades rurais dos municípios de Carolina e Estreito (MA) recebem nesta quinta-feira (29), 15 novas bibliotecas rurais do Programa Arca das Letras, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Os móveis-arca foram confeccionados com o apoio da Organização Não Governamental (ONG) Gaia Social, que também contribuiu para a mobilização dos agentes disponibilizando transporte e alimentação. Cada nova biblioteca possui um acervo com mais de 200 livros, que vão desde literatura infantil a livros técnicos.

Para a coordenadora do Programa Arca das Letras, Dione Ferreira, a ação visa levar para as comunidades rurais maior acesso a literatura e informação. “Com mais esta iniciativa, o arca vai impactando positivamente nos índices de educação, favorecendo o interesse pelos livros despertado pela presença da biblioteca na comunidade. O Programa oferece às pessoas que vivem no campo uma nova proposta de avanço tecnológico e social, proporcionando meios de um exercício pleno de democracia e cidadania”, ressaltou.

Além da solenidade de entrega das arcas, serão capacitados 30 agentes de leitura que ficarão responsáveis por cuidar das bibliotecas e incentivar a leitura em sua localidade. Os agentes são pessoas escolhidas pela comunidade, que receberão, durante a capacitação, informações técnicas sobre o funcionamento da arca, como empréstimo e catalogação dos livros e métodos de incentivo à leitura. Ao final do curso eles receberão certificados de agentes de leitura.

A Gaia Social trabalha há 22 anos com o desenvolvimento sustentável educacional. Engajada no propósito de promover a conservação ambiental, a educação e a inclusão social de comunidades carentes, a ONG conheceu o Programa Arca das Letras em 2011. Junto ao MDA e às comunidades do estado do Maranhão promoveu o trabalho de incentivo, divulgação e implantação das arcas.

Arca das Letras no Maranhão

O Estado do Maranhão conta com 466 bibliotecas Arca das Letras espalhadas por 118 municípios. O programa desempenha o papel de aproximar mais de 48 mil famílias da literatura. São cerca de 89 mil livros e 932 agentes de leitura trabalhando para incentivar o hábito no meio rural.

(...)



 

Música na Biblioteca Pública do Paraná


Fonte: HNews. Data: 29/11/2012.

URL: http://hnews.com.br/?p=9187

O projeto “Música na Biblioteca” apresenta nesta sexta-feira (30), a partir das 17h30, clássicos da música popular brasileira e do cancioneiro nordestino. O show com os músicos do “Macaia Trio” será no hall térreo da Biblioteca Pública do Paraná (BPP). Além de temas do nordeste, o grupo toca também canções populares do sertão de Minas Gerais.O grupo é formado por Matheus Braga, instrumentista, cantor e compositor; Fred Pedrosa, baixista; e Felipe Castro “Sarará”, percussionista. Eles se reuniram a partir de outros trabalhos que realizaram no decorrer de 2011, em Curitiba.

Iniciativa da BPP, o projeto visa valorizar os talentos da música local. “A Biblioteca se afirma como espaço cultural diversificado, que fomenta a arte e a cultura de diversas maneiras. Trazer a música para o cotidiano do público faz parte da proposta de integração de linguagens da BPP”, diz Tatiane Garcia, a responsável pela curadoria do projeto

29 de nov de 2012

Biblioteca Pública de SC monta árvore de Natal com livros


Fonte: Portal G1. Data: 28/11/2012.

Autora: Géssica Valentini.

URL: http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2012/11/biblioteca-publica-de-sc-monta-arvore-de-natal-com-14-mil-livros.html

Uma árvore de Natal com quase 1,4 mil livros foi montada na Biblioteca Pública de Santa Catarina, em Florianópolis. A iniciativa foi da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), com o objetivo presentear os visitantes do espaço, que fica no Centro da capital.

Os 1.380 exemplares são de obras do poeta catarinense Cruz e Sousa e posteriormente serão doados a visitantes. A árvore ficará no hall de entrada da Biblioteca até o dia 6 de janeiro de 2013, dia em que a comunidade cristã comemora o Dia de Reis e que tradicionalmente os arranjos natalinos são desmontados.

