31 de jan de 2012

Livrarias em Paris

Vale a pena dar uma lida no interessante texto elaborado pela jornalista Carolina Cunha sobre as livrarias parisienses. A matéria está no URL: http://www.saraivaconteudo.com.br/Materias/Post/43748
 

Os motivos da falta de livros didáticos


Fonte: Valor Econômico. Data: 30/01/2012.
URL: www.valor.com.br/empresas/2509408/os-motivos-da-falta-de-livros-escolares
Autora: Beth Koike.
Todo o início de ano a história se repete: faltam livros escolares nas livrarias. São raros os casos em que os clientes conseguem comprar todos os livros didáticos da lista de material escolar dos filhos em uma única livraria. Com isso, a maioria das pessoas cumpre uma via sacra visitando várias lojas.
Essa falta de livros não é consequência do aumento na demanda de alunos de colégios particulares. Isso porque há cerca de 20 anos o percentual da população brasileira que estuda em escolas privadas mantém-se na casa dos 10%.
O motivo central do problema é que as livrarias não querem correr o risco de ficar com encalhe de livros didáticos, que custam em média R$ 100, e podem não ser reaproveitados no ano seguinte, caso haja uma nova versão da obra ou as escolas não adotem o título.
Ao contrário dos livros de literatura, as obras escolares não são consignadas e apenas cerca de 10% do encalhe pode ser devolvido ou trocado. "Não dá para ter todo o acervo em estoque por causa dos prejuízos de encalhe. Uma livraria bem administrada fica com uma sobra de 7% a 8%. Mas o encalhe pode ficar entre 10% e 15%, aí dá prejuízo", explica Vítor Tavares, dono da Livrarias Loyola e ex-presidente da Associação Nacional das Livrarias (ANL). "A margem bruta dos didáticos é apertada, algo entre 25% e 30%, contra 40% e 50% dos livros de literatura. Então, é preciso administrar bem a compra", complementou Marcos Pedri, diretor da Livrarias Curitiba.
"Há uma diversidade de títulos e também não é fácil a logística de distribuição de livros em um país tão grande como o nosso. As vezes, enviamos vários títulos para um Estado, mas a demanda acontece em outra região", disse João Luís Hopp, diretor financeiro da Saraiva, que tem cerca de 100 lojas no Brasil e também tem uma editora.
Do lado das editoras, a grande dificuldade é mensurar com precisão quais livros serão adotados pelas escolas. Os colégios só divulgam as listas de livros no fim do ano, sobrando pouco tempo para impressão que é feita em grandes volumes. "As editoras se baseiam nas demandas dos anos anteriores. Além disso, há em média um estoque de 50% em relação ao volume total impresso", explicou Sergio Quadros, presidente da Abrelivros, associação que representa as editoras de livros didáticos e presidente da Moderna. "Pode haver falta de alguns títulos quando há um lançamento e a demanda é grande", complementou.
Nas editoras Ática e Scipione, da Abril Educação, alguns títulos são impressos em volumes dobrados. "Quando o livro tem potencial para ser usado nos anos seguintes, imprimimos para dois anos letivos. Assim, atendemos demandas extras e os gastos são menores. O custo de impressão em pequenas quantias é 20% superior", explicou Vera Balhestero, diretora-geral da Abril Educação.

26 de jan de 2012

Bibliotecas do Ceará ganham R$ 1,5 mi


Fonte: Diário do Nordeste. Data: 21/01/2012.


Autora: Marília Camelo.

Desde o dia 13, os espaços de leitura já estão escolhendo os novos livros que farão parte da sua coleção

Um total de 241 bibliotecas localizadas em 133 municípios cearenses foram contempladas com mais de R$ 1,5 milhão no Programa de Atualização e Ampliação de Acervos de Bibliotecas de Acesso Público, projeto coordenado pela Fundação Biblioteca Nacional (FBN/MinC). A verba será toda destinada para a compra de títulos de baixo preço cadastrados no Portal do Livro da FBN (www.bn.br/plbn).

As bibliotecas já estão escolhendo os novos livros que farão parte do acervo desde o último dia 13. A lista completa dos títulos oferecidos também pode ser encontrada no Portal do Livro da FBN. Ao todo, cerca de 2.500 bibliotecas públicas estaduais, municipais, comunitárias, rurais e pontos de leitura do País já começaram a escolher os livros preferidos por seus usuários entre os mais de dez mil títulos inscritos no Cadastro Nacional de Livros de Baixo Preço.

Os valores nacional destinados a cada biblioteca foram contabilizados levando-se em conta diversos critérios, como população atendida e infraestrutura oferecida. As bibliotecas comunitárias, rurais e pontos de leitura receberão o valor fixo de R$ 4,1 mil para investimento. Já as bibliotecas cadastradas, na média geral, receberão R$ 7.750 para aquisição de livros, valor que, segundo o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, está acima da média histórica de investimento do Ministério para aquisição de acervo". Ele lembra que a decisão de se priorizar aquelas que oferecem boa infraestrutura aos leitores é uma forma de se estimular a melhoria das bibliotecas

Conquista

O Programa, criado pelo presidente da FBN, traz uma novidade: o protagonismo das bibliotecas na escolha dos livros que irão compor seu acervo.

Para Galeno Amorim, este é um momento único no setor da biblioteconomia brasileira, pois, com o Programa de Atualização de Acervos, um novo paradigma no setor é criado. Ele lembra que, agora, cada bibliotecário é que será responsável por escolher os livros que estarão nas prateleiras, respeitando as particularidades e dos seus leitores.

Servidores da Unemat participam de capacitação para operar novos sistema de bibliotecas


Fonte: O Documento (Cuiabá, MT). Data: 20/01/2012.


Os servidores que atuam nas bibliotecas regionais dos campi da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) participaram nesta semana de um curso de capacitação para operar o novo sistema de gestão e gerenciamento do acervo bibliográfico da instituição.

O Sistema de Gestão de Acervo, Empréstimo e Colaboração para Bioblioteca (Gnuteca) em implantação é desenvolvido pela empresa Solis, do Rio Grande do Sul, e faz parte da construção do sistema de gestão acadêmica da Unemat e utiliza a plataforma de software livre. Além do Gnuteca, a empresa também estará desenvolvendo para a instituição o Sistema Aberto de Gestão Unificada (Sagu) que deve ser totalmente implantado até meados deste ano.

