18 de dez de 2014

Itaipu inaugura Biblioteca Paulo Freire

Fonte: H2Foz. Data: 17/12/2014.
URL: www.h2foz.com.br/noticia/itaipu-e-pti-inauguram-biblioteca-paulo-freire-e-planta-de-producao-de-hidrogenio
Solenidade será no PTI, às 9h, e também inclui a inauguração do espaço  Milton Santos, para integração.
Nesta quinta-feira (18), três importantes ambientes de ensino, pesquisa e integração serão inaugurados pela Itaipu Binacional e pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) - a Biblioteca Paulo Freire, que atualmente é a maior da região, a primeira Planta de Produção de Hidrogênio do Paraná e o Espaço Milton Santos. A solenidade será realizada às 9h, no PTI, onde estão os três recintos.
Batizada de “Paulo Freire” (1921-1997), em homenagem ao patrono da educação brasileira, a nova biblioteca conta com cerca de 45 mil livros, todos à disposição das mais de 5,5 mil pessoas que circulam pelo PTI diariamente.
A área total é de 4 mil m², onde estão compartilhados os acervos da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila); do polo presencial da Universidade Aberta do Brasil (UAB); do Centro de Engenharias e Ciências Exatas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste); da Itaipu Binacional e da Fundação PTI.
Além do amplo espaço para o acervo bibliográfico, a Biblioteca é composta por um auditório, salas administrativas, ambientes para a realização de exposições e 16 salas de estudo, instaladas em uma parte preservada dos antigos alojamentos dos barrageiros. No piso superior foi montado um espaço de convivência, com passarelas, jardins e espelhos d'água.
A arquitetura ecoeficiente é um dos destaques da estrutura. A obra conta com soluções para o aproveitamento de luz natural e para proporcionar conforto térmico e acústico.

Outro aspecto que chama a atenção é uso de madeira laminada colada (MLC), em combinação com concreto pré-fabricado, para a estrutura de sustentação da cobertura da obra, compondo um design diferenciado. A utilização dessa solução apresenta vantagens, como estabilidade dimensional e resistência mecânica. (...)

São Luiz do Paraitinga (SP) refaz prédio destruído em 2010 e instala biblioteca

Autoria: José Maria Tomazela.
Fonte original: O Estado de S. Paulo. Data: 17/12/2014.
URL: www.odiario.com/geral/noticia/1247584/sao-luiz-do-paraitinga-refaz-predio-destruido-em-2010-e-instala-biblioteca/
Aos poucos, o centro histórico de São Luiz do Paraitinga (SP), destruído pelas chuvas que inundaram a cidade em janeiro de 2010, vai retomando sua forma original e ganhando vida nova. Nesta quinta-feira, 18, será inaugurada a Biblioteca Nelson Ferreira Pinto em prédio construído no lugar em que ficava uma escola estadual tombada pelo patrimônio histórico do Estado e arrasada pela inundação.
A construção é moderna, mas seguiu as linhas arquitetônicas tradicionais que levaram o centro histórico a ser tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) vai à cidade do Vale do Paraíba, interior de São Paulo, para a inauguração. A Secretaria da Cultura do Estado investiu, em parceria com a prefeitura, R$ 2,15 milhões na construção e instalação da biblioteca, que será mantida pela administração municipal.
Com 930 m2 de área construída, o novo espaço cultural tem auditório para 90 pessoas, sala de leitura e um elevador. O acervo já tem 2,4 mil livros e computadores à disposição do público.
O projeto, elaborado pela equipe técnica da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico da Secretaria, foi concebido levando em conta o contexto do centro histórico.

O prédio - um sobrado com traços da fachada da antiga escola - reocupou o espaço que a inundação transformou num grande vazio. Segundo a Secretaria, os três pavimentos foram pensados de acordo com as atividades oferecidas pela biblioteca, como salas de leitura, de oficina e de acervo. (...)

16 de dez de 2014

Macapá (AP): biblioteca com acervo em Braille

Fonte: Chico Terra. Data: 12/12/2014.

URL: http://chicoterra.com/2014/12/15/biblioteca-do-ceu-das-artes-tem-acervo-em-braille/

 “Ler pra mim é viajar por um mundo novo, adoro estar entre os livros. Poder ter mais um espaço, onde eu e outras crianças podemos ter acesso à leitura, é maravilhoso, pois cada vez mais conheço mais coisas”. Essa foi a declaração da estudante Alice Caroline, de 12 anos, ao conhecer a biblioteca do CEU das Artes. A Prefeitura de Macapá adquiriu um acervo de 80 títulos de autores amapaenses, somando um total de 2.001 livros, além de 250 em escrita Braille, que beneficia pessoas como Alice, que conhece as dificuldades de se obter livros adaptados.
“Quando soube que a biblioteca do CEU teria livros em Braille, e que isso pode ajudar muitas pessoas, reuni alguns livros que eu não estava mais precisando e doei para a biblioteca, porque sei o quanto é difícil ter acesso aos livros adaptados”, ressalta Alice, que fez a doação de 22 exemplares, além de apostilas com assuntos de diversas matérias escolares.
Com espaço confortável e acolhedor, a biblioteca conta com autores como Alcilene Cavalcante, Joãozinho Gomes, Adriana e Herbet Emanuel, Carla Nobre, Esmeraldina dos Santos, entre outros. A Biblioteca Elcy Lacerda doou 200 obras de títulos diversos. O senador Randolfe Rodrigues também cedeu livros da Constituição Federal em escrita Braille.

O CEU das Artes foi construído para beneficiar moradores da zona norte de Macapá. É uma parceria da Prefeitura de Macapá e Governo Federal, e conta, além da biblioteca, com telecentro, cineteatro, quadra coberta, pista de skate, playground e sala de Centro de Referência em Assistência Social (Cras).