Ainda de acordo com a FCC, cerca de 2,5 mil pessoas passam pela Biblioteca Pública todos os meses.

Dia Nacional do Livro


João Carlos Bacelar*

Fonte: A Tarde (Salvador, BA). Data: 23/11/2012.

URL: http://atarde.uol.com.br/opiniao/materias/1468994-dia-nacional-do-livro

Hoje é comemorado o Dia Nacional do Livro. A celebração é nesta data, pois neste mesmo dia, em 1810, a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil e então foi inaugurada a Biblioteca Nacional, no Rio de janeiro. Faz-se necessário recordar que, na época, a capital do Brasil abrigava a corte de D. João VI. A primeira obra de que se tem registro editada no País foi Marília de Dirceu, de autoria de Tomás Antônio Gonzaga, em 1808.

Este é o início da história do livro no Brasil. Atualmente, infelizmente, o salutar hábito da leitura, seja por questões culturais, educacionais, sociais, econômicas ou históricas, está distante de ser uma das paixões nacionais. De acordo com o estudo Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro, realizado em 2007, 55% da população leu pelo menos um livro nos últimos três meses. Entretanto, deste total, a metade é constituída por alunos que estudam livros didáticos.

Outros números atestam que o Brasil ainda está distante de se tornar um país de leitores habituais. Sessenta e seis por cento dos livros estão nas mãos de 20% da população. E de cada três entrevistados, dois não frequentam a biblioteca. A solução para massificar o hábito da leitura no nosso País é a via da educação. Pois a mesma pesquisa demonstra que a barreira da ignorância é fundamental na constituição destes números, afinal, 28% dos entrevistados declararam que não foram alfabetizados.

A Secretaria Municipal da Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Salvador estimula, através do nosso corpo docente, o hábito da leitura. Os livros utilizados em sala de aula, assim como em todos os municípios do País, são fornecidos pelo MEC, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). São distribuídos o material didático para o aluno do 1º ao 9º ano; os livros didáticos específicos para a Educação de Jovens e Adultos (EJA); as obras do Programa Biblioteca na Escola e a literatura para o alfabetizando, do 1º ao 3º ano.

Afinal, fomentar o hábito da leitura na criança e adolescente é uma oportunidade única para a formação do cidadão pleno, com reflexos positivos em toda a vida do educando.

 

*Secretário municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Salvador.

28 de nov de 2012

Ler Dostoiéski reduz a pena do preso

Os apenados da comarca de Joaçaba/SC que lerem e entenderem a obra "Crime e Castigo", de Fiódor Dostoiévski, poderão ter as penas reduzidas. A proposta faz parte do "Reeducação do Imaginário", projeto comandado pelo juiz Márcio Umberto Bragaglia, da vara Criminal, que consiste na distribuição de obras clássicas.

De acordo com as regras, que entregará aos presos a obra e um dicionário de bolso, os participantes que demonstrarem compreensão do conteúdo, respeitada a capacidade intelectual de cada apenado, poderão ser beneficiados com a remição de quatro dias de suas respectivas penas.

Após o primeiro módulo do projeto, com a obra de Dostoiévski, serão adquiridos os livros "O Coração das Trevas", de Joseph Konrad, obras de William Shakespeare, Charles Dickens, Walter Scott, Camilo Castelo Branco, dentre outros autores. As avaliações do projeto, que conta com o apoio e a participação do MP/SC, ocorrerão em 30 dias.

Bragaglia explicou que a iniciativa visa a "reeducação do imaginário dos apenados pela leitura de obras que apresentam experiências humanas sobre a responsabilidade pessoal, a percepção da imortalidade da alma, a superação das situações difíceis pela busca de um sentido na vida, os valores morais e religiosos tradicionais e a redenção pelo arrependimento sincero e pela melhora progressiva da personalidade, o que a educação pela leitura dos clássicos fomenta".

Informação sobre química orgânica



A OpenCourseWare Initiative está disponibilizando materiais didáticos sobre química orgânica. Criado na Universidade da Califórnia (Irvine), pelo Professor James Nowick, o curso tem inúmeros materiais didáticos sobre essa matéria. No sitio os visitantes podem ver 27 palestras e aprofundar suas habilidades para resolver problemas.