Na capacitação de 40 horas para os servidores das bibliotecas, o instrutor da Solis, Paulo Koetz, repassou o funcionamento e a forma de operacionalizar o sistema que vai funcionar de forma integrada com todas as bibliotecas da Unemat. O novo Gnuteca vai permitir que a comunidade acadêmica possa entre outras coisas, consultar o acervo, fazer reservas de obras, receber comunicados por e-mail sobre novos materiais e/ou materiais em atraso.

Outra novidade no sistema Gnuteca é a maior interatividade com redes sociais e também com uma nova remodelagem visual que buscam facilitar o acesso do usuário. Além disso, como o sistema vai permitir acesso a materiais em formato digital que estão disponíveis na internet.

A previsão é que o novo Gnuteca seja implantado inicialmente na biblioteca do campus de Cáceres ainda em fevereiro deste ano, e em seguida em todos os outros campi. No treinamento, estiveram participando servidores de Cáceres, Tangará da Serrra, Barra do Bugres, Pontes e Lacerda e Sinop. Os demais campi receberão o treinamento no momento de implantação e migração do banco de dados das bibliotecas para o novo sistema.

O vice-reitor Dionei José da Silva, que esteve conversando com os servidores lembrou que a Unemat vem investindo esforços no sentido de melhorar a gestão e garantir cada vez mais qualidade, mas que esse é um processo de construção que só se faz com a participação de todos. Ele afirmou que este é o momento de cada servidor contribuir e apontar os problemas e também sugestões para que as melhorias ocorram.

A Pró-reitoria de Ensino e Graduação, que está à frente dessas mudanças na instituição, lembra que as dúvidas e dificuldades que forem surgindo estão sendo sanadas a fim de garantir uma prestação de serviço com melhor qualidade. Além do sistema de bibliotecas, as matrículas e também a gestão acadêmica também sofrerão mudanças para facilitar a vida da comunidade acadêmica

23 de jan de 2012

Seminário de Documentação e Informação Jurídicas

Seminário Nacional de Documentação e Informação Jurídicas
Brasília, DF, 17 a 19 de setembro de 2012

A Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal (ABDF), e parceiros, estão organizando o 3° Seminário Nacional de Documentação e Informação Jurídicas (SNDIJ), a ser realizado em Brasília, de 17 a 19 de setembro de 2012, com o tema central: Informação Jurídica: produzindo, gerindo e disseminando.
3º SNDIJ - Seminário Nacional de Documentação e Informação Jurídicas será realizado em Brasília, DF, abrindo espaço para que bibliotecários, arquivistas, museólogos apresentem seus trabalhos científicos baseados em investigação científica ou experiências inovadoras; ministrem palestras; participem de minicursos; e estabeleçam contatos profissionais.
Temário
O SNDIJ estará dividido em conferências e painéis com o seguinte temário:
1º eixo temático: Bibliotecas digitais: cenários e tendências
1.1 A biblioteca jurídica na era digital
1.2 Siga-me: o uso de redes sociais em bibliotecas jurídicas
1.3 Espaço virtual versus biblioteca tradicional: ameaça ou oportunidade?
1.4 Gestão da informação jurídica
1.4.1 O gestor da informação jurídica
2º eixo temático: Informação jurídica: antigas práticas, novos modelos
2.1 Ultrapassando fronteiras: Desenvolvimento compartilhado de coleções digitais em bibliotecas jurídicas
2.2 Espalhando conhecimento: Novos formatos para o SDI
2.3 Apropriando-se ou disseminando: O Google acadêmico
2.4 Publicar ou perecer: o mercado editorial jurídico.
3º eixo temático: Bibliotecas, arquivos e museus em prol da qualidade na gestão da informação jurídica
4º eixo temático: Soluções ao alcance de todos
Cronograma
  • Até 30 de junho de 2012 - Envio do trabalho.
  • Até 15 de julho de 2012 - Comunicação da aceitação ou não do trabalho.
  • Até 30 de julho de 2012 – Envio do texto final do trabalho, após correções sugeridas pela Comissão Acadêmica, se for o caso.
  • Os trabalhos, após o aceite do resumo, deverão ser enviados para edilenice@infolegis.com.br
Detalhes sobre o evento serão divulgados no URL: http://www.abdf.org.br/principal/

21 de jan de 2012

Bibliotecários egípcios criam sindicato

Fonte: Al Hram Online. Data: 19/01/2012.
Os bibliotecários egípcios resolveram criar uma entidade que irá congregar e defender os interesses profissionais de mais de 200 mil bibliotecários, arquivistas e especialistas de informação. O novo sindicato foi criado em reunião realizada com o Ministro da Cultura e do Diretor da Biblioteca e do Arquivo Nacional.
Existem no país 17 escolas de biblioteconomia e ciência da informação vinculadas a universidades, 13 das quais oferecem programas de pós-graduação (mestrado e doutorado). Quanto às bibliotecas, existem 22.000 escolares, 1.300 públicas, 550 universitárias e 500 especializadas.

Murilo Cunha

Internet pode afetar o cérebro como álcool e cocaína

Fonte: Veja. Data: 12/01/2012.
URL: http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/internet-pode-afetar-o-cerebro-como-alcool-e-cocaina-12012012-42.shl
O vício pela internet pode afetar o cérebro da mesma maneira que a dependência das drogas.
Cientistas chineses analisaram imagens cerebrais de adolescentes diagnosticados com "transtorno do vício de internet" e descobriram que as alterações nos órgãos dos pacientes eram semelhantes às observadas em pessoas viciadas em álcool, maconha e cocaína. A descoberta poderá ajudar no desenvolvimento de novas abordagens de tratamento. O estudo foi publicado no periódico PLoS One.
Resultado: O estudo relacionou, pela primeira vez, o vício pela internet e danos ao cérebro. Os dados mostraram que viciados em internet possuem alterações no cérebro semelhantes às pessoas viciadas em drogas como a maconha e a cocaína.
A pesquisa, financiada pela Fundação de Ciências Naturais da China, analisou imagens de cérebro de 17 adolescentes viciados em internet e as comparou com 16 jovens saudáveis. Os resultados mostraram danos nas fibras de massa branca cerebral que conectam regiões envolvidas no processamento das emoções, atenção, tomada de decisão e controle cognitivo. Alterações semelhantes já foram observadas em estudos com pessoas viciadas em álcool e cocaína.
Os autores admitem que não é possível dizer se as mudanças no cérebro são causa ou consequência do vício pela internet - é possível que pessoas jovens com alterações cerebrais sejam mais propensas ao vício. "Os resultados sugerem que a integridade da massa branca pode servir como base para o tratamento de pessoas que não conseguem se desvencilhar da internet", disseram os autores.
Conheça a pesquisa:
Título original: Abnormal White Matter Integrity in Adolescents with Internet Addiction Disorder: A Tract-Based Spatial Statistics Study.
Onde foi divulgada: periódico PLoS One
Quem fez: Fuchun Lin1, Yan Zhou, Yasong Du, Lindi Qin, Zhimin Zhao, Jianrong Xu, Hao Lei
Instituição: Jiao Tong University Medical School, Xanghai
Dados de amostragem: 17 adolescentes viciados em internet, 16 adolescentes saudáveis