Mato Grosso do Sul: bibliotecas recebem mais de 21 mil livros

Fonte: Correio do Estado. Data: 15/12/2004.
URL: www.correiodoestado.com.br/cidades/escolas-e-biblioteca-recebem-mais-de-21-mil-livros-na/234811/
A doação faz parte do projeto Kit Literário e ampliará os acervos
A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul entrega na próxima quarta-feira (17), às 9h, no Museu da Imagem e do Som (MIS), 21.185 livros para cada uma das 94 escolas e uma biblioteca da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande. A doação faz parte do projeto Kit Literário e ampliará as reservas técnicas e os acervos escolares.

A iniciativa prevê a distribuição das publicações às escolas e à biblioteca da Secretaria Municipal de Educação em caixas, sendo que cada uma contará com 223 publicações de reconhecidos autores do Estado.

BPG: novo formato de imagem

BPG: novo formato de imagem com qualidade similar ao formato JPEG com a metade do tamanho
BPG, sigla para Better Portable Graphics, é um novo formato criado pelo programador francês Fabrice Bellard. Em um estudo conduzido pelo Mozilla, foi demonstrado que o padrão de codificação de vídeo HEVC é melhor do que outras tecnologias. O formato BPG foi projetado a partir de um subconjunto destas tecnologias.
Este formato ainda não é suportado pelos principais browsers. No momento, para visualizar as imagens no formato BPG é necessário o uso de código javascript.
Neste mesmo endereço você poderá ver a comparação, lado a lado, de imagens no formato BPG e JPG. A diferença é marcante.

Fonte: Rubens Queiroz de Almeida. Data: 16/12/2014.

15 de dez de 2014

Curitiba tem refriteca

Fonte: Bem Paraná. Data: 12/12/2-14.
URL: www.bemparana.com.br/noticia/363018/biblioteca-itinerante-sai-da-vila-torres-e-segue-para-o-prado-velho
Crianças da Vila Torres se despediram nesta quinta-feira (11) da Refriteca com brincadeiras e contação de histórias. A Refriteca é um refrigerador adaptado e transformado em biblioteca, inaugurada em outubro na Passos da Criança, espaço de convivência e fortalecimento de vínculos na vila que atende 70 crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social.
“A primeira coisa que faço quando chego aqui é procurar o livro que vou ler no dia. O legal é que as histórias me fazem viajar”, diz Luiz Gustavo de Oliveira, de 9 anos, sobre o seu gosto pela leitura e pela biblioteca itinerante.
A Refriteca pasará por instituições atendidas pelo Parceria Nota 10, projeto do Instituto Pró-Cidadania. Os livros da biblioteca, cerca de 150 exemplares escolhidos de acordo com a faixa-etária das crianças, são do acervo da fabricante de refrigeradores Electrolux ou doados por seus colaboradores. A Electrolux é a idealizadora do projeto, realizado em parceria com o Instituto Pró-Cidadania.
Para a analista de treinamento da Electrolux, Paula Ogino, a resposta do projeto surpreendeu positivamente. “Não esperávamos um resultado tão bom. A sensação é de dever cumprido, visto que atingimos o objetivo principal, de incentivar a leitura entre os meninos e meninas. Eles contaram que sentirão saudade da Refriteca, então fomos bem sucedidos. Agora ela segue para outra instituição”, disse.
Entre os títulos estão livros diversificados, como obras de literatura, infanto-juvenil, biografias, obras de culinária, artes, artesanato, política, esporte, música, saúde, livros informativos, periódicos e diferentes materiais de leitura como revistas e gibis.
Segundo o supervisor de ação social do Pró-Cidadania, Rodolfo Schneider, ver o resultado da ação é gratificante. “Plantamos um sementinha nas crianças. Esperamos que ela germine e que o gosto pelos livros cresça com os pequenos”, afirmou.

Em fevereiro a Refriteca estará na Associação Beneficente Renascer, no bairro Prado Velho. A Renascer atende 148 crianças em situação de risco e vulnerabilidade social, na faixa etária de 5 a 17 anos. (...)

Nota do blog:
Já vi biblioteca em bicicleta, em cabine telefônica, em caixa-estante, em kombi, etc. Em geladeira é a primeira vez! É de fato uma ideia interessante. Cool!

Picos (PI): comunidade rural ganha biblioteca

Fonte: G1. Data: 14/12/2014.
URL: http://g1.globo.com/pi/piaui/noticia/2014/12/comunidade-rural-ganha-biblioteca-com-livros-e-dvds-sobre-agricultura.html
Objetivo da ação é estimular a leitura e facilitar o acesso ao conhecimento.
Biblioteca na zona rural de Picos faz parte de um projeto da Embrapa
19 escolas da zona rural de Picos, a 310 km ao Sul de Teresina, receberam o projeto Minibiblioteca. O objetivo da ação é estimular a leitura e facilitar o acesso ao conhecimento por parte de jovens agricultores e comunidades rurais, contribuindo assim com o desenvolvimento sustentável e a segurança alimentar das comunidades...
Na comunidade Tabatinga, a 22 km do município da zona urbana, 100 famílias vivem da agricultura. Nesta semana a escola do povoado, que tem 180 estudantes, recebeu uma minibiblioteca com livros, CDs e DVDs voltados para quem vive da agricultura.
“Achei muito bom, porque no município nunca tinha tido uma biblioteca, com essa que a comunidade recebeu só tem a trazer mais desenvolvimento para nós e para a comunidade”, disse o agricultor Acleton Gonçalves.
A minibiblioteca na escola da zona rural do município faz parte de um projeto desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). No acervo de 171 itens os temas são variados como preservação e educação ambiental, cidadania, cultivo de hortas e criação de pequenos e grandes animais.
Segundo a coordenadora de educação no campo, Elenilva Pinheiro, os livros e vídeos buscam despertar nos estudantes e na comunidade o interesse pela leitura, além de ensinar também técnicas simples que podem contribuir para melhorar a produtividade no campo. “A gente quer envolver toda a comunidade com a escola. Estaremos desenvolvendo esses projetos para somar junto com os alunos”, afirmou.
O espaço de leitura é aberto também para toda comunidade. Ilvaní Macedo, que nunca tinha entrado em um ambiente com tanto conhecimento, ficou encantada “Eu nunca tinha entrado em uma biblioteca Tem muitas coisas boas, uma dessas coisas são os livros”, argumentou a agricultora.