27 de nov de 2012

Criada a ABRAINFO



Data: 23/11/2012.
Fonte: Facebook.
Autoria: Luis Augusto Milanesi.
Foi surpreendente a Assembleia de Fundação da ABRAINFO (Associação Brasileira de Profissionais da Informação). O número de participantes ultrapassou a expectativa: 85 sócios fundadores de 5 estados e DF. Outra surpresa: a diversidade. A reunião foi plenamente interdisciplinar. A ideia da convergência e da integração esteve presente o tempo todo. Pareceu-me que esse sentimento estava em latência só aguardando o momento propício para surgir e se fixar. Aprovado o Estatuto e criada a ABRAINFO o aplauso foi longo e nada formal. Creio que todos estavam sinceramente envolvidos e até emocionados.
Proximamente, Briquet de Lemos, presidente do Conselho Deliberativo, publica aqui o Estatuto aprovado.
Regina Fazioli e William Okubo, escolhidos para a secretaria e comunicação darão outros detalhes das decisões da Assembleia.
Rosiclé Hollaender ficou responsável pelas finanças, entendendo que a entidade não pode depender unicamente de anuidade.
Fiquei ajustado ao meu papel de "tarefeiro": como diretor executivo vou tentar cumprir as metas da ABRAINFO.
Agora, este grupo mudou o nome e foi aberto à participação de todos os interessados. Isso permitirá, enquanto não tivermos melhores ferramentas de comunicação, expor aqui todos os passos do percurso para cumprir as várias etapas legais de formalização da entidade.
Desde já preciso preparar o terreno para receber os primeiros associados. Aguardem informações aqui. Ou me escrevam, pondo na mesa todas as dúvida.
O dia hoje foi especial pela forte marca da esperança. Desculpem-me pela exposição dos meu sentimentos, mas me sinto com 21 anos frente a esse desafio.
Por favor, tragam para cá todos que tenham interesse nessa nova e promissora ABRAINFO.

Lançamento: ISBD


Novo número: Informação e Sociedade


Acaba de sair o novo número da revista “Informação & Sociedade: Estudos”.

Abaixo o sumário:

Editorial

·         20 anos de publicação ininterrupta da revista. Gustavo Henrique de Araújo Freire, Isa Maria Freire

Artigos de Revisão

·         Leis, Decretos e Normas sobre Gestão da Segurança da Informação nos órgãos da Administração Pública Federal. Wagner Junqueira de Araujo.

·         Modelo conceitual para o capital intelectual integrado à Gestão do Conhecimento. Simone Bastos Paiva.

·         Representação temática da informação e mapas cognitivos: interações possíveis. Dulce Amélia de Brito Neves.

·         A institucionalização da Ciência da Informação no Brasil: elementos disciplinadores do campo científico. Edivanio Duarte de Souza.

·         O acesso a informações e a contribuição da arquitetura da informação, usabilidade e acessibilidade. Marckson Roberto Ferreira de Sousa.

Memórias Científicas Originais

·         A pesquisa qualitativa: origens, desenvolvimento e utilização nas dissertações do PPGCI/UFPB - 2008 a 2012. Edvaldo Carvalho Alves, Mirian de Albuquerque Aquino.

·         Produção sobre necessidades de informação: em foco Informação & Sociedade: Estudos. Francisca Arruda Ramalho.

·         Relatos de Experiência

·         Novas fronteiras acadêmicas: cooperação entre Grupos de Pesquisa em Ciência da Informação no Brasil. Isa Maria Freire, Placida Leolpdina Ventura Amorim da Costa Santos.

·         A inclusão digital dos agentes de limpeza urbana e dos agentes ambientais da coleta seletiva de lixo da cidade de João Pessoa/PB. Julio Afonso Sá de Pinho Neto.

Relatos de Pesquisa

·         Informação & Sociedade: Estudos – Memórias de um periódico científico. Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque, Guilherme Ataíde Dias.

·         A configuração do campo da Ciência da Informação: marcas de uma identidade. Gustavo Henrique de Araújo Freire, Jonathas Luiz Carvalho Silva.