FEBAB oferta cursos a distancia

A FEBAB está oferecendo uma séria de cursos a distancia. Esses cursos fazem parte do programa de capacitação do bibliotecário, tendo como objetivos atualizar os conhecimentos e ampliar as competências desse profissional.
Os cursos programados são:
Maiores detalhes no URL: http://www.febab.org.br/
Endereço:
FEBAB
Rua Avanhandava, 40, salas 108/110
São Paulo, SP CEP 01306-000
Telefone: (11) 3257-9979
E-mail: febab@febab.org.br

20 de jan de 2012

Cerca de 30% da população mundial é usuária ativa da web

Fonte: Portal G1. Data: 18/01/2012.
2,1 bilhões de pessoas estão conectadas na internet em todo o mundo. China tem 485 milhões de internautas, mais do que Europa e EUA.
Um estudo divulgado pela empresa de análise de tráfego na internet Pingdom afirma que os usuários ativos na internet somaram 2,1 bilhões de pessoas, cerca de 30% da população mundial, que é de 7 bilhões. No ano 2000, o número de usuários ativos era de 360 milhões, segundo a companhia.
A Ásia é o continente com maior número de usuários ativos na web, com 922 milhões de pessoas, representando 44% do total de internautas. Apenas a China possui 485 milhões de pessoas conectadas na internet, mais de 36% do seu total de habitantes. A Europa está em segundo lugar com 476 milhões (23%) de usuários ativos e a América do Norte possui 271 milhões (13%) em terceiro lugar.
A América Latina, incluindo o Caribe, tem 215 milhões de usuários, representando 10% do total de internautas, segundo a Pingdom.
A pesquisa ainda afirma que 45% de quem acessam a internet em todo o mundo tem idade abaixo dos 25 anos.
Número de sites aumentou
Ainda segundo estudo da Pingdom, o número de sites em todo o mundo subiu de 300 milhões em 2010 para 555 milhões registrados em dezembro de 2011. Destes, mais de 220 milhões foram registrados a partir do terceiro trimestre do ano passado.
A pesquisa ainda aponta que foram enviados 3,1 bilhões de e-mails em 2011 em todo o mundo, com o Outlook, da Microsoft, sendo o programa mais utilizado com 27% de participação.
O Facebook, segundo a pesquisa, em 800 milhões de usuários, mas teve 200 novos "membros" que entraram para a rede social em 2011. Já o Twitter tem 250 milhões de usuários ativos, sendo que 100 milhões entraram no microblog no ano passado.

Brasil chega a 57,8 milhões de acesso à internet em 2011

Fonte: Telesintese. Data: 19/01/2012.
Autora: Lúcia Berbert.
O Brasil fechou 2011 com 57,8 milhões de acessos em banda larga, com crescimento de quase 70% em relação a 2010, segundo levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil). Foram ativados 23,3 milhões de novos acessos ao longo do ano passado. O crescimento na cobertura da banda larga móvel, que dobrou seu alcance em 2011, chegou a 2.650 municípios.
De acordo com o levantamento, do total de conexões, 16,7 milhões são de banda larga fixa e 41,1 milhões de banda larga móvel. Na banda larga fixa a expansão em 2011 foi de 20,6%, com 2,8 milhões de novos acessos durante o ano. A banda larga móvel, por sua vez, cresceu 99,3%, com 20,5 milhões de novos acessos adicionados à base em 2011.
A Telebrasil informa que, do total de acessos móveis à internet, 7,9 milhões são modems e 33,2 milhões são celulares de terceira geração (3G), entre eles os smartphones. No ano passado, o número de modems cresceu 31% e o de celulares 3G 128%.
O estudo ainda constatou a expansão da infraestrutura de banda larga fixa já chega a todos os municípios brasileiros e as redes de 3G se expandiram para 2.650 municípios, onde moram 83% da população do Brasil. Segundo a entidade, a expansão da banda larga móvel foi de 105% em 2011, num ritmo de ativação de quase quatro (3,7) municípios por dia. No ano passado, 1.363 deles receberam a rede de 3G, somando-se aos 1.287 municípios que já tinham conexão no fim de 2010.
O levantamento mostra que 54% da população moram em cidades onde há pelo menos três prestadoras de banda larga móvel, permitindo ao cliente escolher o plano de serviços mais adequado ao seu perfil de consumo.