A expectativa é que o número de escolas comtempladas com o projeto dobre no próximo ano. Em todo país segundo a Embrapa já foram implantadas mais de 2.500 minibibliotecas.

11 de dez de 2014

Joinville (SC) ganha biblioteca em Braille

Fonte: Portal G1. Data: 6/12/2014.

URL: http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2014/12/joinville-ganha-biblioteca-com-100-dos-livros-em-braile.html

Nesta semana, Joinville, no Norte de Santa Catarina, passou a contar com uma biblioteca com 100% dos livros impressos em braile, sistema de leitura com o tato para cegos. O espaço com 250 títulos fica dentro da Associação Joinvilense para Integração dos Deficientes Visuais (Ajidevi), no bairro Floresta.
No local, as pessoas cegas ou com baixa visão encontram títulos clássicos e os mais atuais, para ficar por dentro do mundo da literatura.
Nós esperamos atender aqui toda a comunidade joinvilense. São aproximadamente 1,5 mil pessoas totalmente cegas e 12 mil pessoas com limitações visuais na cidade", diz Paulo Sérgio Suldovski, presidente da Ajidevi. Na associação são oferecidas aulas para pessoas com deficiência visual aprenderem a ler em braile. A biblioteca fica aberta de segunda a sexta-feira.
Os livros foram doados para a biblioteca por duas fundações. Como a impressão em braile é em relevo e os caracteres também são maiores, os livros ocupam mais espaço. A Bíblia, disponível na biblioteca, tem 46 livros para formar a publicação.

A biblioteca tem ainda um espaço para estimular as crianças desde cedo e livros digitais e em áudio. Para o professor de informática Ricardo Stuhler, a oportunidade de emprestar os livros em braile é uma experiência mais enriquecedora, porque ajuda a pessoa com deficiência a aprender sobre ortografia, por exemplo. "Quando você lê o livro, é muito diferente de quando você ouve um áudio. Você consegue ver a palavra escrita, ao invés de ouvir".

Literatura e opressão

Fonte: O Povo (Fortaleza, CE). Data: 8/12/2014.

URL: www.opovo.com.br/app/opovo/vidaearte/2014/12/08/noticiasjornalvidaearte,3359564/leitura-e-protesto.shtml

Público ainda pequeno e protestos marcaram o primeiro fim de semana da Bienal Internacional do Livro do Ceará
A feira, que começou sábado, 6, e segue até o dia 14, no Centro de Eventos, homenageia o cearense Moreira Campos (1914 – 1994) e amazonense Milton Hatoum.
O autor de Dizem que os cães veem coisas teve sua história recontada em leituras dramáticas e na exposição instalada na entrada do evento. Hatoum, que abriu a Bienal do Livro em conferência sobre Moreira Campos, ainda no sábado, participou ontem de mesa sobre infância e memória.
Mesmo com promoções, o primeiro fim de semana da feira levou pouca gente ao Centro de Eventos. “Senti falta de divulgação. Nos hotéis, nos táxis, ninguém sabia dar informação sobre a Bienal”, disse Magnun Sales, responsável pelo estande da Cortez Editoras. “Creio que vá melhorar por conta do credito (de R$ 100) cedido aos professores da rede municipal”, apontou. (...)
Cadê a biblioteca?
No sábado, cerca de 10 manifestantes interromperam a solenidade de abertura da Bienal do Livro para criticar a Secretaria da Cultura do Estado (Secult) pelo fechamento da Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel. O equipamento, que aguarda reforma, foi bloqueado para visitação e consulta em fevereiro deste ano.
O grupo reivindicava a reabertura do espaço. No palco do evento, o titular da Secult, Paulo Mamede, acolheu as queixas dos manifestantes.
 “É frustrante não ter a biblioteca aberta e eu assumo totalmente a responsabilidade pelo fechamento. Ela foi o primeiro equipamento que visitei quando assumi a secretaria, mas não tinha condições de funcionamento”, disse Mamede.
De acordo com o titular da pasta, as instalações da Menezes Pimentel, como banheiros e janelas, eram precárias.

O secretário convidou o grupo para uma reunião em seu gabinete.
Em nota oficial enviada ao O POVO, a Secult informou que a reforma da biblioteca “não teve início porque ainda não houve liberação dos recursos pelo Governo do Estado”. Orçado em R$ 14 milhões, o restauro do prédio não tem previsão para início. As obras de integração da biblioteca ao Centro Dragão do Mar, no entanto, devem ser entregues em fevereiro de 2015. (...)