·         Informação arqueológica de Ingá: preservação, acesso e uso a partir de um ambiente virtual. Liliane S. Machado, Carlos. Xavier Azevedo Netto, Thaíse K. L. Costa, Ronei M. Moraes, Pablo Rodrigues Rosa, Pablo C. P. Laranjeiras, Daniel P. S. Medeiros, Eduardo L. Falcão, Anderson P. Belo, Herminegildo R. R. Netto.

·         Conteúdos temáticos como subsídios para indicação de colaboração na Ciência da Informação: PPGCI/UNESP e PPGCI/UFPB em evidência. Emeide Nóbrega Duarte.


O texto completo pode ser acessado no URL:

24 de nov de 2012

Novo número: AtoZ


Acaba de ser publicado o novo número da revista AtoZ: novas práticas em informação e conhecimento, publicada pelo Curso de Gestão da Informação da Universidade Federal do Paraná/Brasil.

Sumário do número atual (v. 1, n. 2, jan./dez. 2012):

Editorial

·         O efeito contagiante da produção científico-acadêmica. Lígia L. B. Kraemer.

Entrevistas

·         Questões de metodologia - Parte 2. Leilah Santiago Bufrem.

Artigos


·         Rede de tecnologia do Amazonas: fonte informacional para tomada de decisão. Thiago Giordano de Souza Siqueira, Célia Regina Simonetti Barbalho.

·         A View of innovation process in a collaborative perspective. Thais B. Zaninelli.

·         Redes sociais de produção e colaboração tecnológica para o descarte de resíduos de equipamentos elétricos e eletrônicos. Luciara Cid Gigante, Camila Carneiro Dias Rigolin, Júlia Fernandes Marcelo.



O texto completo dos artigos pode ser acessado no URL: www.atoz.ufpr.br/index.php/atoz

Para que serve a biblioteca escolar?


As competências do professor bibliotecário. Documentário é objeto de uma entrevista de Isabel Mendinhos Isabel Mendinhos, Coordenadora Interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares – Portugal. O vídeo está disponível no URL:


 

Editores de periódicos científicos reclamam do CNPq


Assunto: Re: Carta ao CnPq solicitando alterações no edital para apoio a periódicos - mobilização de editores


Aos representantes das áreas de Ciências Humanas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

O programa de fomento aos periódicos científicos financiados por editais do CNPq/CAPES logrou bons resultados nos últimos anos, especialmente pelo caráter inclusivo, uma vez que essas instituições têm como característica comum uma compreensão horizontal das ciências, não por acaso constituem, cada qual ao seu modo, diferentes Comitês de Áreas e/ou Assessores. Contrariando essa concepção, a chamada MCTI/CNPq/MEC/CAPES n.09/2012 estabelece condicionalidades para a participação de periódicos que resultarão, certamente, na redução da participação dos periódicos das áreas de ciências humanas e sociais.[1] Essa condicionalidade resultará em restrições, justamente pela necessidade de indexação no ISI (Thomson Co.), Scopus (Elsevier), PubMed (US National Library of Medicine) ou Scielo. O processo de indexação em cada uma das bases citadas mereceria uma reflexão apurada, uma vez que existe uma literatura nacional e internacional que contextualiza sua importância e especificidade para as distintas áreas científicas. Entretanto, a demanda dos editores nesse momento pauta-se em dois aspectos da avaliação, entre outros possíveis que exigiriam maior tempo para discussão. O primeiro é a isonomia. Os editais “universais”, constituídos por recursos públicos, deveriam se pautar em políticas horizontais, motivo pelo qual não há sentido em privilegiar algumas áreas, a exemplo das indexações da PubMed, o que fere, de partida, as condições isonômicas de concorrência. O segundo guarda relação com o não reconhecimento, no referido edital, da própria política de qualificação do Qualis-Capes. Para se ter uma ideia, nas áreas de geografia, história e sociologia, existem aproximadamente 15 periódicos nacionais classificados como A-1 e pelo menos outros 30 classificados como A-2 e mais de 60 classificados como B-1 - isso sem enumerar os periódicos nas áreas de educação, arquitetura, urbanismo, ciências políticas, filosofia, direito etc. Que tipo de política é essa que classifica periódicos de A-1 (avaliação de excelência como indicado em diferentes documentos de áreas) e, ao mesmo tempo, os impede de participar de editais financiados pela própria instituição?