19 de jan de 2012

Wikipédia lidera o ato de apagão da internet

Fonte: Meio & Mensagem. Data: 18/01/2012.
Autor: Sergio Damasceno.
Google, Facebook, Wikipedia e Amazon estão entre as grandes empresas digitais que devem promover o primeiro apagão mundial da internet em protesto ante as propostas de legislação contra a pirataria da informática que está em debate nos EUA. O apagão está programado para esta quarta-feira, 18, e pode afetar os usuários desses e outros sites nos EUA e também no mundo. No centro da polêmica estão duas propostas - SOPA - Stop Online Piracy Act e PIPA - Protect Intellectual Property Act -, em debate pelo Congresso norte-americano. Essas propostas, se aprovadas, permitirão ao governo dos EUA e aos detentores de conteúdos intelectuais solicitar o fechamento de quaisquer sites se, porventura, entenderem que o conteúdo desses sites fere as leis dos direitos autorais. O Twitter, que também havia aderido ao protesto, recuou e não deve paralisar seus serviços.
O apagão não é oficialmente confirmado pelas grandes empresas digitais, exceto pelo Wikipedia. O Wikipedia é visitado, diariamente, por 25 milhões de pessoas. E, segundo a fundação Wikimedia, que o administra, ficará fora do ar as 24 horas desta quarta-feira, 18.No entanto, nos EUA, a NetCoalition, associação contrária ao SOPA, já avisou que há uma intenção de paralisar as operações. Entre as empresas associadas à NetCoalition, estão Google, PayPal, Yahoo, Twitter, Facebook, Wikipedia e Amazon. Se o Congresso norte-americano aprovar o SOPA e o PIPA, várias empresas digitais teriam que mudar suas operações para não ferir o direito de propriedade intelectual. É o caso do buscador do Google, que não poderia exibir nos resultados de buscas materiais protegido, por exemplo. Por outro lado, empresas como a News Corp., de Rupert Murdoch, Adidas e Ford, entre outras, defendem a aprovação do SOPA.
Pela proposta em debate, tanto anunciantes quanto empresas de pagamento automático ficam proibidas de manter relações com os sites cujo conteúdo seja avaliado como infrator de direitos autorais. À frente dessa proposta estão grandes empresas de mídia, como a própria News Corp. e também a indústria do entretenimento norte-americano. O presidente dos EUA, Barack Obama, sinalizou que não é completamente a favor de uma lei que poderia ferir a liberdade de expressão. Portanto, se o apagão digital se confirmar nesta quarta-feira, 18, o Congresso norte-americano, talvez, seja obrigado a rever as propostas altamente repressoras do SOPA e do PIPA.
IAB Brasil
No Brasil o protesto contra o SOPA ganhou o apoio do Interactive Advertising Bureau (IAB). O site da entidade no País saiu do ar desde as 14 horas desta quarta-feira, 18. Segundo comunicado, a meta é permanecer offline por oito horas, como forma de reforçar o descontentamento em relação a nova legislação norte-americana.

Blog sobre documentação audiovisual

A imagem, o som, o tempo é um blog sobre documentação audiovisual centrado na prática. Mantido por uma bibliotecária (Marina Macambyra, da ECA/USP) que trabalha há 30 anos com acervos de imagens em movimento, imagens fixas, gravações e partituras, vai tratar de assuntos ligados ao dia-a-dia do profissional da área. O primeiro post, “Indexando filmes numa tarde de sexta-feira”, trata dos problemas e dúvidas que assolam os bibliotecários que precisam indexar filmes de ficção num ambiente acadêmico. No próximo post o papo será sobre as principais limitações das regras tradicionais quando o documento catalogado é um filme. O blog é informal, mas tem bibliografia.

UFRN busca participação da comunidade universitária na compra de livros

Fonte: Tribuna do Norte. Data: 18/01/2012.
O Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) prorrogou, até o dia31 de janeiro, o prazo para a comunidade acadêmica sugerir títulos paraa aquisição de livros destinados ao acervo das 21 bibliotecas setoriaisda Universidade. A chamada, aberta no final do ano passado, teve oprazo de vigência prorrogado para possibilitar uma maior participaçãodos alunos, professores e servidores técnico-administrativos.
Deacordo com a diretora do Sistema de Bibliotecas da UFRN, Ana CristinaTinôco, "todo o acervo da biblioteca é construído com base nanecessidade dos alunos, professores, pesquisadores e servidorestécnico-administrativos, por isso o interesse em motivar essas pessoasa participarem do processo de compra".
Os recursos para aaquisição de novos títulos pelas bibliotecas universitárias sãodestinados anualmente pelo Governo Federal, através do Ministério daEducação (MEC). Ana Cristina explicou que, por falta de motivação, oumesmo por desconhecer a possibilidade de fazer a solicitação, muitosalunos deixam de remeter a listagem dos livros que precisam usardurante o curso.
Segundo ela, esse desconhecimento criadificuldade para a biblioteca organizar o pedido e, como consequência,as cinco etapas para solicitação abertas durante o ano de 2011 aindanão foram suficientes para utilizar o valor total da verba destinadaespecificamente para a aquisição de livros. "Entramos 2012 com oprocesso de solicitação do ano passado ainda em aberto. É necessárioque haja motivação e conhecimento para que a comunidade acadêmica façaa aquisição", afirma.
Poucos empréstimos
Nos últimos anos, o Governo Federal desenvolveu políticas voltadas a umamaior inclusão de alunos no ensino superior, aumentandosignificativamente as matrículas. Igualmente, a política dequalificação do corpo técnico das universidades levou muita gente devolta às salas de aula. Na UFRN, apenas a criação do Bacharelado emCiências e Tecnologia abriu 1.000 novas vagas e o Instituto MetrópoleDigital mais de 800. Entre os servidores da UFRN, uma parcelasignificativa do quadro ingressou em cursos de graduação epós-graduação na própria Instituição. Tudo isso resulta num total dealunos próximo dos 50 mil.
Apesar disso, o Sistema deBibliotecas da UFRN não registra um número expressivo de empréstimos.As 21 bibliotecas setoriais somam hoje um acervo de mais de 186 miltítulos, mas no ano de 2011 foram feitos pouco mais de 326 milempréstimos.
Na opinião da diretora Ana Cristina, "essa é uma média baixa, se considerarmos que a comunidade acadêmica possui hoje quase 50 mil membros. A motivação também é necessária para osempréstimos de livros".
Quem quiser sugerir títulos paraaquisição pela UFRN pode fazer as solicitações online através doSistema Integrado de Gestão de Atividade (SIGAA). Basta informar o título, o autor e o número de identificação do livro (ISBN).
Primeiramente,a solicitação é homologada pelas coordenações dos cursos, de acordo coma necessidade das disciplinas oferecidas, e posteriormente acoordenação do Sistema de Bibliotecas avalia o pedido com base noacervo existente na Universidade. Depois de aprovada, a solicitação éenviada ao Departamento de Material e Patrimônio (DMP), que realiza acompra. Segundo a diretora, esse processo pode demorar de 3 a 6 meses,e o solicitante pode acompanhar todo o trâmite através do SIGAA.