Previsões para TI em 2015

Fonte: Computerworld.
URL: http://computerworld.com.br/tecnologia/2014/12/09/idc-lista-10-tendencias-de-ti-para-2015/
A International Data Corporation (IDC) acaba de divulgar as dez principais previsões para a área de Tecnologia da informação e Telecomunicações em todo o mundo, em 2015. A força motriz por trás de todas as previsões da IDC continua sendo a transição acelerada da indústria para Terceira Plataforma, construída sobre os pilares da computação móvel, dos serviços em nuvem, das redes sociais, do Big Data e Analytics, gerando inovação e crescimento.
"Em 2015, a Terceira Plataforma será responsável por um terço das despesas globais de TIC", prevê Frank Gens , vice-presidente sênior da IDC. "A indústria está entrando no período mais crítico da Terceira Plataforma: a Etapa da Inovação. Ao longo dos próximos anos, esperamos ver uma explosão de inovação e de criação de valor em cima da Terceira Plataforma. Esta etapa será impulsionada por uma nova onda de tecnologias de base - aceleradoras de inovação - que estenderão radicalmente as capacidades e aplicações da Terceira Plataforma a todos os setores."
Entre as previsões da IDC para 2015, apresentadas por Gens em uma conferência neste início de dezembro, estão:
1. O crescimento dos gastos globais com TIC  em 3,8% no ano que vem, movimentando mais de 3,8 trilhões dólares. Quase todo crescimento da despesa será focado em tecnologias da Terceira Plataforma. Os gastos com TIC nos mercados emergentes deverá crescer 7,1% na variação anual (2014/2015), enquanto mercados maduros deverão crescer apenas 1,4%.
2. Entre os gastos com serviços de telecomunicações, os serviços de comunicação de dados sem fio responderão pelo segmento de mais rápido crescimento (13%),  respondendo por 536 bilhões de dólares. Para evitarem ser encaradas como meras fornecedoras de infraestrutura, as operadoras lutarão para desenvolver serviços de PaaS, atraindo os desenvolvedores para suas redes. Também buscarão maior aproximação com os prestadores de serviços over-the-top (OTT), através de acordos inovadores de desempenho e qualidade de serviço (QoS) e de compartilhamento de receitas.
3. Os dispositivos móveis e os aplicativos continuarão crescendo em 2015, mas não no ritmo frenético registrado nos últimos anos. As vendas de smartphones e tablets atingirão 484 bilhões de dólares, respondendo por 40% de todo o crescimento dos gastos com TI (excluindo os serviços de telecomunicações), com os fornecedores chineses capturando uma parcela significativa do mercado mundial.  Os dispositivos vestíveis experimentarão uma explosão de inovação, embora as vendas unitárias mantenham-se pouco significativas. E os downloads de aplicativos móveis começarão a desacelerar em 2015, embora  o desenvolvimento empresarial de aplicativos móveis deva dobrar.
4. Os gastos com serviços em nuvem continuarão a ser um foco de atividade em 2015, respondendo por 118 bilhões de dólares. A adoção de Infraestrutura como Serviço (IaaS) crescerá rapidamente (36%), com a líder Amazon sofrendo ataques de todos os lados. Da mesma forma, haverá maior competição no segmento de Plataforma como Serviço (PaaS), com prestadores concorrentes se envolvendo em batalhas mortais para atrair desenvolvedores e seus aplicativos. Players de Software como Serviço (SaaS) devem acelerar a adoção de PaaS e marketplaces na nuvem. "Cloud é também onde esperamos ver novas e estranhas parcerias, tais como Facebook com Microsoft e/ou IBM e Amazon com HP, para expandir as oportunidades de mercado", acrescenta Gens.
5. Gastos com soluções de Big Data e Analytics crescerão muito em 2015, envolvendo software, hardware e serviços, respondendo por  um mercado de 125 bilhões de dólares. Soluções de Analytics rich-media (vídeo, áudio e imagem) irão emergir como importantes impulsionadoras de projetos de Big Data. E as cadeias de fornecimento de soluções de Dados como Serviço crescerão em importância, com fornecedores de plataformas de análise na nuvem oferecendo aos clientes informações de valor agregado a partir de conjuntos de dados comerciais e/ou abertos. A IDC também espera ver novas e importantes ofertas nas áreas de computação cognitiva, aprendizado de máquina e soluções de análise para Internet das Coisas (IoT).
6. A Internet das Coisas é um dos aceleradores de inovação mais importantes para o crescimento e a expansão de valor baseados na Terceira Plataforma de TI. A invenção de mais e mais "coisas" inteligentes e conectadas irá conduzir ao desenvolvimento de milhares de novas soluções. Um terço dos gastos com IoT em 2015 será focado em dispositivos inteligentes embarcados. A indústria de telecomunicações ajudará, estabelecendo parcerias com as principais empresas de TI interessadas em alavancar o mercado de soluções para IoT. A manutenção preditiva emergirá como uma importante categoria de soluções para IoT.
7. Data centers estão passando por uma transformação fundamental na era da Terceira Plataforma, com as capacidades de computação e armazenamento movendo-se para a nuvem. Essa mudança vai desencadear uma explosão de inovações de hardware "cloud-first" e uma maior consolidação entre os fornecedores de servidores, armazenamento, software e redes. A IDC espera ver duas ou três grandes fusões, aquisições ou reestruturações entre fornecedores de alto nível em 2015.
8. A Terceira Plataforma está transformando não apenas a indústria de tecnologia, mas todos os setores da economia. A IDC acredita que um número considerável de negócios disruptivos surgirá em 2015, graças à evolução Terceira Plataforma. Os exemplos incluem redes alternativas de pagamento, entre os serviços financeiros, a expansão das tecnologias da Internet das Coisas para segurança e obras públicas e sistemas de transporte, e a expansão dos serviços baseados em localização no setor de varejo. As plataformas digitais irão expandir-se rapidamente, podendo facilmente dobrar em 2015.
9. Além da Internet das Coisas, sistemas de aprendizado de máquina e de computação cognitiva serão outros dois aceleradores de inovação que se tornarão drivers de crescimento importantes em 2015. Soluções de segurança vão ajudar a garantir a borda (segurança biométrica em dispositivos móveis, por exemplo) e o núcleo da nuvem  (criptografia  como prática padrão). A inteligência de ameaças emergirá como uma categoria essencial de Dados como Serviço (DaaS), fornecendo informações sobre ameaças específicas para as empresas. E a impressão 3D crescerá expandindo o mercado das empresas de impressão de documentos convencionais, estabelecendo as bases para uma batalha iminente por clientes comerciais e industriais em 2016.
10. A China será mais influente no mercado global de TIC em 2015,  com gastos que serão responsáveis por 43% de todo o crescimento da indústria, um terço de todas as compras de smartphones, e cerca de um terço de todas as compras online. Com um enorme mercado interno, a nuvem da China e seus líderes de comércio eletrônico (Alibaba), de social mídia (Tencent) e de busca (Baidu) ganharão maior destaque no mercado global. Da mesma forma, fabricantes chineses de smartphones com marca (Lenovo, Xiaomi e ZTE, por exemplo) deverão capturar mais de um terço do mercado de smartphones em todo o mundo.