Enfim, não se trata de negar a relevância dos indexadores. Ao contrário, são importantes ferramentas de mapeamento do público leitor e quantificação do impacto da produção científica. Contudo, negar a avaliação de área da CAPES como parâmetro de qualidade nos parece um procedimento que desconsidera os caros debates, com participação de editores e representantes de área, que ocorrem na própria CAPES.

Com os argumentos descritos, solicitamos a reconsideração dos parâmetros de exclusão.

 

[1] Como consta no referido edital: “II.2.2.1 - O periódico deve: d) estar, obrigatoriamente, indexado nas bases de dados ISI (Thomson Co.), Scopus (da Elsevier), PubMed (US National Library of Medicine) ou Scielo; e estar classificado no mínimo com B2 no Qualis da área ou subárea de conhecimento para o qual esteja se candidatando”. In: http://www.cnpq.br/web/guest/noticiasviews/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/633932. Acesso em 29/10/2012.

FNDE avalia o programa do livro


Fonte: Ministério da Educação. Data: 2/11/2012.

URL: www.fnde.gov.br/index.php/noticias-2012/3124-fnde-avalia-gestao-dos-programas-do-livro-em-santa-catarina

Avaliar e aprimorar a gestão dos programas do livro no Estado de Santa Catarina e nos municípios de Florianópolis e São José. Esse é o principal objetivo do monitoramento que o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) realiza, nesta semana, na região metropolitana da capital catarinense. Técnicos do FNDE farão visitas a escolas públicas estaduais e municipais para verificar a gestão local do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE). Também haverá capacitação sobre os programas do livro para gestores educacionais, coordenadores, diretores, professores e servidores das bibliotecas escolares.

Amazon abre vagas no escritório de São Paulo


Fonte: Portal G1. Data: 01/11/2012.

A Amazon abriu mais de dez vagas para trabalhar em seu escritório de São Paulo, segundo mostram anúncios divulgados no site da companhia. Os funcionários exercerão funções relacionadas a áreas como vendas, marketing, engenharia e relações públicas. [...] Segundo informações da Junta, a Amazon está registrada para realizar o “comércio varejista de outros produtos não especificados anteriormente”. Além disso, poderá tratar de “depósitos de mercadorias para terceiros”, atividades relacionadas ao transporte de mercadorias e o tratamento de dados, provedores de serviços e serviços de hospedagem na internet.

Texto completo no URL: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/10/amazon-abre-vagas-para-seu-escritorio-em-sao-paulo.html

23 de nov de 2012

Curso: MARC 21


Petição pública: salário do bibliotecário


Está em andamento uma petição pública para «para a aprovação do Projeto de Lei que institui o piso salarial do profissional Bibliotecário, empregado em empresa privada, no Distrito Federal.»

Maiores detalhes no URL:


 

Participe!

=======

Documento original

PELA APROVAÇÃO DO PISO SALARIAL DO BIBLIOTECÁRIO EMPREGADO EM EMPRESA PRIVADA! O Conselho Regional de Biblioteconomia - 1ª Região propõe, diante das injustiças trabalhistas e salariais sofridas pelos profissionais Bibliotecários, que atuam na iniciativa privada, a Minuta do Projeto de Lei para a criação do piso salarial para os Bibliotecários que atuam na iniciativa provada, com o apoio do Deputado Distrital Chico Leite, que abraçou prontamente esta iniciativa em defesa da classe Bibliotecária do Distrito Federal.

Esta iniciativa estipula em seu parágrafo 1º os valores médios para quatro horas diárias de trabalho ou de 20 horas semanais e para o caso de dedicação exclusiva em jornada de oito horas diárias ou para 40 horas semanais. Quanto ao reajuste salarial, este deverá acontecer anualmente, sempre no dia 1º de janeiro e corrigido pela variação do Índice Nacional de Preços do Consumidor – INPC. Lembrando que os valores e o teor do Projeto podem ser alterados, de acordo com o entendimento da categoria.