Bibliotecas de SE receberão verba para livros

Fonte: Infonet. Data: 18/01/201.
Uma iniciativa do Ministério da Cultura, através da Biblioteca Nacional, vai proporcionar a 29 bibliotecas sergipanas (espalhadas por 26 cidades) a possibilidade de renovação do seu acervo. Cada unidade receberá um valor, que varia de R$ 4 mil a mais de R$ 20 mil, para a aquisição de livros de até R$ 10 que compõem o Cadastro Nacional de Livros a Baixo Preço.
Para orientar os gestores dos 26 municípios contemplados na aquisição desse novo acervo, aconteceu na manhã desta quarta-feira, dia 18, uma reunião com a coordenação do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, no auditório da Biblioteca Pública Epifânio Doria (BPED).
“Resolvemos fazer esse encontro para tirar as dúvidas dos gestores e apresentar as diretrizes de como eles vão proceder a essa compra. A expectativa é que em breve essas novas obras já estejam disponíveis para a comunidade”, destaca a coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas, Sônia Carvalho. O prazo para a escolha dos livros termina no dia 16 de fevereiro.
O secretário de Educação e Cultura do município de Riachão do Dantas, José Renilton Nascimento, comemorou a iniciativa. “É muito bom o fato de que nós mesmos vamos fazer essa escolha. Porque muitas vezes nós recebemos os livros e eles ficam parados nas estantes porque são títulos que não interessam à comunidade”, ressalta. Ele acrescenta que só estava aguardando a reunião de orientação para começar a fazer a escolha dos livros. O município de Riachão recebeu uma verba de R$ 7,5 mil para a aquisição dos novos livros.
A secretária de Cultura de Itabaianinha, Josefa Francisca, também comemora a iniciativa. “Essa é uma ótima ação porque irá enriquece nossa biblioteca que terá mais fontes de pesquisa e um atrativo a mais para a comunidade”. Para o secretário de Educação e Cultura de Cumbe, Francisco Andrade, o acervo da Biblioteca Municipal Murilo Xavier poderá dobrar com essas novas aquisições.
“O Governo está de parabéns por dar condições para os municípios equiparem suas bibliotecas. Sem essa ajuda se torna um pouco difícil, ou quase impossível, para os municípios melhorarem suas unidades e dar melhores condições de leitura para a comunidade, em especial à classe estudantil”, reforça Francisco.
Além de receber a verba para a aquisição dos livros a baixo custo, Cumbe foi um dos cinco municípios sergipanos contemplados com a ação de modernização de bibliotecas públicas municipais do Programa Livro Aberto. Além de Cumbe, passarão por melhorias em suas estruturas as bibliotecas de Gararu, Frei Paulo, Boquim e Cristinápolis.
BPED
Em Aracaju, uma das contempladas para a aquisição de novos títulos foi a Biblioteca Pública Epifânio Doria (BPED), que receberá mais de R$ 23 mil. Sônia Carvalho, que também está à frente da unidade, ressalta a importância desta iniciativa inédita.
“Nesse tempo em que eu estou à frente da Biblioteca nunca presenciei uma ação tão importante para esta instituição e para o Estado como um todo. Dentro do acervo de 10 mil livros disponíveis no Cadastro Nacional de Livros de Baixo Preço vou poder escolher aqueles títulos que se encaixam na necessidade do nosso usuário. Esta ação do Ministério da Cultura, através da Biblioteca Nacional, é inédita e louvável, pois só vem a contribuir para o enriquecimento das bibliotecas dos Estados e municípios”.
A iniciativa faz parte do Programa de Atualização e Ampliação de Acervos de Bibliotecas de Acesso Público, criado pela Fundação Biblioteca Nacional. Os títulos serão disponibilizados pelas livrarias e editoras que fazem parte do Cadastro Nacional de Livros de Baixo Preço, ao valor de R$ 10 a unidade. Em Sergipe, quatro espaços estão cadastrados e poderão fornecer as obras aos municípios contemplados.

18 de jan de 2012

Projeto de lei contra o acesso livre

O projeto de lei n. HR 3699 (Research Works Act) foi apresentado ao Congresso Americano, em 23 de dezembro de 2011, pelo deputado Darrell Issa (Republicano, Califórnia), presidente da Comissão de Supervisão e Reforma do Governo, em conjunto com a Deputada Carolyn Maloney (Democratas, NY). De acordo com o sítio da Association of American Publishers (AAP), a “legislação visa prevenir interferências de regulamentação com editoras privadas do setor de pesquisa em análise pelos pares (peer review), a produção e a publicação de artigos de revistas cientificas, médicas, técnicas, jurídicas ou acadêmicas. Ele é um projeto que visa impedir atividades como as dos Institutos Nacionais de Saúde Publica (NIH), que exige que os cientistas devam submeter ao repositório digital PubMed os seus manuscritos de artigos já aceitos por uma revista e cujas pesquisas receberam verbas dos institutos.
Esse projeto de lei é uma reação das editoras comerciais contra o crescimento do conceito de acesso livre. O livre acesso à pesquisa médica salva vidas em todo o mundo e, com esse projeto, isto seria impedido. Esse assunto certamente vai provocar uma grande discussão a nível mundial.
Abaixo o texto completo do projeto de lei. Para maiores detalhes sobre o andamento do projeto consultar o URL: http://thomas.loc.gov/cgi-bin/bdquery/z?d112:h.r.03699:
Murilo Cunha

H.R.3699 -- Research Works Act (Introduced in House - IH)

HR 3699 IH
112th CONGRESS
1st Session
H. R. 3699
To ensure the continued publication and integrity of peer-reviewed research works by the private sector.
IN THE HOUSE OF REPRESENTATIVES

December 16, 2011

Mr. ISSA (for himself and Mrs. MALONEY) introduced the following bill; which was referred to the Committee on Oversight and Government Reform
A BILL
To ensure the continued publication and integrity of peer-reviewed research works by the private sector.
Be it enacted by the Senate and House of Representatives of the United States of America in Congress assembled,

SECTION 1. SHORT TITLE.

This Act may be cited as the `Research Works Act'.

SEC. 2. LIMITATION ON FEDERAL AGENCY ACTION.

No Federal agency may adopt, implement, maintain, continue, or otherwise engage in any policy, program, or other activity that--
(1) causes, permits, or authorizes network dissemination of any private-sector research work without the prior consent of the publisher of such work; or
(2) requires that any actual or prospective author, or the employer of such an actual or prospective author, assent to network dissemination of a private-sector research work.

SEC. 3. DEFINITIONS.

In this Act:
(1) AUTHOR- The term `author' means a person who writes a private-sector research work. Such term does not include an officer or employee of the United States Government acting in the regular course of his or her duties.
(2) NETWORK DISSEMINATION- The term `network dissemination' means distributing, making available, or otherwise offering or disseminating a private-sector research work through the Internet or by a closed, limited, or other digital or electronic network or arrangement.
(3) PRIVATE-SECTOR RESEARCH WORK- The term `private-sector research work' means an article intended to be published in a scholarly or scientific publication, or any version of such an article, that is not a work of the United States Government (as defined in section 101 of title 17, United States Code), describing or interpreting research funded in whole or in part by a Federal agency and to which a commercial or nonprofit publisher has made or has entered into an arrangement to make a value-added contribution, including peer review or editing. Such term does not include progress reports or raw data outputs routinely required to be created for and submitted directly to a funding agency in the course of research.