"Dizer que 2015 será um ano decisivo para a indústria de TIC é subestimar o mercado", disse Gens. "Vamos ver, finalmente, a massificação da Terceira Plataforma, junto com a consolidação de fornecedores e altas taxas de abandono, parcerias estranhas, batalhas mortais entre desenvolvedores (e seus aplicativos), ampliação das soluções de aprendizado de máquina e computação cognitiva e das ofertas da Internet das Coisas, um crescente foco em cadeias de fornecimento de dados e o rápido aumento de influência dos chineses."

Evento: Propriedade intelectual

Inscrições estão abertas para seminário sobre propriedade intelectual em Brasília

A forma como a gestão da propriedade intelectual vem sendo tratada na pesquisa científica no País e no bloco europeu será tema do seminário “Propriedade Intelectual no Âmbito da Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação entre o Brasil e a União Europeia”. O evento será realizado em Brasília (DF), no dia 12 de dezembro, na sede do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). As inscrições estão abertas e podem ser feitas gratuitamente.
Na programação, está prevista a apresentação do estudo realizado no âmbito da ação, bem como uma mesa-redonda com representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), do CNPq/MCTI e do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec).
O seminário é resultado de uma ação do MCTI em parceria com o Joint Research Centre (JRC,na sigla em inglês), por intermédio dos Diálogos Setoriais Brasil-União Europeia.
Para mais informações consultar o URL:

Tocantins: Biblioteca do Autor

Fonte: Surgiu. Data: 8/1/2014.
URL: http://surgiu.com.br/noticia/178365/bibliotecas-ampliam-opcao-cultural-aos-visitantes-de-museus-no-tocantins.html
Presente em museus do Tocantins implantados pelo governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc), a Biblioteca do Autor Tocantinense é um espaço público reservado ao estudo e divulgação das obras literárias de autores regionais. Museus e espaços de cultura em Palmas, Paraíso, Natividade, Paranã e Arraias contam com essas bibliotecas que reúnem títulos que ampliam o conhecimento de leitores e auxiliam na hora de estudar para concursos.
Na Capital, a Biblioteca do Autor Tocantinense está instalada no Museu Histórico do Tocantins – Palacinho. No espaço estão reunidas cerca de 450 obras de escritores do Tocantins, além de um acervo de documentos contendo um pouco da história do Estado. Entre contos, crônicas e poemas, os leitores podem desvendar um pouco da cultura tocantinense, conhecendo a arte literária desenvolvida pelos escritores da região, como Osmar Casagrande, Otávio Barros da Silva, Carlos de Bayma, Manoel Odir Rocha, Wolfgang Teske, Fidêncio Bogo, Juarez Moreira Filho, Margarida Lemos Gonçalves e Júnio Batista, entre outros.
A Biblioteca conta ainda com livros de História e Geografia do Tocantins, o que facilita o acesso a concurseiros e demais interessados nos aspectos geopolíticos, históricos e geológicos do Estado, conteúdo recorrente em provas de concurso no Tocantins.  “A nossa biblioteca está sempre aberta ao público para visita e pesquisa. Também há a nossa Sala Patrimonial, com estrutura para exibição de vídeos. Os interessados podem vir ou ligar para o 3218-3318 e agendar uma visita”, explicou o servidor do Museu Histórico do Tocantins, Rafael Silva.
De acordo com o coordenador do Museu, Anderson Fonseca, a Biblioteca tem um público fiel. “O espaço recebe pessoas que vêm com bastante frequência, principalmente para estudar. O espaço é interessante porque é tranquilo e tem um acervo regional interessante”, disse.  O acervo literário está disponível para consulta no próprio Palacinho, que atende de terça a domingo das 9h às 17 horas.
Interior
Em Natividade, a Biblioteca do Autor Tocantinense está instalada no Museu Histórico, localizado na Praça Senador Leopoldo de Bulhões. O município, um dos mais antigos do Tocantins, fica a 200 km de Palmas, na região Sudeste do Estado.
Em Paranã, a 304 Km de Palmas, também na região Sudeste do Tocantins, a Biblioteca do Autor Tocantinense está disponível na Casa de Cultura. E em Arraias, a 413 Km de Palmas, ainda no Sudeste do Estado, o acervo literário pode ser conferido no Museu Histórico e Cultural da cidade, localizado na Praça Dr. João de Abreu.
Já na região central, em Paraíso do Tocantins, a 63 Km da Capital, as obras de autores tocantinenses estão no Museu Histórico João Batista de Brito, localizado na Praça José Torres.

A população de Gurupi, município no Sul do Estado localizado a 230 Km de Palmas, também pode conferir o acervo da Biblioteca do Autor Tocantinense, neste caso disponível na Biblioteca Pública Municipal.