Assim, contamos com a sua assinatura para obter o maior apoio e participação possíveis da categoria no envio e aprovação do Projeto, garantindo que nossos profissionais tenham um salário digno e compatível com suas atribuições.

------------------------------------------------------------------------------

MINUTA

PROJETO DE LEI Nº , 2012

Dispõe sobre o piso alarial do Bibliotecário empregado privado no âmbito do Distrito Federal.

O GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL,

Faço saber que a Câmara Legislativa do Distrito federal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º IO piso salarial do Bibliotecário empregado privado é de I – R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais) mensais, para jornada de até quatro horas diárias ou vinte horas semanais;

II – R$ 2.100,00 (dois mil e cem reais) mensais, em caso de dedicação exclusiva, para jornada de até oito horas diárias ou quarenta horas semanais.

Art. 2º O reajuste do piso salarial de que trata esta Lei é anual, sempre no dia primeiro de janeiro do ano subseqüente, pela variação acumulada do Índice nacional de Preços ao Consumidor.

Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 4º Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, __ de ___________ de 2012 124º da República e 52º de Brasília

AGNELO QUEIROZ

Os signatários

Curso de Biblioteconomia a distância

A Universidade de Caxias do Sul oferece o curso de Bacharelado em Biblioteconomia no formato EAD:

GRA000905 - Biblioteconomia (EAD)
Cidade: Caxias do Sul
Pólos de Ensino: Caxias do Sul, São Sebastião do Caí, Vacaria
Autorização: Resolução CONSUNI Nº 09, de 19.09.12
Turno: Nenhum
Duração: 4 anos
Créditos: 158
Valor do crédito básico para 2013: R$ 120,33
Carga Horária:
Horas Atividades Complementares Total
2490 120 2610 + ENADE
ENADE – Exame Nacional de Desempenho de Estudantes, componente curricular obrigatório para a conclusão do curso, instituído pela Lei no 10.861 de 14-04-2004.



Biblioteca é criada com livros encontrados no lixo


Fonte: EasyCoop. Data: 22/11/2012.

Em Mirassol, cidade que fica a 455 km da capital paulista, a catadora de recicláveis, Cleuza Aparecida Branco de Oliveira, 47, que é apaixonada por leitura, tem feito algo especial para os outros catadores.

Ela sempre cultivou o sonho de ter uma biblioteca na sua casa e de poder emprestar livros para as pessoas que não tem dinheiro para comprar um.

Cleuza de tanto ver obras de grandes escritores no lixo, como Machado de Assis, José Saramago e Érico Verissimo, passou a ler estes livros encontrados no meio do lixo e pôde realizar o seu desejo ter uma biblioteca.

Ela foi guardando os livros e inaugurou a biblioteca, não na sua casa, mas na cooperativa, da qual faz parte.

O acervo que Cleuza criou, já conta com 300 títulos. O espaço criado e administrado por 11 catadores tem, além da biblioteca, um brechó, brinquedoteca, uma área para discos e local para a leitura dos livros.

Os livros são emprestados gratuitamente, mas quem quiser pode comprar os títulos repetidos, que custam R$ 0,50 cada um. O dinheiro vai para a própria associação.

O projeto teve tanto sucesso que empresas de Mirassol têm feito doações, o que possibilitará a ampliação da área, de acordo com Cleuza.

A catadora Cleuza, de forma simples, está contribuindo para que outras pessoas da associação de catadores possam ter acesso a livros e entrarem no maravilhoso mundo da leitura.
Nota do blog:
As ações da comunidade são sempre bem vindas. O problema é que esse tipo de ação nem sempre alcança resultados permanentes. Aqui se vê a falha das autoridades municipais de Mirassol (SP) em não prover acesso à leitura a um percentual maior da população. Cleuza, a "catadora de livros", merece elogios. Agora, a sua ação deve ser complementada por políticas públicas na área de leitura.
Murilo Cunha

Biblioteca Saber com Sabor é reinaugurada



Fonte: Midianews. Data: 222/11/2012.

A SME (Secretaria Municipal de Educação [Cuiabá, MT] reinaugurou e entregou nesta quinta-feira (22), o ônibus biblioteca, que passou por readequações para poder oferecer mais qualidade aos serviços da chamada Biblioteca Itinerante Saber com Sabor.