Corpo de Bombeiros realiza campanha para arrecadar livros para estrutura biblioteca

Fonte: Paraíba.com Data: 17/01/2012.
URL: http://www.paraiba.com.br/2012/01/17/32904-corpo-de-bombeiros-realiza-campanha-para-arrecadar-livros-para-estrutura-biblioteca
O Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba iniciou nessa segunda-feira uma campanha para arrecadação de livros, das mais variadas temáticas, tais como religião, filosofia, literatura, saúde, ciências e tecnologia, jurídicas, romances, enciclopédias, coleção de cinema e televisão, entretenimento, jornais, periódicos e similares.
A iniciativa é da 7ª Seção da Diretoria de Pessoal (DP-7), responsável pelo serviço de Assistência Social da Corporação que estará estruturando a Biblioteca do Quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar.
O objetivo da estrutura da biblioteca é proporcionar aos militares da Corporação leitura em ambiente apropriado, agregando cultura, conhecimento e mais qualidade de vida no próprio quartel, alcançando tanto os militares, inclusive sua família através do empréstimo do acervo literário.
Além disso, todo acervo da biblioteca será disponibilizado aos militares da reserva, de modo que estejam mais presentes no quartel renovando os vínculos de camaradagem. O acervo beneficiará ainda os detentos, proporcionando-lhes programas de leitura.
Todos são convidados a contribuir com a construção deste projeto, através da doação de livros que por ventura já não são mais utilizados.
Uma segunda forma de contribuir será através de doação por tempo determinado. O livro ficará a disposição da biblioteca por um período acordado, retornando para quem o emprestou.
Os interessados em contribuir na construção deste projeto poderão encaminhar as doações na Diretoria de Pessoal (DP-7) ou entrar em contato através do telefone (83) 3218.5736 e falar com Anailce Oliveira, assistente social e/ou a tenente Camila Virgínia.

Biblioteca do Judiciário é aberta à comunidade

Fonte: O Documento (Cuiabá / Várzea Grande).
Data: 17/01/2012.
URL: www.odocumento.com.br/noticia.php?id=382214
A Biblioteca do Poder Judiciário de Mato Grosso, com acervo de cerca de 12 mil exemplares, é uma boa opção de lazer e conhecimento à comunidade, além de um espaço para divulgação de livros de escritores mato-grossenses. A responsável pela biblioteca destaca a importância de se ter um espaço cultural dentro da estrutura judiciária. “Temos bons livros e estrutura adequada a ofertar aos nossos usuários. Os serviços são gratuitos a todos”, pontua a chefe de divisão Marluce Peixoto de Assis, que substitui a diretora do Departamento Administrativo Cláudia Regina Bezerra Cândia.
O acervo conta com cerca de seis mil livros e outros 6 mil periódicos, incluindo publicações de outros Tribunais de Justiça. A maioria das obras aborda a temática jurídica, mas é possível encontrar livros administrativos e de história. Alguns diretamente envolvidos com o Poder Judiciário. Como o livro História do Poder Judiciário de Mato Grosso, do desembargador aposentado João Antônio Neto.
A juíza auxiliar da Corregedoria-Geral do TJMT, Helena Maria Bezerra Ramos também tem uma de suas obras no acervo da biblioteca e já está preparando outra. “Escrevi um livro sobre os 100 anos da família Bezerra em Mato Grosso, completados no ano 2000. É um livro sobre a história do Estado e, principalmente de minha família. Estou finalizando outra obra sobre Contrato de Arrendamento Rural. Uma obra voltada ao público em geral e a outra direcionada a juristas. Como autora fico muito contente em saber que minhas obras têm fácil acesso pelo público em geral e podem contribuir de alguma maneira”, discorreu a magistrada.
Este é um dos sistemas que ajudam a biblioteca a ter bom número de livros. As doações podem ser feitas por qualquer interessado O juiz Antônio Veloso Peleja Júnior, que também atua como juiz auxiliar da Corregedoria do TJMT, fez recentemente a doação de quatro obras de sua autoria: O Conselho Nacional de Justiça e a Magistratura Brasileira, Manual de Processo Civil - Fase Postulatória, Direito Eleitoral - Aspectos Processuais, Ações e Recursos e Reformas Eleitorais - Novos Mecanismos de Acesso a Justiça. “Quando um autor faz a doação de um livro, ele espera que este seja lido e que sua obra contribua de alguma maneira com a sociedade na difusão de ideias, sedimentando novas idéias”, comenta o magistrado.
A biblioteca recebe em média 30 usuários por dia, entre servidores do Poder Judiciário, estagiários, terceirizados e a comunidade em geral. Alguns deles escolheram o lugar para passar boa parte do dia, caso da estudante Janaina Reis Gomes, que escolheu a Biblioteca do Poder Judiciário para se preparar para os concursos públicos ao cargo de delegada federal e fiscal do Estado há três anos. “Venho pra cá pela comodidade e facilidade em se chegar ao local. É uma biblioteca pública, então não há gastos e outro fator que me motiva a utilizar o espaço é que todos que freqüentam e trabalham no lugar são comprometidos. Estão aqui para estudar e pesquisar, são bastante responsáveis e atenciosos”, concluiu a estudante.
A Biblioteca do Poder Judiciário iniciou suas atividades no biênio 1977-1979, na gestão do desembargador Mauro José Pereira. A Instrução Normativa Nº 001/2009- DB regulamenta o funcionamento e empréstimo de obras, que pode ser feito apenas por servidores. Clique aqui para ter acesso ao inteiro teor da instrução. As reservas de livros podem ser feitas pelo e-mail: biblioteca@tj.mt.gov.br. O telefone para doações e contato com a biblioteca é o (65) 3617-3063. O horário de funcionamento é entre 8h e 19h.