Biblioteca Nacional recebe acervo de João Goulart

Fonte: Rede Notícias. Data: 9/12/2014.
URL: www.redenoticia.com.br/noticia/2014/biblioteca-nacional-recebe-acervo-pessoal-do-ex-presidente-joao-goulart/63540
A Biblioteca Nacional recebeu a primeira parte do acervo pessoal do ex-presidente João Goulart, dentro do convênio assinado com o Instituto João Goulart para conservação, catalogação e divulgação do material. O presidente do instituto, João Vicente Goulart, filho do presidente deposto pelo golpe militar de 1964, explica que a parceria vai facilitar a pesquisa histórica sobre o período.
“Essa parceria é de suma importância não só para o Instituto João Goulart, mas para a nação brasileira, que vai ter conhecimento. A ideia é divulgarmos isso o mais rápido possível, disponibilizar ao público, pesquisadores, estudantes, professores, enfim, disponibilizar para a academia, para que possamos ter cada vez mais conhecimento sobre a nossa história, sobre a história política do [ex-] presidente João Goulart e tudo aquilo que aconteceu após o golpe de 64”, acrescentou João Vicente.
A primeira remessa contém cerca de 200 documentos, entre eles cartas de pessoas como os papas João XXIII e Paulo VI, o então senador Salvador Allende, posteriormente também deposto da Presidência do Chile por um golpe militar, cartas das lutas políticas internas do PTB, da deputada Ivete Vargas e do presidente Juscelino Kubitschek (1956-1961), que teve Goulart como vice.
Ao todo, serão entregues à Biblioteca Nacional 10 mil documentos, inclusive 6 mil da CPI do Instituto Brasileiro da Ação Democrática, criada em 1963 para investigar o financiamento estrangeiro a campanhas de parlamentares brasileiro, por meio do instituto. O historiador Oswaldo Munteal, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que assessora o Instituto João Goulart, diz que esses documentos nunca foram analisados por nenhum pesquisador e que seu conteúdo trará Justiça ao ex-presidente.
“Esse acervo traz documentos inéditos que tratam, dentre outras coisas, da ação dos parlamentares na época do golpe; do derrame de milhões de dólares na compra de senadores, deputados, prefeitos, governadores, para que conspirassem contra o presidente Goulart; inclusive de parlamentares [e parentes] que estão aí. Foi um golpe congressual militar. Quando o senador Auro de Moura Andrade, por São Paulo, declara vaga a Presidência da República, com o presidente em território nacional, foi um momento gravíssimo da vida política brasileira”, acrescentou.
O professor ressalta que Jango foi vigiado pelos militares diariamente, entre 1954 e 1976, e ainda há episódios a serem esclarecidos sobre a vida dele. “É importante que se liberem os documentos do Ministério das Relações Exteriores para completar o ciclo. Ainda vejo zonas muito pouco clarificadas, como por exemplo, as circunstâncias da morte do presidente, a vida dele no exílio, como as reformas de base foram obstaculizadas.”
Para o presidente da Biblioteca Nacional, Renato Lessa, a entrega do acervo à instituição simboliza a reintegração da memória de Jango à história do Brasil. “A Biblioteca Nacional é uma instituição do Estado brasileiro, que recebe o acervo de um ex-presidente da República, o único que morreu no exílio. Além da qualidade intrínseca do acervo, dos documentos, das cartas, das informações que ele contém para nos ajudar a entender um certo período da história brasileira, trata-se simbolicamente da reintegração da memória de João Goulart à narrativa que o Estado faz a respeito da sua história”.

O trabalho vai durar dez anos e, à medida que os documentos forem analisados, classificados e digitalizados, serão disponibilizados para consulta nos sites da Biblioteca Nacional e do Instituto João Goulart. Para 2015, o instituto também pretende começar a construção do Memorial da Liberdade e da Justiça, no Eixo Monumental, em Brasíli -, projeto de Oscar Niemeyer, que será um espaço interativo, “que conte aos visitantes como foi difícil a retomada da democracia no Brasil e por que a democracia caiu em 1964, para que o Brasil conheça a ferida que foi aberta em 1964”, segundo Goulart.

Biblioteca da literatura pernambucana

Fonte: Diário de Pernambuco. Data: 10/12/2014.
URL: www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/vida-urbana/2014/12/10/interna_vidaurbana,548352/biblioteca-reabre-com-acervo-especializado-em-literatura-pernambucana.shtml
A Biblioteca Waldemar Lopes, no Espaço Pasárgada, bairro da Boa Vista, área central do Recife, será reaberta a partir desta quinta-feira (11). A cerimônia acontecerá às 16h com performance literária do grupo Literatrupe.

O espaço teve o acervo requalificado com destaque para obras da poesia pernambucana. Entre as ações que ajudaram na melhora da biblioteca está o Escambo de Livros, organizado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE), em que a população doou livros diretamente no Espaço Pasárgada.

5 de dez de 2014

Eleições na ABRAINFO



Colega: no próximo dia 15 de dezembro será eleita a segunda Diretoria da ABRAINFO - Associação Brasileira de Profissionais da Informação. Veja o edital anexo. 
Da maneira mais clara e transparente reafirmamos o desejo de tornar a entidade um canal de diálogo com os vários segmentos que nos dizem respeito - de governo à sociedade como um todo. Mas nos interessa, particularmente, promover o diálogo entre nós mesmos. A entidade foi constituída com o objetivo de criar essas conexões essenciais. É preciso procurar todas as possibilidades de expressar o que pensamos, contribuindo de todas as formas para valorizar o trabalho nos campos da Informação - vitais para o País. 
Por isso, pedimos a você que participe desse esforço, sendo afiliado. E, indo além, considere a possibilidade de atuar de forma mais direta, integrando o seu quadro diretivo. Forme ou participe de uma chapa, dedicando uma parte do seu tempo para pensar nas ações coletivas que poderemos desenvolver juntos.  
Agradecemos.