A entrega simbólica do ônibus foi comemorada com uma manhã de arte na Praça Alencastro. O veículo é equipado com TV, DVD e notebook com internet móvel, toldo para proporcionar atividades externas com maior conforto as crianças, leitores e visitantes, e um acervo de aproximadamente 3.000 exemplares de livros, revistas e gibis, e obras de escritores mato-grossenses

O ambiente conta ainda com fantasias de personagens da literatura infantil, mala literária e o baú surpresa, em que a criança imagina e conta sua história.

A secretária-adjunta de Educação, Cilene Maciel, junto com os deputados mirins do estado de Mato Grosso, descerrou a placa e reinaugurou oficialmente a Biblioteca Itinerante, ressaltando os benefícios da leitura e o trabalho desenvolvido pela equipe do projeto Saber com Sabor.

“Ler é construir conhecimento. Hoje nós estamos devolvendo a Cuiabá esse ônibus que vai rodar os bairros da cidade que não são atendidos pelo programa Saber com Sabor. Um trabalho que já vinha sendo realizado, mas que agora vai dar muito mais conforto aos cidadãos”, pontuou Cilene.

Coordenadora do projeto, Edvair Pereira Alves, comemorou a concretização da reforma do veículo e a oportunidade de levar a leitura para os quatro cantos de Cuiabá com muito mais estrutura para atender as comunidades.

“Vamos levar com muito mais qualidade um mundo de saberes para os bairros da nossa cidade. Além da leitura, a Biblioteca Saber com Sabor também leva performances teatrais, contadores de história e muitas outras atividades que nos fazem reviver a fantasia da literatura. Agradecer aos parceiros que nos ajudaram nessa reforma e trabalhar ainda mais para levar cultura e conhecimento para toda Cuiabá”, disse Evair.

Durante o evento, também foi inaugurado um ponto de leitura no saguão do Palácio Alencastro, onde os cidadãos e servidores poderão doar, emprestar e ler livros e outras publicações.

Saber com Sabor

Além do ônibus, as Bibliotecas Saber com Sabor contam com mais sete unidades espalhadas por diversas regiões da cidade, gerenciados e mantidos pela SME.

O primeiro espaço foi a da Clóvis Cardozo, inaugurada em 2001 pela prefeitura de Cuiabá. As demais estão localizadas nos bairros Santa Isabel, Pedregal, Dom Aquino, Pedra 90, Cidade Verde e Osmar.

Atualmente as unidades contam com terminais de acesso à internet e algumas já estão climatizadas. O acervo chega a 58 mil livros nas áreas de literatura infantil, infanto-juvenil, mato-grossense, clássica e estrangeira, além de revistas, gibis, livros didáticos e dicionários.

22 de nov de 2012

Projeto de reforma da Biblioteca Pública do Paraná


Fonte: Portal G1. Data: 19/12/2012.

URL: http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/11/projeto-de-reforma-da-biblioteca-publica-do-parana-e-apresentado.html

O projeto da reforma da Biblioteca Pública do Paraná, em Curitiba, foi apresentado nesta segunda-feira (19). A reforma prevê novos móveis e fechamento das laterais do prédio sem prejudicar a estrutura do local, que foi inaugurado em 1954.

A licitação para a execução da obra está prevista para 2013. O projeto foi feito pelo escritório que venceu o processo licitatório realizado no início de 2012.

Segundo o secretário estadual da Cultura, Paulino Viapiana, chegou o momento de modernizar e atualizar tecnologicamente o prédio que, em 2003, foi tombado como patrimônio cultural. "Essas melhorias vão ajudar ainda mais na promoção do conhecimento", afirmou.

O custo da obra, pelo projeto apresentado, é de R$ 7 milhões. De acordo com o secretário, no orçamento para 2013, estão previstos R$ 3 milhões para a reformulação da Biblioteca. O restante dos recursos deve vir de verbas orçamentárias e de parcerias com a iniciativa privada.

Um café no hall térreo está entre os itens da reforma. O hall também terá um espaço maior para exposições e lançamentos de livros. O mobiliário das salas será trocado por pelas mais modernas e a seção infantil terá novos equipamentos.