17 de jan de 2012

Trabalhadores de bibliotecas, museus e arquivos podem receber proteção especial

Fonte: Agência Câmara de Noticias. Data: 2/01/2012.
Autora: Carolina Pompeu
A Câmara analisa proposta que obriga o Ministério do Trabalho e Emprego a criar regras complementares à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT- Decreto-lei 5452/43) para proteção das pessoas que trabalham em arquivos, bibliotecas, museus e centros de documentação e memória. A medida está prevista no Projeto de Lei 2361/11 que, na prática, abre espaço para que esses profissionais recebam adicional de insalubridade, a ser definido em norma do Ministério. Este adicional é previsto na Constituição, que determina que ele seja regulamentado por lei.
O autor da proposta, deputado Carlinhos Almeida (PT-SP), diz que essa é uma reivindicação antiga dos trabalhadores da área. “Esses profissionais estão constantemente expostos a agentes biológicos e químicos, todos causadores de graves doenças, principalmente respiratórias. Apesar disso, não foram contemplados em norma do Ministério do Trabalho para que recebam o adicional”, argumentou.
Classificação necessária
O deputado ressalta que a atividade em condições adversas proporciona ao trabalhador o adicional de insalubridade que incide sobre o seu salário base. Mas, lembra ele, o reconhecimento desse direito não se dá com a simples constatação da insalubridade por meio de laudo pericial. É necessária a classificação da atividade insalubre na relação oficial elaborada pelo Ministério do Trabalho, segundo têm decidido os tribunais.
Tramitação
A proposta, que tramita de forma conclusiva, será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Nota do blog:
O texto integral do projeto (em pdf) pode ser consultado no URL: www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=520583

16 de jan de 2012

Cresce a Digital Public Library of America

Em dezembro de 2010, quarenta representantes de fundações, instituições culturais e bibliotecas se reuniram no Instituto Radcliffe de Estudos Avançados em Cambridge, Massachusetts (US). Eles se reuniram para discutir as melhores abordagens para a construção de uma biblioteca digital nacional, e com a assistência do Centro Berkman para Internet e a Sociedade, estão comprometidos com a criação da Biblioteca Digital Publica da America (DPLA). Neste sítio o usuário pode conhecer os trabalhos ora em andamento, saber detalhes sobre a equipe de gestão da biblioteca, as questões jurídicas e noticias sobre o projeto.
Nesta fase inicial a DPLA está apoiando 40 projetos relacionados a diversas áreas [detalhes sobre esses projetos podem ser vistos no URL: http://blogs.law.harvard.edu/dplaalpha/beta-sprint-submissions/]. Esses projetos focam, entre outros, os documentos oficiais, biblioteca pública, vídeo, biblioteca pública, mapas, metadados e interoperabilidade.
Creio que a DPLA irá trazer enormes benefícios para o crescimento das bibliotecas digitais, mostrando que é possível fazer muita coisa de forma cooperativa. Esse projeto mostra que o Brasil precisa retomar o crescimento de suas bibliotecas digitais – um tanto vagaroso nos últimos anos.
Murilo Cunha

Literatura de cordel

O Acervo de Literatura Popular em Versos da Fundação Casa de Rui Barbosa, o maior da América Latina, atualmente com mais de 9.000 folhetos de cordel foi formado a partir da década de 1960 e, dessa iniciativa resultou uma extensa bibliografia, composta de catálogos, antologias e estudos especializados.
Projeto
O objetivo geral do Projeto Literatura Popular em Versos na Casa de Rui Barbosa é a preservação, conservação e disponibilização dessa coleção única no mundo. Dadas suas características de raridade, originalidade e antiguidade, faz-se necessário garantir sua preservação contra o desgaste do tempo e do manuseio, submetendo-se a coleção a tratamentos técnicos e tecnológicos específicos, assegurando-se a restauração dos folhetos, a confecção de invólucros adequados para a guarda e sua digitalização.
A revisão e inserção dos registros catalográficos na base de dados a Fundação, possibilita a consulta on-line de todo o acervo, a realização de estudos e trabalhos de pesquisas sobre essa manifestação da cultura popular brasileira.
A versão digital dos folhetos é disponibilizada no portal da FCRB por meio deste site, desenvolvido em dois momentos. Ele foi inicialmente concebido para disponibilizar a coleção de Leandro Gomes de Barros, pesquisado em profundidade pela profa. Ivone Maia com o apoio da FAPERJ, num projeto em parceria com a Casa de Rui Barbosa, que foi mantido inédito e serviu de modelo para o projeto com a Petrobrás.  Esse trabalho sobre Leandro Gomes de Barros foi mantido na íntegra, assim como também a estrutura do site e seu projeto gráfico.
No segundo momento, com o patrocínio Petrobrás, expandiu-se o escopo do site e foram acrescentados 9.000 folhetos digitalizados e biografias de 20 outros poetas, e bibliografia sobre cordel disponível no acervo da Fundação, com 400 referências, dentre artigos, livros, recortes, teses e dissertações.
Nota do blog
O acervo pode ser consultado no URL: www.casaruibarbosa.gov.br/cordel/index.html

Travessa inicia venda de e-books

Fonte: PublishNews. Data: 13/01/2012.
Autora: Roberta Campassi.
A Livraria da Travessa iniciou nesta semana a venda de e-books por meio de sua loja virtual. A rede livreira do Rio de Janeiro entrou no segmento sem fazer alarde, uma vez que a operação com livros eletrônicos está em fase inicial e requer atenção do ponto de vista técnico. Por enquanto, a varejista oferece títulos fornecidos pela agregadora digital Xeriph, que conta com um catálogo de seis mil e-books, o maior do país. A Travessa opera, além da loja virtual, sete lojas físicas, todas na capital fluminense. Ao começar a vender e-books, a empresa se une ao grupo de livrarias tradicionais que já colocou o pé no mercado de publicações digitais. Saraiva, Cultura, Curitiba e Leitura são algumas das grandes redes que já vendem e-books. A Travessa passa a concorrer também com lojas como Gato Sabido e Submarino, que já nasceram on-line. entre outros.
Nota do blog:
Para ver a lista dos livros eletrônicos acesse o URL: http://www.travessa.com.br/wpgeBook.aspx

Ministério da Cultura amplia orçamento em R$ 270 milhões

Fonte: Agência Brasil. Data: 10/01/2012.
Autora: Renata Giraldi.
O Ministério da Cultura (MINC) informou que terá este ano mais recursos do que em 2011. O ministro interino da Cultura, Vítor Ortiz, disse à Agência Brasil que a expectativa é de um orçamento total bruto de R$ 2,3 bilhões. O valor é R$ 270 milhões maior do que no ano passado. Em 2011, a pasta executou R$ 1,07 bilhão do total, segundo Ortiz. A aplicação do orçamento do Ministério da Cultura para 2012 já está definida, com uma série de prioridades. Pelo menos 400 praças de esporte e cultura serão construídas em todo o país. Segundo o MINC, a leitura deverá ganhar incentivos com programas específicos e serão ampliados os investimentos em artes visuais, dança, teatro, música, além de melhorias na infraestrutura das casas de espetáculos. Até o fim do mês, o ministério envia para a Casa Civil o projeto referente ao programa Livro Popular, cuja proposta é adotar medidas que levem ao barateamento do preço do livro, que deve ficar em torno de R$ 10,00. O projeto deve envolver bibliotecas, editoras e as parcerias dos governos federal e estadual. Ao mesmo tempo, serão lançados programas de incentivo à leitura.