Luiz Milanesi

Detalhes no URL: www.abrainfo.org.br/

SCIELO: novas normas para a internacionalização de periódicos

Fonte: FAFESP. Data: 5/12/2014.
URL: http://agencia.fapesp.br/scielo_anuncia_medidas_para_internacionalizacao_de_periodicos_cientificos/20356/
Autoria: Diego Freire
Com o objetivo de contribuir para a internacionalização dos periódicos científicos produzidos no Brasil, a biblioteca eletrônica SciELO (sigla de Scientific Eletronic Library On Line), mantida pela FAPESP, anunciou novos critérios para indexação em sua plataforma.
O anúncio foi feito durante a 4ª Reunião Anual da SciELO, realizada no dia 2 de dezembro, na sede da FAPESP. De acordo com Abel Laerte Packer, diretor do programa SciELO, as medidas anunciadas devem levar a uma “progressiva reconfiguração dos periódicos do Brasil e das pesquisas que comunicam no contexto internacional da ciência”.
“A ciência é, por natureza, internacional. Um esforço que o Brasil vem fazendo em geral – e a FAPESP em particular – é o de dar visibilidade à pesquisa que o país faz, aumentando a colaboração internacional. E nisso os periódicos brasileiros deverão cumprir um papel importante, não só no fortalecimento da presença lá fora como também trazendo autores internacionais e artigos de bom nível para os periódicos do Brasil”, disse Packer à Agência FAPESP.
Os critérios servem para a indexação de novos periódicos e para a permanência dos que já compõem a coleção SciELO Brasil. Para Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, a internacionalização refletirá no impacto das publicações.
“É um esforço que, somado a outros, contribuirá para a inserção dos nossos pesquisadores no contexto internacional da ciência, aumentando sua competitividade. Nossa produção científica cresce consideravelmente e o desafio agora é aumentar seu impacto”, disse Brito Cruz durante a reunião.
As medidas anunciadas abrangem critérios relacionados com a gestão dos processos editoriais, a afiliação dos autores dos artigos e o idioma de publicação, com prazos definidos por área do conhecimento.
A implementação das medidas será avaliada com base em indicadores relacionados à evolução da porcentagem de artigos publicados em inglês e de autores com afiliação estrangeira, além do aumento da proporção de pesquisadores de outros países que exerçam as funções de editores associados e pareceristas.
Também será avaliado o número de downloads originários do Brasil e do exterior, a quantidade de citações por artigos concedidas por autores estrangeiros, tendo o SciELO Citation Index como fonte de referência de cálculo, e a evolução da presença nas redes sociais, com base no índice da Altmetric.com.
Metas por áreas
Os valores de referência utilizados na avaliação da internacionalização dos periódicos foram definidos pelo Comitê Consultivo da SciELO, divididos por áreas temáticas, e sua adoção tem diferentes prazos, variando de um a cinco anos.
“Cada área tem suas idiossincrasias, seus objetivos e legados históricos, então os critérios foram, na medida do possível, adaptados à realidade de cada uma delas e às tendências observadas nos últimos anos”, explicou Packer. As publicações são divididas em oito grandes áreas: Agrárias; Biológicas; Engenharias; Exatas e da Terra; Humanas; Linguística, Letras e Artes; Saúde; e Sociais Aplicadas.
A partir de janeiro de 2016, os periódicos indexados deverão atender às porcentagens mínimas esperadas de editores associados ativos com afiliação institucional no exterior, segundo a área temática.
Para os de Ciências Agrárias, por exemplo, o mínimo é de 20% e o recomendado é de 30%. Já para os de Ciências Sociais Aplicadas, o mínimo é de 15% e o recomendado, 25%. Somando-se as metas de todas as áreas, a SciELO espera ter todos os periódicos com, no mínimo, 20% de editores associados ativos com afiliação estrangeira.
Os novos critérios incluem ainda porcentagens anuais mínimas esperadas e recomendadas de autores com afiliação institucional no exterior, também por área temática. As metas vão de 15%, para Ciências Agrárias, a 30%, para Biológicas, Engenharias, Exatas e da Terra. Assim, a SciELO espera chegar a até 35% de autores com filiação estrangeira.
O idioma em que os artigos são publicados também foi contemplado pelas mudanças. Os trabalhos devem conter título, resumo e palavras-chave no idioma original do texto e em inglês. “O modelo da SciELO permite a publicação simultânea em dois ou mais idiomas. Os periódicos devem maximizar o número de artigos originais e de revisão em inglês com vistas à sua internacionalização”, disse Packer.
Os periódicos da área da Saúde, por exemplo, deverão ter pelo menos 80% de seus artigos originais e de revisão em inglês. Somando-se as metas de todas as áreas, a SciELO espera ter 75% das publicações nessas condições.
Profissionalização
Rogerio Meneghini, diretor científico da SciELO, explicou que os novos critérios de indexação também têm o objetivo de garantir a sustentabilidade dos periódicos. “As metas foram elaboradas com o objetivo de acelerar a profissionalização dos periódicos e torná-los sustentáveis em médio e longo prazo, num cenário de crescente competitividade internacional”, disse.
Dessa forma, além de artigos, os novos critérios contemplam outros documentos publicados pelos periódicos, como editoriais. Foi definido pela SciELO que, a partir de 2015, somente serão indexados, publicados e incluídos nas métricas de desempenho dos periódicos da coleção documentos que apresentem conteúdo científico relevante.
Dessa forma, os documentos deverão apresentar conteúdo científico que justifique sua indexação, incluindo dados de autoria, afiliação institucional, referências bibliográficas e informações com potencial para receber citações.
Além dos editoriais, serão indexados, publicados e incluídos nas métricas de desempenho da SciELO documentos como adendos, artigos de pesquisa, artigos de revisão, cartas, coleções, comentários de artigo, comunicações breves, discursos, discussões, erratas, introduções, normas, relatos de caso, resenhas críticas de livro, respostas e retratações, entre outros.
Não serão considerados anúncios, calendários, chamadas, livros recebidos, notícias, obituários, reimpressões, relatórios de reunião, resumos, revisões de produto, teses e traduções.
Plano de divulgação
Todos os periódicos SciELO devem operar com apoio de um sistema de gestão on-line até o final de 2015. Isso deverá tornar mais eficiente o processo de avaliação, diminuir o tempo entre a submissão e o parecer final, permitir que as partes envolvidas acompanhem o processo de avaliação e obter registros e estatísticas de controle do fluxo de gestão dos manuscritos.
“Também recomendamos a disponibilização dos dados das pesquisas utilizados nos artigos em repositórios de acesso aberto, contribuindo para que os trabalhos sejam replicados e para que aumente a visibilidade e as citações”, disse Meneghini. A disponibilização dos dados passará a ser critério de avaliação a partir de 2015.
Os novos critérios para avaliação da profissionalização dos periódicos contemplam ainda a comunicação social das publicações. A partir de julho de 2015 será exigido pela SciELO um plano operacional de marketing e divulgação, incluindo a gestão de contatos de pesquisadores potenciais, autores e usuários nacionais e internacionais e leitores, entre outros públicos, e a produção de press releases de cada novo número ou de novos artigos selecionados.
“Também esperamos que, a partir dessa data, os periódicos comuniquem suas novas pesquisas nas redes sociais, podendo inclusive utilizar os canais da SciELO nesses ambientes, como o Blog SciELO em Perspectiva”, orientou Packer. “É um esforço em diversas frentes que vai elevar nossos periódicos a um novo patamar e, em última instância, contribuir com a evolução da ciência no Brasil e no mundo.”