Primeira no Brasil, Biblioteca Nacional da Agricultura reúne raridades

Fonte: Correio Braziliense. Data: 14/01/2012.
Autora: Ana Pompeu.
Há quem acredite que os livros têm espírito. E nenhum lugar é melhor para fazer contato com eles do que em bibliotecas. Na Esplanada dos Ministérios, os prédios parecem guardar apenas os detalhes da administração pública. Porém, o anexo de um deles — o da Agricultura — abriga um tesouro com mais de 400 mil exemplares de documentos, livros, monografias, relatórios, CDROMs, revistas, legislações. São espíritos de parte importante da história do país, preciosidades, como registros da carreira de Machado de Assis na pasta.
A Biblioteca Nacional da Agricultura (BINAGRI) é hoje uma das maiores da América Latina especializadas em agricultura. Criada por decreto em 1909 — foi a primeira do Brasil —, seu acervo inclui documentos sobre imigração brasileira, estradas, educação e todas as falas do trono. Durante muitos anos, o ensino brasileiro foi atribuição do Ministério da Agricultura e, por isso, é possível encontrar as certidões e toda pesquisa da educação da época.
Quem domina cada canto das estantes é a coordenadora da BINAGRI, Neuza Arantes. Apaixonada pelo espaço, ela já dedicou 34 anos de sua vida à biblioteca. “Olha só esse livro. Estava separado, parece que queria se mostrar pra gente mesmo. Como não acreditar no espírito dos livros?”, pergunta, apresentando a publicação sobre as riquezas naturais e indústrias brasileiras editada em Paris em 1909.
Os registros de imigrações, como a chegada dos japoneses em 1908, estão guardados naquelas estantes com fotografias, mapas, descrições. O primeiro relatório impresso do serviço de povoamento do país, que data de 1862, também pode ser encontrado, com apresentação feita por uma carta escrita à mão. Há a coleção completa de todos os atos do ministério, reunindo o maior número de documentos sobre cooperativismo.
Avaliações de safras de café de 1920, detalhes sobre casos como o surto de gripe aviária de 2005, tudo isso faz parte do acervo. Além disso, a BINAGRI é depositária das bibliotecas da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) no Brasil e do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA). A maioria dos documentos, entretanto, está guardada no subsolo do prédio, local mais apropriado para a preservação, e onde os usuários não podem manusear as páginas amareladas. Mas a pesquisa pode ser feita na base de dados do site do ministério, onde um servidor providencia uma cópia ou acompanha a checagem dos dados. “A gente já teve visitante que tentou corrigir toda a ortografia de um documento, rabiscou tudo”, lembra Neuza Arantes.
Entre os documentos importantes, ela exibe, com orgulho, a nomeação do escritor Machado de Assis como servidor do Ministério da Agricultura, em 31 de dezembro de 1873. Lá, ele trabalhou por mais de 40 anos, sendo responsável pela área de imigração de escravos.
“Com a experiência adquirida no órgão, o escritor criou toda sua base de informações para escrever seus romances”, destaca a coordenadora. Também passaram pelo quadro de servidores da casa o cantor e compositor Renato Russo e o médium Chico Xavier. Esse último foi funcionário do Laboratório Nacional Agropecuário, em Pedro Leopoldo (MG).
Informatização
Apesar de guardar detalhes da história brasileira desde a época do império, a biblioteca não ficou presa ao passado. Com um sistema informatizado, desde 2005 o uso do papel foi dispensado, a não ser para os atendimentos feitos a pessoas de outros estados. Por mês, 70 mil cópias são enviadas para todos os cantos do país.
Diariamente, são 150 solicitações de assuntos teóricos, legislação, dados históricos. O agronegócio é, de acordo com dados do próprio ministério, o responsável pelo superavit da balança comercial brasileira. No período 1989 a 2010, o saldo gerado pelo setor foi de US$ 557,3 bilhões. Toda a documentação dessa área está registrada na BINAGRI.
“Aqui é um bom espaço para estudo. Temos uns concurseiros assíduos. Tem café, água, um lugar para lanches com micro-ondas, um ambiente bem legal. Mesmo quando dá o nosso horário e há alguém estudando, a gente espera a pessoa terminar e sair, porque este país precisa de pessoas empenhadas no estudo”, afirma Neuza. A BINAGRI, aberta das 8h às 18h, tem cinco computadores com acesso à internet e sete pontos de rede. O interessado pode se cadastrar e utilizar o serviço, mas será monitorado o tempo todo “por questão de segurança”.
Mesmo com tanto material importante no acervo, a BINAGRI, segundo sua coordenadora, não tem o devido reconhecimento. “As pessoas só dão valor à informação quando não têm. Se ela está lá, organizada e acessível, ninguém pensa que foi preciso que alguém lutasse e trabalhasse por aquilo”, lamenta Neuza. No caso da Biblioteca da Agricultura, 32 servidores trabalham para manter o espaço. “Não temos estatística de não atendimento. Temos um padrão de qualidade. Nossos serviços da central de relacionamentos, que recebe ouvidoria e atendimento, são gratuitos e de qualidade”, assegura Neuza. Com tanto empenho e cuidado, é difícil duvidar.
Endereço:
Biblioteca Nacional da Agricultura
Ministério da Agricultura. Anexo.
Esplanada dos Ministérios
Brasília, DF.
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.
Informações: 3218-2410 e www.agricultura.gov.br/biblioteca

12 de jan de 2012

Novo número da “Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação”

Está disponível para consulta, mais uma edição da Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação – RDBCI (UNICAMP) no URL: www.sbu.unicamp.br/seer/ojs/index.php/sbu_rci/index
Sumário do novo número (v. 9, n. 2, 2012):
Editorial
Gilldenir Carolino Santos, Danielle Thiago Ferreira
Artigos:
Pesquisa
Resenha de livros/mídia