O documento com os novos critérios para admissão e permanência de periódicos científicos na coleção SciELO Brasil, assim como a política que orientou sua elaboração e os procedimentos exigidos, está disponível em www.scielo.br/avaliacao/avaliacao_pt

4 de dez de 2014

Curso: Mediação da informação

CURSO “MEDIAÇÃO DA INFORMAÇÃO”

Ministrado pelo Prof. Dr. Oswaldo Francisco de Almeida Júnior
13/12/2014 (sábado) – das 9h00 às 16h00
Local: Ação Educativa – Rua General Jardim, 660 – São Paulo – SP

Curso oferecido pela ABECIN – Associação Brasileira de Educação em Ciência da Informação, com o apoio da LivrosdeBiblio e do Conselho Regional de Biblioteconomia – 8ª. Região

O curso abordará conceitos, históricos e contextualização da mediação da informação, a relação da mediação com outras áreas do conhecimento e os vínculos da mediação da informação com o fazer bibliotecário.


Para inscrição e demais informações, acesse:

Apoie a Declaração de Lyon

Colegas gestores de Bibliotecas , 


No início de dezembro, estamos orgulhosos de anunciar que mais de 450 organizações já assinaram a Declaração de Lyon e contribuíram ativamente com o esforço da IFLA em garantir que o acesso à informação seja incorporado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, pós 2015. Das organizações, cerca de 73% são da comunidade bibliotecária e estamos muito felizes de ver uma grande e entusiasta aceitação da Declaração de Lyon em toda a comunidade. Os restantes 27% são de fora do setor da biblioteca que mostra um amplo apoio para o acesso à informação a partir de uma ampla gama de setores.
 
Quais são os próximos passos?
 
A IFLA e todas as outras organizações e os Estados membros envolvidos na Agenda de Desenvolvimento da ONU pós-2015 estão esperando o relatório de síntese do Secretário-Geral. Este relatório irá delinear as prioridades e os principais objetivos da Agenda de Desenvolvimento.
Assim que publicado, a IFLA irá fornecer uma análise do relatório, mapeando-o os nossos objetivos através da Agenda de Desenvolvimento (estes incluem: acesso à informação, cultura, educação e TICs). Algumas das seções profissionais da IFLA nos forneceram contribuiçoes muito úteis que dispõe sobre a necessidade de as metas da Declaração do Lyon para a profissão. Esses resumos vão nos ajudar ainda mais para responder ao relatório de síntese e de promover o acesso à informação.
 
O que você pode fazer para ajudar?
 
· Você pode incentivar a Biblioteca e a sua instituição a assinar a Declaração de Lyon e adicionar a sua voz ao apelo nas Nações Unidas.

· Você pode incentivar outras pessoas e entidades para assinar a Declaração de Lyon.

· Você pode promover os princípios da Declaração de Lyon em toda a rede e garantir que a mensagem se espalhe tão amplamente quanto possível.

A Declaração de Lyon sobre Acesso à Informação e Desenvolvimento exorta os Estados-Membros das Nações Unidas para assumirem um compromisso internacional através da agenda de desenvolvimento pós-2015 para garantir que todos tenham acesso a, e sejam capazes de entender, usar e compartilhar as informações que são necessárias para promover o desenvolvimento sustentável e as sociedades democráticas. Foi preparada pela IFLA e uma série de parceiros estratégicos nas comunidades de bibliotecas e de desenvolvimento.
 
Veja a versão web em: http://www.ifla.org/node/9241 e conheça as entidades/organizações que já são signatárias da Declaração de Lyon e sinta-se convidado a participar, incluindo
 a entidade que representa nessa relação, ampliando assim também, a participação do Brasil e América Latina nesse contexto.
Estamos a disposição para esclarecimentos e informações adicionais.

Cordial abraço,

Sigrid Karin Weiss Dutra
Presidente IFLA/LAC




--

Sigrid Karin Weiss Dutra
CRB 14/093
Biblioteca Universitária UFSC
Presidente IFLA/LAC
Fone: 48-9672-9071